Početna – ThaiConsulate

Tips, Reviews, Recommendations

Quem Inventou A Internet?

Quem foi o verdadeiro criador da internet?

Foto: Reprodução/Unsplash/ bert b Quem inventou a Internet? Conheça 6 curiosidades sobre a origem da web Foto: Unsplash A Internet já é parte fundamental de nossas vidas, seja para trabalhar, para conversar com amigos ou se divertir. Segundo a empresa NordVPN, os brasileiros passam mais da metade de suas vidas conectados.

Mas fica a pergunta: será que você realmente conhece o mundo virtual? Foto: Reprodução/GIPHY Apesar de o ciberespaço ser usado por milhões de internautas no país, é comum que muitos deles não saibam responder perguntas como “quem criou a Internet?” ou “o que significa WWW?”. Por isso, o TechTudo separou 6 curiosidades sobre a web que você precisa conhecer.

Confira! 🫱 Foto: Reprodução/Unsplash/Leon Seibert 1. Quem inventou a Internet? O físico britânico Tim Berners-Lee é o nome responsável pela Internet como conhecemos hoje. Em 1989, ele inventou a World Wide Web (WWW), um sistema que, em pouco tempo, permitiria a criação da Internet comercial e, assim, a popularização da rede.

Foto: Getty Images 2. Popularização da Internet no Brasil Em 1980, universidades brasileiras já faziam parte de redes que as conectavam a faculdades nos Estados Unidos. No entanto, a Internet só foi explorada comercialmente no Brasil a partir de 1995, e com a chegada de provedores locais em 1996. Foto: Divulgação/Getty Images Com a popularização dos PCs domésticos no fim dos anos 1990 e início dos 2000, a Internet foi ganhando espaço no país.

Aliás, quem navega na web hoje pode até achar difícil de acreditar, mas entrar na Internet nem sempre foi algo tão simples e fácil. Foto: Dmitry Marchenko / EyeEm / Getty Images 3. No começo, não havia banda larga Se você tem mais de 25 anos, com certeza lembra do perrengue que era acessar a Internet entre a segunda metade dos anos 1990 e o início da década de 2000.

  • Nessa época, não havia rede banda larga, e a conexão era discada.
  • Foto: Reprodução/Pexels/Erik Mclean Para entrar na Internet, era preciso uma linha telefônica, um provedor de acesso e uma dose extra de paciência.
  • Quem aí lembra de ficar horas ouvindo um chiado muito característico enquanto tentava acessar a web? 4.

O acesso era via telefone Foto: Reprodução/Pexels/cottonbro studio A linha telefônica ficava ocupada pelo tempo em que a pessoa estivesse online, o que gerava muita confusão entre as famílias. Foto: Pexels/Andrea Piacquadio O acesso era pago pelo custo de uma ligação telefônica.

Para economizar, muita gente esperava a madrugada ou o fim de semana para navegar. E isso sem falar na lentidão da conexão! 5. A Internet era cara e lenta Foto: Reprodução/Getty Images 6. Como surgiram a dark web e deep web? A deep web, fatia da Internet que abriga conteúdos que não são acessíveis por meio de buscadores, é tão antiga quanto a World Wide Web.

O termo, porém, foi cunhado apenas em 2001 por Michael K. Bergman, um cientista da computação. Foto: Getty Images Já a dark web faz referência a um subgrupo de conteúdo encontrado na deep web, como negócios ilícitos, pornografia infantil e mais. O termo foi usado pela primeira vez em 2009.

Em que ano é quem inventou a internet?

Arpanet e a origem da internet Nesse momento, surge o protótipo da primeira rede de internet, a Arpanet (Advanced Research Projects Agency Network). Assim, no dia 29 de outubro de 1969 foi estabelecida a primeira conexão entre a Universidade da Califórnia e o Instituto de Pesquisa de Stanford.

Quem é o dono da internet no mundo?

Quem é o dono da Internet? Continua após publicidade Bruno Vieira Feijó Oficialmente, ninguém. Mas, na prática, a rede mundial acaba ficando na mão do governo dos EUA. O país tem controle majoritário de dois recursos importantíssimos: os servidores (computadores de grande porte sem os quais a internet não funciona) e os endereços www.

  • Existem mais de 100 servidores-base espalhados pelo mundo (um deles no Brasil).
  • No entanto, dos 13 que armazenam todas as informações dos demais e controlam tudo o que está disponível na web, 10 estão nos EUA (os outros 3 estão no Japão, Suíça e Inglaterra), sendo que um deles é a “chave mestra” porque também faz cópias dos demais.

A outra carta na manga dos americanos é o Icann, uma corporação sem fins lucrativos que controla todos os endereços da Internet. Apesar de gerenciado por diversos países, o Icann tem sede na Califórnia e é subordinado ao Departamento de Comércio americano.

Assim, os EUA são o único país com poder de veto sobre ele (recentemente, o governo Bush proibiu, por exemplo, a terminação “.xxx”, que valeria para sites de pornografia). Esse poder americano tem incomodado alguns países. Liderados pelo Brasil, China e União Européia, eles propuseram que, a partir de setembro (quando terminam os contratos do sistema atual), seja criado um órgão vinculado à ONU para o controle da rede.

Mas uma carta do governo dos EUA usa a segurança como argumento para que o controle continue como hoje e os especialistas prevêem que nada vai mudar em 2006. Created with Sketch. A melhor notícia da Black Friday Assine Super e tenha acesso digital a todos os títulos e acervos Abril*. E mais: aproveite uma experiência com menos anúncio! É o melhor preço do ano! *Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas.

Quando e onde surgiu a internet?

Como Surgiu a Internet ? Podemos dividir a história da humanidade em três importantes eras: agrícola, industrial e digital. Na era digital a sociedade tem recebido o nome de “sociedade da informação”, aquela cuja cultura e economia dependem essencialmente da tecnologia, da comunicação e da informação.

Em tese, todos participam de alguma maneira da interação, compartilhando o conhecimento com base nas informações que possuem. Através da convergência tecnológica, o processo de troca de comunicação é muito facilitado. Hoje podemos processar informações variadas em uma só forma: a forma digital. Diferentes aparelhos são multifuncionais, fazendo uso somente de um pequeno chip.

Através de celulares, por exemplo, acessamos a Internet, ouvimos rádio e músicas em formato mp3, enviamos e-mails, fotos, vídeos e mensagens curtas de texto (SMS), entre tantas outras funções. A era é nova e o nome que deram à sociedade atual é pomposo.

Deve-se ter cuidado, porém, em não generalizar, tendo em vista a realidade brasileira que é marcada pela exclusão digital. Com a queda de preços e o crescimento da Internet a inclusão digital tem aos poucos acontecido, mas ainda a passos de tartaruga. Observemos o que nos ensina Hugo Assmann, professor e Doutor em Teologia, com ênfase em Filosofia da Educação: “A sociedade da informação é a sociedade que está sempre a constituir se, na qual são amplamente utilizadas tecnologias de armazenamento e transmissão de dados e informação de baixo custo.

Esta generalização da utilização da informação e dos dados é acompanhada por inovações organizacionais, comerciais, sociais e jurídicas que alterarão profundamente o modo de vida tanto no mundo do trabalho como na sociedade em geral. No futuro, poderão existir modelos diferentes de sociedade da informação, tal como hoje existem diferentes modelos de sociedades industrializadas.

Esses modelos podem divergir na medida em que evitam a exclusão social e criam novas oportunidades para os desfavorecidos. A importância da dimensão social caracteriza o modelo europeu. Este modelo deverá também estar imbuído de uma forte ética de solidariedade. A mera disponibilização crescente da informação não basta para caracterizar uma sociedade da informação.

O mais importante é o desencadeamento de um vasto e continuado processo de aprendizagem.” Neste contexto, podemos falar da Internet. A Internet surgiu nos anos 60, na época da Guerra Fria, nos Estados Unidos. O Departamento de Defesa americano pretendia criar uma rede de comunicação de computadores em pontos estratégicos.

A intenção era descentralizar informações valiosas de forma que não fossem destruídas por bombardeios se estivessem localizadas em um único servidor. Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 Assim, a ARPA (Advanced Research Projects Agency), uma das subdivisões do Departamento, criou uma rede conhecida por ARPANET, ligada por um backbone (“espinha dorsal”, isto é, estruturas de rede capazes de manipular grandes volumes de informações) que passava por debaixo da terra, o que dificultava sua destruição.

O acesso à ARPANET era restrito a militares e pesquisadores, demorou chegar ao público em geral, pois temiam o mau uso da tecnologia por civis e países não-aliados. No Brasil, a conexão de computadores por uma rede somente era possível para fins estatais.

Em 1991, a comunidade acadêmica brasileira conseguiu, através do Ministério da Ciência e Tecnologia, acesso a redes de pesquisas internacionais. Em maio de 1995, a rede foi aberta para fins comerciais, ficando a cargo da iniciativa privada a exploração dos serviços. Hoje, para conectar seu computador, o usuário paga os serviços de um provedor de acesso ou tem conexão direta.

O fenômeno Internet difere dos outros meios de comunicação conhecidos até agora, haja vista que a postura do receptor no rádio e na televisão é meramente passiva, enquanto em relação à Internet o receptor participa selecionando e emitindo informações.

Há várias maneiras de trocar e obter informações através da Internet, dentre as quais: World Wide Web (www), mecanismos de busca, e-mail (correio eletrônico), peer-to-peer, IRC (Internet Relay Chat), VoIP (voz sobre IP), listas de discussão, bate-papos e mensagens instantâneas. A própria rede, por sua vez, é acessada através de diversos meios, caracterizando o típico exemplo de convergência tecnológica, da facilitação no processo de troca de comunicação.

A Internet está presente em computadores, celulares, palms, e diferentes aparelhos multifuncionais. Voltemos ao tempo. Conseguimos nos imaginar sem esta maravilhosa invenção que hoje é uma oportunidade de atravessar fronteiras, derrubar barreiras e dividir idéias de forma única? Além de tudo, a internet aumenta a capacidade de leitura (também estimulando novas leituras), ajuda a encontrar informações, resolver problemas e, sem dúvida, a adquirir competências cada vez mais exigidas no mercado de trabalho.

Quem trouxe a internet para o Brasil?

A Internet chegou no Brasil em 1988 por iniciativa da comunidade acadêmica de São Paulo (FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e Rio de Janeiro UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e LNCC (Laboratório Nacional de Computação Científica).

Qual é o nome do pai da internet?

Tim Berners-Lee, pai da web, diz que governos precisam estabelecer leis de proteção

Considerado o pai da internet, o cientista britânico Tim Berners-Lee disse ser a favor de os governos criarem leis de proteção dos usuários no ambiente das redes.O tema tem mobilizado atenção ao redor do mundo e, no Brasil, o governo (PT) tenta a aprovação no Congresso do chamado,”A web é uma coisa poderosa, mas o que tem de mudar para melhor são as plataformas”, disse Berners-Lee, nesta terça-feira (9), na abertura do 5º Encontro Internacional de Reitores, em Valência (Espanha), evento promovido pelo Universa, empresa educacional do banco Santander.

See also:  Onde Vai Passar A Luta Do Charles?

Quem Inventou A Internet Tim Berners-Lee é criador do worl wide web – Lola and Pani-20.dez.20/The New York Times Tim Berners-Lee criou em 1989 o world wide web, que revolucionou a sociedade e desenhou a internet como conhecemos hoje. Ele disse que, diante das primeiras experiências com a web, não imaginava onde as coisas poderiam chegar, como os casos de manipulação de eleições, citando a eleição de Donald Trump e o,

  • Chegamos à conclusão de que os governos precisam fazer alguma coisa e têm de estabelecer leis de controle, para lidar com as coisas más”, disse.
  • Para que os dados das pessoas não sejam roubados ou mal utilizados.
  • Não se trata de desconectar, acabar com uma rede quando houver o momento de eleições, o que temos é que utilizar e empregar bem essa rede.” Atualmente, aos 67 anos, é professor e pesquisador do MIT (Massachusetts Institute of Technology), nos Estados Unidos.

Físico de formação, Berners-Lee criou o www quando trabalhava no Centro de Cálculo do, perto de Genebra, na Suíça. O cientista disse que a quantidade de sites cresceu muito rapidamente nos anos 1990 e esperava, sim, que rapidamente todos estariam conectados.

Mas logo percebeu-se algo fora do controle. “As pessoas conseguiram perceber que era uma coisa que estava chegando a um ponto que talvez fuja do nosso controle, a questão de privacidade, que as pessoas possam ser manipuladas”, afirmou. Para ele, é importante que as “pessoas voltem a ter o controle” da internet, e isso abriria uma porta a muitas outras possibilidades.

“Quando as pessoas veem a web e que a eleição do Trump foi possível através da manipulação na web, o brexit, as pessoas percebem que querem recuperar o controle na web, e temos que corrigir essa direção. Ter uma tecnologia para corrigir esse rumo.” Berners-Lee protagonizou a primeira agenda do 5º Encontro Internacional de Reitores.

O evento, do Santander, reúne até quarta-feira (10) em Valência 700 dirigentes de universidades de 14 países, a maioria da América Latina e península ibérica. No evento, a presidente do banco Santander, Ana Botín, anunciou que a instituição vai investir, até 2026, 400 milhões de euros para o apoio a universidades de 25 países.

Dessas, cerca de 400 são universidades e faculdades parceiras do Brasil. O repórter viajou convite do Santander : Tim Berners-Lee, pai da web, diz que governos precisam estabelecer leis de proteção

Como foi criada a internet?

A internet surgiu em 1969 com o nome de ARPANET com a empresa Arpa (Advanced Research and Projects Agency). Ela foi herdada de pesquisas anteriores feitas pelos militares americanos na época da Guerra Fria, entre os Estados Unidos e a União Soviética.

Qual é a primeira rede social do mundo?

Qual foi a primeira rede social? – Muitos não conhecem a Classmates, plataforma fundada por Randy Conrad em 1995. O site era capaz de reunir estudantes de diversas escolas nos Estados Unidos e oferecia acesso a arquivos de anuários desde a década de 1920 até 1980.

Além disso, contava com perfis de membros e listas de amigos, muito similar ao modelo que se popularizou anos depois. No entanto, o primeiro site a receber a terminologia social network foi a Six Degrees, fundada em 1996 por Andrew Weireinch. A plataforma apresentava recursos completamente inovadores para a época, como perfil, lista de amigos, informações sobre escolaridade e muito mais.

O site chegou a reunir 3,5 milhões de cadastros, mas devido à falta de popularidade da internet nesse período, assim como à utilização de conexão discada e à falta de suporte para fotos de perfis e conteúdos audiovisuais, as interações ficavam bem restritas e reduzidas.

Qual foi a primeira mensagem enviada pela internet?

Primeira mensagem enviada “online” completa 50 anos: conheça essa história Quem Inventou A Internet Pesquisadores trabalham no desenvolvimento da Arpanet (Foto: Divulgação) Há 50 anos, um professor de ciência da computação da Universidade da Califórnia, Los Angeles (UCLA) e seu aluno enviaram a primeira mensagem por meio de um antecessor da internet, uma rede chamada ARPANET.

  1. Em 29 de outubro de 1969, Leonard Kleinrock e Charley Kline enviaram ao pesquisador da Universidade de Stanford Bill Duval uma mensagem de duas letras: “lo.” A mensagem pretendida, a palavra completa “login”, tinha sido truncada por uma pane no computador.
  2. Nos dias de hoje, muito mais tráfego viaja pela internet, com bilhões de e-mails sendo enviados e pesquisas realizadas diariamente.

Como um estudioso de como a internet é governada, sei que a vasta rede de comunicações atual é resultado de escolhas feitas por governos e reguladores que coletivamente construíram a internet de hoje. Aqui estão cinco momentos chave nessa jornada: 1978 – Falha de criptografia Os primeiros pioneiros da internet, de certa forma, foram notadamente perspicazes.

  • Em 1973, um grupo de estudantes de colégio teria conseguido acesso à ARPANET, que supostamente deveria ser uma rede fechada gerenciada pelo Pentágono.
  • Os cientistas da computação Vinton Cerf e Robert Kahn sugeriram criar criptografias para os principais protocolos da internet, o que tornaria muito mais difícil que hackers comprometessem o sistema.

Mas a comunidade de inteligências dos Estados Unidos contestou isso, embora os oficiais não tenham dito publicamente por quê. O único motivo para que essa intervenção tenha vindo à público é porque Cerf sugeriu isso em 1983 em um artigo de sua co-autoria.

Como resultado, hoje basicamente todos os usuários da internet precisam lidar com senhas complexas e sistemas de autenticação multifator para garantir a segurança das comunicações. Pessoas com necessidades de segurança mais avançadas frequentemente usam redes virtuais privadas ou softwares especializados com o Tor para criptografarem sua atividade online.

Contudo, os computadores podem não ter contado com poder de processamento suficiente para criptografar efetivamente as comunicações na internet. Isso poderia causar lentidão à rede, tornando-a menos atrativa aos usuários — atrasando, ou até mesmo impedindo, um uso amplo por pesquisadores e pelo público. Quem Inventou A Internet Sala da UCLA onde a Arpanet foi criada (Foto: Divulgação) 1983: Nasce ‘a Internet” Para a internet realmente ser uma entidade global, todos os diferentes tipos de computador precisaram falar a mesma língua para que fossem capazes de se comunicar uns com os outros — diretamente, se possível, em vez de diminuir o ritmo ao utilizar tradutores.

Centenas de cientistas de vários governos colaboraram para conceber o que eles chamaram de padrão de Interconexão de Sistemas Abertos (Open Systems Interconnection). Tratava-se de um complexo método que os críticos consideravam ineficiente e difícil de ser escalável nas redes existentes. Cerf e Kahn, no entanto, propuseram uma outra maneira, chamada de Protocolo de Controle de Transmissão/Protocolo de Internet (Transmission Control Protocol/Internet Protocol).

O TCP/IP funcionava mais como uma correspondência — embrulhando mensagens em pacotes e colocando o endereço do lado de fora. O que todos os computadores da rede precisavam fazer era passar a mensagem para seu destinatário, onde o computador receptor descobriria o que fazer com a informação.

  • E isso era gratuito para qualquer um copiar e utilizar em seus próprios computadores.
  • Foi o TCP/IP — que era funcional e gratuito — que possibilitou a rápida e global difusão da internet.
  • Uma variedade de governos, incluindo os Estados Unidos, chegaram a declarar apoio ao OSI, mas tarde demais para fazer diferença.

O TCP/IP havia tornado a internet mais barata, mais inovativa e menos amarrada aos padrões oficiais de governo. saiba mais A internet de ontem, hoje e amanhã 1996: Conversas online reguladas Em 1996, a internet contava com mais de 73 mil servidores, e 22% dos norte-americanos estavam online.

O que eles encontravam lá, no entanto, preocupou alguns membros do Congresso e seus constituintes — particularmente, a quantidade crescente de pornografia. Em resposta, o Congresso aprovou a Lei de Decência nas Comunicações, que buscava regular a indecência e a obscenidade no ciberespaço. A Suprema Corte derrubou partes da lei no ano seguinte, embasando-se na liberdade de expressão, mas manteve a Seção 230, que decretava: “Nenhum provedor ou usuário de um serviço interativo de computador deve ser tratado como o editor ou porta-voz de qualquer informação provida por outro provedor de conteúdo.” Essas palavras, como notaram vários observadores, liberaram os provedores de serviços de internet e as companhias de hospedagem das responsabilidades legais sobre as informações que seus clientes publicassem ou compartilhassem online.

Essa única sentença garantiu uma segurança jurídica que permitiu que a indústria de tecnologia dos Estados Unidos florescesse. A proteção fez com que as empresas se sentissem confortáveis para criar uma internet focada nos consumidores, repleta de veículos de mídia tradicionais, blogueiros, avaliações de clientes e conteúdo gerado por usuários. Quem Inventou A Internet (Foto: Pixabay) 1998: O controle dos Estados Unidos se intensifica O programa de endereçamento do TCP/IP requer que todo computador ou dispositivo conectado à internet tenha um único endereço particular — o que, por motivos computacionais, é uma sequência de números como “192.168.2.201”.

  1. Mas isso é algo difícil para as pessoas memorizarem — é muito mais fácil lembrar de algo como “indiana.edu.” Deveria haver um registro centralizado de quais nomes correspondem a quais endereços, para que as pessoas não se confundissem ou visitassem um site que não tinham a intenção.
  2. Originalmente, começando no final da década de 1960, esse registro era mantido num disquete por um homem chamado Jon Postel.

Em 1998, porém, ele e outros especialistas afirmaram que essa quantidade significativa de poder não deveria estar concentrada em uma só pessoa. Naquele ano, o Departamento de Comércio dos Estados Unidos estabeleceu um plano de transição desse controle para uma nova organização privada sem fins lucrativos, a Corporação da Internet para Nomes e Números Atribuídos (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers) — mais conhecida como ICANN — que tinha o objetivo de gerenciar os endereços da internet ao redor do mundo.

  1. Por quase 20 anos, a ICANN fez esse trabalho sob um contrato com o Departamento de Comércio, embora as objeções quanto ao controle por parte do governo dos Estados Unidos tenham crescido constantemente.
  2. Em 2016, o contrato com o Departamento de Comércio expirou, e a administração da ICANN mudou para conselho de representantes de mais de 100 países.

Outros grupos que gerenciam aspectos chave das comunicações na internet têm diferentes estruturas. A Força-Tarefa de Engenharia da Internet (Internet Engineering Task Force), por exemplo, é uma organização técnica voluntária, aberta a todos. Existem desvantagens a essa abordagem, mas ela tem diminuído tanto a realidade quanto a percepção do controle por parte dos Estados Unidos. Quem Inventou A Internet (Foto: Divulgação) 2010: A guerra chega à internet Em junho de 2010, pesquisadores de cibersegurança revelaram a descoberta de uma sofisticada arma cibernética chamada de Stuxnet, criada especificamente para atingir os equipamentos utilizados pelo Irã em seus esforços de desenvolver armas nucleares.

Ela está entre os primeiros ataques digitais conhecidos que causaram danos físicos reais. Quase uma década depois, ficou claro que a Stuxnet abriu os olhos dos governos e de outros grupos online para a possibilidade de causar significante devastação por meio da internet. Atualmente, nações lançam mão de ciberataques com crescente regularidade, atacando uma gama de alvos militares e até mesmo civis.

Certamente há motivos de esperança para paz e comunhão online, mas essas decisões — juntamente com muitas outras — moldaram o ciberespaço e a rotina de milhões de pessoas. Refletir sobre essas escolhas do passado podem ajudar a embasar decisões futuras — sobre como a lei internacional deve ser aplicada em ciberataques, ou mesmo como regular a inteligência artificial.

See also:  Quanto Ganha Um Investigador Da Policia Civil?

Quem que controla a internet?

Quem é o dono da Internet? Continua após publicidade Bruno Vieira Feijó Oficialmente, ninguém. Mas, na prática, a rede mundial acaba ficando na mão do governo dos EUA. O país tem controle majoritário de dois recursos importantíssimos: os servidores (computadores de grande porte sem os quais a internet não funciona) e os endereços www.

Existem mais de 100 servidores-base espalhados pelo mundo (um deles no Brasil). No entanto, dos 13 que armazenam todas as informações dos demais e controlam tudo o que está disponível na web, 10 estão nos EUA (os outros 3 estão no Japão, Suíça e Inglaterra), sendo que um deles é a “chave mestra” porque também faz cópias dos demais.

A outra carta na manga dos americanos é o Icann, uma corporação sem fins lucrativos que controla todos os endereços da Internet. Apesar de gerenciado por diversos países, o Icann tem sede na Califórnia e é subordinado ao Departamento de Comércio americano.

  1. Assim, os EUA são o único país com poder de veto sobre ele (recentemente, o governo Bush proibiu, por exemplo, a terminação “.xxx”, que valeria para sites de pornografia).
  2. Esse poder americano tem incomodado alguns países.
  3. Liderados pelo Brasil, China e União Européia, eles propuseram que, a partir de setembro (quando terminam os contratos do sistema atual), seja criado um órgão vinculado à ONU para o controle da rede.

Mas uma carta do governo dos EUA usa a segurança como argumento para que o controle continue como hoje e os especialistas prevêem que nada vai mudar em 2006. Created with Sketch. A melhor notícia da Black Friday Assine Super e tenha acesso digital a todos os títulos e acervos Abril*. E mais: aproveite uma experiência com menos anúncio! É o melhor preço do ano! *Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas.

Qual a pessoa mais rica da internet?

Jeff Bezos A Amazon se tornou uma referência em termos de comércio eletrônico desde o seu lançamento, em 1994, sendo uma das primeiras empresas relevantes a vender pela internet.

Quem é o maior da internet?

Os provedores mais usados pelos brasileiros – A NET (Claro NET) é o provedor de internet mais usados pelos brasileiros, com 22%. A Vivo está em segunda posição, com 16%. E a Claro em terceira com 14%. Em seguida fica a Oi, com 12%. A Brisanet, Cabo Telecom e Tim Live, possuem 3% de participação de mercado cada. Quem Inventou A Internet

Quanto tempo existe a internet?

Tim Berners-Lee Com a abertura da internet comercial, em 1995, ela começou a chegar até as nossas casas.

O que surgiu antes da Internet?

A história da internet teve início com a Arpanet, uma rede de troca de informações que havia sido desenvolvida para conectar instalações de pesquisas e militares com o Pentágono, nos Estados Unidos, na década de 1960. O crescimento dessa rede permitiu que seu uso se estendesse para fins privados e comerciais.

A internet chegou ao Brasil somente no final da década de 1980. A internet é atualmente o maior meio de comunicação utilizado planeta, com mais de 5 bilhões de usuários. Por ela, é possível enviar mensagens instantaneamente, movimentar dinheiro em contas bancárias, comprar mercadorias, acessar redes sociais, fazer pesquisas etc.

A internet chegou ao Brasil, em 1988, por meio de uma conexão entre um computador da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a rede da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, tornando-se pública e comercial entre 1994 e 1995. Atualmente, de acordo com a Pnad, cerca de 90% das residências brasileiras têm acesso à internet.

O que quer dizer a sigla www?

É a abreviação de world wide web, ou rede com amplitude mundial. Esse é o sistema por onde circulam as informações em hipertexto.

Em que ano foi criado o Wi-fi no Brasil?

Mas o Wi-Fi só chegou ao Brasil em 2008, quando o protocolo 802.11g já era padrão de mercado. A seguir, entenda os detalhes sobre essa tecnologia de conexão sem fio e conheça as principais características de transmissão das redes Wi-Fi.

Qual foi o primeiro site do Brasil?

De acordo com Getschko, o primeiro domínio comercial registrado no País foi da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), em 17 de agosto de 1995.

O que é a Internet e como ela surgiu?

Internet foi criada em 1969 com o nome de “Arpanet” nos EUA 12/08/2001 – 09h10 LEONARDO WERNER SILVA da Folha de S.Paulo A internet foi criada em 1969, nos Estados Unidos. Chamada de Arpanet, tinha como função interligar laboratórios de pesquisa. Naquele ano, um professor da Universidade da Califórnia passou para um amigo em Stanford o primeiro e-mail da história.Essa rede pertencia ao Departamento de Defesa norte-americano.

  1. O mundo vivia o auge da Guerra Fria.
  2. A Arpanet era uma garantia de que a comunicação entre militares e cientistas persistiria, mesmo em caso de bombardeio.
  3. Eram pontos que funcionavam independentemente de um deles apresentar problemas.A partir de 1982, o uso da Arpanet tornou-se maior no âmbito acadêmico.

Inicialmente, o uso era restrito aos EUA, mas se expandiu para outros países, como Holanda, Dinamarca e Suécia. Desde então, começou a ser utilizado o nome internet.Por quase duas décadas, apenas os meios acadêmico e científico tiveram acesso à rede. Em 1987, pela primeira vez foi liberado seu uso comercial nos EUA.Em 1992, começaram a surgir diversas empresas provedoras de acesso à internet naquele país.

No mesmo ano, o Laboratório Europeu de Física de Partículas (Cern) inventou a World Wide Web, que começou a ser utilizada para colocar informações ao alcance de qualquer usuário da internet.Desde então, a difusão da rede foi enorme. Hoje, a internet tem mais de 250 milhões de usuários em todo o mundo.

Até o final de 2004, o tráfego mundial de e-mails deverá estar em torno de 35 bilhões de mensagens diárias.Quase 90% dos usuários de internet estão nos países industrializados. Os EUA e o Canadá respondem por 57% do total, segundo relatório da Organização Internacional do Trabalho.No Brasil, a exploração comercial foi liberada em 1995.

Onde nasceu a rede Wi-Fi?

Primórdios da conexão sem fio – A comunicação sem fio entre dispositivos remonta a mais de cem anos. No século XIX, o telégrafo era a grande ferramenta da comunicação à distância, mas precisava de fios pelo menos até 1899, quando o físico italiano Guglielmo Marconi efetuou a primeira transmissão telegráfica sem fio de longa distância através do Canal da Mancha.

  1. Nascia ali o uso das ondas de rádio, ainda que de maneira primitiva.
  2. A comunicação via rádio se desenvolveu nas décadas seguintes, passando não apenas pela transmissão de voz, mas também, por exemplo, por um sistema de controle de torpedos à distância, criados pela inventora (e atriz de Hollywood) Hedy Lamarr na década de 1940.

Em 1971, a Universidade do Havaí colocou em prática um sistema chamado ALOHAnet, que conseguia transmitir, sem fio, pequenos pacotes de dados entre computadores da instituição. Em 1989, o órgão dos Estados Unidos responsável pelas telecomunicações autorizou o uso de três faixas de frequência para o desenvolvimento de um padrão que se tornaria futuramente o Wi-Fi,

Qual o verdadeiro nome da internet?

A verdadeira origem da Internet é com a ARPANet (Rede de Agencias de Projetos de Pesquisa Avançada ou Rede da Agência de Projetos de Pesquisa Avançada dos Estados Unidos). No ano de seu nascimento, em 1969, quando nasceu a ARPANET, surgiu a primeira conexão entre os computadores da Stanford e da UCLA.

Que nome tinha a internet?

Internet foi criada em 1969 com o nome de “Arpanet” nos EUA 12/08/2001 – 09h10 LEONARDO WERNER SILVA da Folha de S.Paulo A internet foi criada em 1969, nos Estados Unidos. Chamada de Arpanet, tinha como função interligar laboratórios de pesquisa. Naquele ano, um professor da Universidade da Califórnia passou para um amigo em Stanford o primeiro e-mail da história.Essa rede pertencia ao Departamento de Defesa norte-americano.

  • O mundo vivia o auge da Guerra Fria.
  • A Arpanet era uma garantia de que a comunicação entre militares e cientistas persistiria, mesmo em caso de bombardeio.
  • Eram pontos que funcionavam independentemente de um deles apresentar problemas.A partir de 1982, o uso da Arpanet tornou-se maior no âmbito acadêmico.

Inicialmente, o uso era restrito aos EUA, mas se expandiu para outros países, como Holanda, Dinamarca e Suécia. Desde então, começou a ser utilizado o nome internet.Por quase duas décadas, apenas os meios acadêmico e científico tiveram acesso à rede. Em 1987, pela primeira vez foi liberado seu uso comercial nos EUA.Em 1992, começaram a surgir diversas empresas provedoras de acesso à internet naquele país.

No mesmo ano, o Laboratório Europeu de Física de Partículas (Cern) inventou a World Wide Web, que começou a ser utilizada para colocar informações ao alcance de qualquer usuário da internet.Desde então, a difusão da rede foi enorme. Hoje, a internet tem mais de 250 milhões de usuários em todo o mundo.

Até o final de 2004, o tráfego mundial de e-mails deverá estar em torno de 35 bilhões de mensagens diárias.Quase 90% dos usuários de internet estão nos países industrializados. Os EUA e o Canadá respondem por 57% do total, segundo relatório da Organização Internacional do Trabalho.No Brasil, a exploração comercial foi liberada em 1995.

See also:  O Que Fazer Quando O Celular NO Quer Ligar?

Quem é considerado o pai da internet e porquê?

Muito se fala sobre internet, redes sociais e o avanço da tecnologia, mas houve um tempo em que a World Wide Web (o icônico “www” que você usa para acessar qualquer site na internet) sequer existia – e nem faz tanto tempo assim! E você sabe qual o ponto de partida para tudo na web como a conhecemos hoje? É aí que entra um dos nomes mais conhecidos quando se trata de internet: Tim Berners-Lee.

  1. Também conhecido como “pai da internet”, ele foi o responsável por criar o World Wide Web.
  2. Cientista da computação, físico e professor no MIT – Instituto de Tecnologia de Massachusetts -, Berners-Lee criou a web como a conhecemos em meados dos anos 1989 e se tornou o primeiro a conseguir uma comunicação bem-sucedida entre o computador e o sistema HTTP (Sigla em inglês para Protocolo de Transferência de Hipertexto, um sistema de comunicação) – usado até hoje.

Basicamente, você se comunica na internet graças a invenção de Tim, que também compartilha com os norte-americanos Robert Kahn e Vinton Cerf – ou para os “íntimos” Bob Kahn e Vint Cerf – o título de pai da internet. Clique aqui para entender qual o papel de Kahn e Cerf na criação da internet. Quem Inventou A Internet Já ouviu falar em Tim-Berners-Lee? Conheça o homem que tornou possível a comunicação na internet. Imagem: Drserg/iStock A grosso modo, Berners-Lee tornou possível a comercialização da internet, que antes só existia para a comunicação entre militares, universidades e laboratórios de pesquisa.

O que o Tim Berners-Lee criou?

Tim Berners-Lee e o boom da internet – Mesmo que a internet já existisse desde a década de 1960, a ideia de “navegar na web”, acessando sites e se comunicando de forma instantânea, só começou a ser traçada a partir dos anos 1990. Antes disso, como comentamos anteriormente, o uso da internet era extremamente limitado.

  • Os próprios cientistas que faziam seu uso tinham dificuldade para se comunicar e trocar informações através do sistema.
  • Para que imagens, textos e títulos estivessem organizados em uma página como estamos familiarizados hoje, era preciso que existisse um protocolo que lesse e reunisse essas informações.

Você já deve estar imaginando quem conseguiu fazer isso, certo? Ele mesmo, Tim Berners-Lee: criador do sistema World Wide Web, o primeiro navegador de internet.

Quem revolucionou a internet?

Criação do www (world wide web) – Mas o progresso não parou por aí. Em 1989, Tim Berners-Lee desenvolveu a World Wide Web, mais conhecida como WWW, para facilitar o trabalho colaborativo no CERN. Basicamente, a WWW é utilizada como um sistema de entrega de documentos de hipertexto (HTTP), que são interconectados e acessados ​​por meio de navegadores da Web conectados à internet.

Qual foi a primeira mensagem enviada pela internet?

Primeira mensagem enviada “online” completa 50 anos: conheça essa história Quem Inventou A Internet Pesquisadores trabalham no desenvolvimento da Arpanet (Foto: Divulgação) Há 50 anos, um professor de ciência da computação da Universidade da Califórnia, Los Angeles (UCLA) e seu aluno enviaram a primeira mensagem por meio de um antecessor da internet, uma rede chamada ARPANET.

  1. Em 29 de outubro de 1969, Leonard Kleinrock e Charley Kline enviaram ao pesquisador da Universidade de Stanford Bill Duval uma mensagem de duas letras: “lo.” A mensagem pretendida, a palavra completa “login”, tinha sido truncada por uma pane no computador.
  2. Nos dias de hoje, muito mais tráfego viaja pela internet, com bilhões de e-mails sendo enviados e pesquisas realizadas diariamente.

Como um estudioso de como a internet é governada, sei que a vasta rede de comunicações atual é resultado de escolhas feitas por governos e reguladores que coletivamente construíram a internet de hoje. Aqui estão cinco momentos chave nessa jornada: 1978 – Falha de criptografia Os primeiros pioneiros da internet, de certa forma, foram notadamente perspicazes.

Em 1973, um grupo de estudantes de colégio teria conseguido acesso à ARPANET, que supostamente deveria ser uma rede fechada gerenciada pelo Pentágono. Os cientistas da computação Vinton Cerf e Robert Kahn sugeriram criar criptografias para os principais protocolos da internet, o que tornaria muito mais difícil que hackers comprometessem o sistema.

Mas a comunidade de inteligências dos Estados Unidos contestou isso, embora os oficiais não tenham dito publicamente por quê. O único motivo para que essa intervenção tenha vindo à público é porque Cerf sugeriu isso em 1983 em um artigo de sua co-autoria.

Como resultado, hoje basicamente todos os usuários da internet precisam lidar com senhas complexas e sistemas de autenticação multifator para garantir a segurança das comunicações. Pessoas com necessidades de segurança mais avançadas frequentemente usam redes virtuais privadas ou softwares especializados com o Tor para criptografarem sua atividade online.

Contudo, os computadores podem não ter contado com poder de processamento suficiente para criptografar efetivamente as comunicações na internet. Isso poderia causar lentidão à rede, tornando-a menos atrativa aos usuários — atrasando, ou até mesmo impedindo, um uso amplo por pesquisadores e pelo público. Quem Inventou A Internet Sala da UCLA onde a Arpanet foi criada (Foto: Divulgação) 1983: Nasce ‘a Internet” Para a internet realmente ser uma entidade global, todos os diferentes tipos de computador precisaram falar a mesma língua para que fossem capazes de se comunicar uns com os outros — diretamente, se possível, em vez de diminuir o ritmo ao utilizar tradutores.

Centenas de cientistas de vários governos colaboraram para conceber o que eles chamaram de padrão de Interconexão de Sistemas Abertos (Open Systems Interconnection). Tratava-se de um complexo método que os críticos consideravam ineficiente e difícil de ser escalável nas redes existentes. Cerf e Kahn, no entanto, propuseram uma outra maneira, chamada de Protocolo de Controle de Transmissão/Protocolo de Internet (Transmission Control Protocol/Internet Protocol).

O TCP/IP funcionava mais como uma correspondência — embrulhando mensagens em pacotes e colocando o endereço do lado de fora. O que todos os computadores da rede precisavam fazer era passar a mensagem para seu destinatário, onde o computador receptor descobriria o que fazer com a informação.

E isso era gratuito para qualquer um copiar e utilizar em seus próprios computadores. Foi o TCP/IP — que era funcional e gratuito — que possibilitou a rápida e global difusão da internet. Uma variedade de governos, incluindo os Estados Unidos, chegaram a declarar apoio ao OSI, mas tarde demais para fazer diferença.

O TCP/IP havia tornado a internet mais barata, mais inovativa e menos amarrada aos padrões oficiais de governo. saiba mais A internet de ontem, hoje e amanhã 1996: Conversas online reguladas Em 1996, a internet contava com mais de 73 mil servidores, e 22% dos norte-americanos estavam online.

  • O que eles encontravam lá, no entanto, preocupou alguns membros do Congresso e seus constituintes — particularmente, a quantidade crescente de pornografia.
  • Em resposta, o Congresso aprovou a Lei de Decência nas Comunicações, que buscava regular a indecência e a obscenidade no ciberespaço.
  • A Suprema Corte derrubou partes da lei no ano seguinte, embasando-se na liberdade de expressão, mas manteve a Seção 230, que decretava: “Nenhum provedor ou usuário de um serviço interativo de computador deve ser tratado como o editor ou porta-voz de qualquer informação provida por outro provedor de conteúdo.” Essas palavras, como notaram vários observadores, liberaram os provedores de serviços de internet e as companhias de hospedagem das responsabilidades legais sobre as informações que seus clientes publicassem ou compartilhassem online.

Essa única sentença garantiu uma segurança jurídica que permitiu que a indústria de tecnologia dos Estados Unidos florescesse. A proteção fez com que as empresas se sentissem confortáveis para criar uma internet focada nos consumidores, repleta de veículos de mídia tradicionais, blogueiros, avaliações de clientes e conteúdo gerado por usuários. Quem Inventou A Internet (Foto: Pixabay) 1998: O controle dos Estados Unidos se intensifica O programa de endereçamento do TCP/IP requer que todo computador ou dispositivo conectado à internet tenha um único endereço particular — o que, por motivos computacionais, é uma sequência de números como “192.168.2.201”.

  • Mas isso é algo difícil para as pessoas memorizarem — é muito mais fácil lembrar de algo como “indiana.edu.” Deveria haver um registro centralizado de quais nomes correspondem a quais endereços, para que as pessoas não se confundissem ou visitassem um site que não tinham a intenção.
  • Originalmente, começando no final da década de 1960, esse registro era mantido num disquete por um homem chamado Jon Postel.

Em 1998, porém, ele e outros especialistas afirmaram que essa quantidade significativa de poder não deveria estar concentrada em uma só pessoa. Naquele ano, o Departamento de Comércio dos Estados Unidos estabeleceu um plano de transição desse controle para uma nova organização privada sem fins lucrativos, a Corporação da Internet para Nomes e Números Atribuídos (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers) — mais conhecida como ICANN — que tinha o objetivo de gerenciar os endereços da internet ao redor do mundo.

  1. Por quase 20 anos, a ICANN fez esse trabalho sob um contrato com o Departamento de Comércio, embora as objeções quanto ao controle por parte do governo dos Estados Unidos tenham crescido constantemente.
  2. Em 2016, o contrato com o Departamento de Comércio expirou, e a administração da ICANN mudou para conselho de representantes de mais de 100 países.

Outros grupos que gerenciam aspectos chave das comunicações na internet têm diferentes estruturas. A Força-Tarefa de Engenharia da Internet (Internet Engineering Task Force), por exemplo, é uma organização técnica voluntária, aberta a todos. Existem desvantagens a essa abordagem, mas ela tem diminuído tanto a realidade quanto a percepção do controle por parte dos Estados Unidos. Quem Inventou A Internet (Foto: Divulgação) 2010: A guerra chega à internet Em junho de 2010, pesquisadores de cibersegurança revelaram a descoberta de uma sofisticada arma cibernética chamada de Stuxnet, criada especificamente para atingir os equipamentos utilizados pelo Irã em seus esforços de desenvolver armas nucleares.

Ela está entre os primeiros ataques digitais conhecidos que causaram danos físicos reais. Quase uma década depois, ficou claro que a Stuxnet abriu os olhos dos governos e de outros grupos online para a possibilidade de causar significante devastação por meio da internet. Atualmente, nações lançam mão de ciberataques com crescente regularidade, atacando uma gama de alvos militares e até mesmo civis.

Certamente há motivos de esperança para paz e comunhão online, mas essas decisões — juntamente com muitas outras — moldaram o ciberespaço e a rotina de milhões de pessoas. Refletir sobre essas escolhas do passado podem ajudar a embasar decisões futuras — sobre como a lei internacional deve ser aplicada em ciberataques, ou mesmo como regular a inteligência artificial.