Početna – ThaiConsulate

Tips, Reviews, Recommendations

Quanto Tempo Demora Para Receber A PensO Por Morte Depois De Dar Entrada?

Quanto tempo leva para receber o primeiro pagamento de pensão por morte?

Quanto tempo demora para o INSS pagar a Pensão por Morte? – A lei determina que o INSS deve conceder o benefício em até 45 dias após a solicitação. No entanto, devido a fila de requerimentos do INSS, o pagamento pode demorar mais para ser efetuado.

Como saber se foi aprovada a pensão por morte?

Consulta benefício INSS pelo CPF: número e situação

  1. Aprenda a consultar o número do benefício do INSS pelo CPF

Fábela Quintiliano em 19 de setembro de 2023 às 10:28 Ao fazer a consulta do benefício previdenciário muitas pessoas usam o número do benefício. Mas, e se você não tiver memorizado os 10 números ou não estiver com eles em mãos? Criamos este artigo para te ajudar a fazer a consulta do número do benefício e outros serviços usando o seu CPF.

Confira as melhores soluções meutudo para você
Produto Taxa a partir de Pagamento
Empréstimo Consignado 1,80% a.m 6 a 84 parcelas
Portabilidade Consignado 1,70% a.m 6 a 84 parcelas

Caso queira consultar informações sobre o seu, mas não está com o NB em mãos, é possível fazer a consulta por meio do CPF. Saiba também: Abaixo listamos as 4 formas para que você consiga fazer a consulta:

  • Consultar o benefício pelo site do Meu INSS;
  • No aplicativo Meu INSS;
  • Descobrir o número pela Central 135;
  • Descobrir o número na agência do INSS.

O site do agrupa diversos serviços digitais do INSS e, por meio dele, você consegue consultar seu número do benefício, acessar seu, etc. Veja o passo a passo:

  1. Acesse o Meu INSS;
  2. Clique em “Entrar com gov.br”;
  3. Informe seu CPF e para fazer login (caso não tenha cadastro será necessário realizar);
  4. Na tela inicial aparecerá o nome do seu benefício juntamente com o número.

Quanto Tempo Demora Para Receber A PensO Por Morte Depois De Dar Entrada Caso queira consultar outro serviço, basta clicar na aba “Serviços” e selecionar o desejado. Também é possível fazer a consulta pelo aplicativo Meu INSS, que está disponível para Android e IOS na loja do seu celular, veja o passo a passo:

  1. Abra o aplicativo e clique em “Entrar com gov.br”;
  2. Informe seu CPF e senha para fazer login (caso não tenha cadastro será necessário realizar);
  3. Autorize o uso de dados pessoais;
  4. Na tela inicial aparecerá o nome do seu benefício juntamente com o número.

Para consultar os serviços disponíveis, clique no menu que fica no canto superior esquerdo, simbolizado por três linhas na horizontal. Se ainda ficou com alguma dúvida sobre consultar o número do benefício pelo Meu INSS, confira o passo a passo abaixo: Quanto Tempo Demora Para Receber A PensO Por Morte Depois De Dar Entrada Quanto Tempo Demora Para Receber A PensO Por Morte Depois De Dar Entrada Quanto Tempo Demora Para Receber A PensO Por Morte Depois De Dar Entrada Ainda é possível fazer a consulta do número do benefício e outras informações pela Central de, basta discar o número 135. Veja como:

  1. Ligue para o número 135 e informe seu CPF;
  2. Confirme algumas informações que são feitas por medida de segurança, para evitar fraude e proteger seus dados.

Pronto! Feitas as confirmações, o atendente informará o número do seu benefício e outras informações que precise saber. Veja mais: Para obter informações do benefício, você pode se dirigir a uma unidade do INSS, fornecendo seu CPF e mostrando seus documentos de identificação.

Vale destacar que, antes de realizar qualquer procedimento ou consulta online, é imprescindível estar registrado no portal Meu INSS e possuir uma senha de acesso. A consulta de situação de benefício é uma forma de acompanhar o andamento dos processos de concessão de, Para realizar a consulta, não é necessário ter o número do benefício, apenas acessar o site do Meu INSS com o número do CPF e a senha cadastrada na sua,

Após o login, basta procurar pelo termo “meus benefícios”, e ao clicar na opção, será aberta uma lista dos seguros solicitados. Clicando sobre um deles é possível acompanhar a situação. As possíveis situações em que o seu benefício pode se encontrar na consulta são:

  • Habilitado: Quando seus documentos foram entregues no INSS e estão sob análise;
  • Deferido: Quando seu benefício já foi analisado e será concedido para você;
  • : Quando seu benefício já foi analisado, mas a concessão foi negada.

Leia também:

  • Você deve consultar o benefício sempre que quiser saber informações referentes ao seu extrato, data de pagamento, agendar, fazer empréstimo, etc. I
  • Quem deseja fazer empréstimo consignado, deve estar com o benefício ativo e possuir disponível.
  • Simule seu com a meutudo, contrate e receba dinheiro na conta em até 24 horas!

Saiba mais: Se ainda tem dúvidas, deixa ela aqui nos comentários e vamos te ajudar no que for preciso. E para não perder nenhuma informação, inscreva-se e receba nossos conteúdos diretamente no seu e-mail. Todo benefício do INSS é identificado através de um código de 10 dígitos, chamado de número do benefício.

É possível encontrar o número do benefício do INSS no Meu INSS, Carta de Concessão do benefício, pelo telefone 135 ou indo pessoalmente até uma agência física da Previdência Social. Por meio do CPF você pode consultar o número do benefício de três formas bem simples: fazendo login do site do Meu INSS, acessando o aplicativo Meu INSS e ainda ligando na Central 135.

A consulta pode ser feita pela internet, no site ou aplicativo Meu INSS. Faça login com CPF e senha e, logo na página inicial, clique na opção “Meus benefícios”. Você pode consultar o número do seu benefício previdenciário na plataforma Meu INSS, número 135, carta de concessão do benefício ou cartão do benefício do INSS. A meutudo pertence à TUDO Serviços S.A. (“TUDO”), CNPJ 27.852.506/0001-85, localizada à Rua Professor Dias da Rocha, nº 296, Meireles, Fortaleza/CE, CEP: 60170-310, é uma fintech que facilita o acesso de clientes a empréstimos consignados. Atuamos como correspondente bancário de instituições financeiras, atividade regulada pelo Banco Central do Brasil, nos termos da Resolução nº 4.935, de 29 de Julho de 2021.

Para Empréstimo Novo e Portabilidade, atua como correspondente bancário da PARATI CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A, instituição financeira devidamente constituída e existente de acordo com as leis do Brasil, com sede na Cidade de Vitória, Estado do Espírito Santo, e inscrita no CNPJ/MF sob o nº 03.311.443/0001-91 (“PARATI”) – Canais de Atendimento da PARATI: www.paratifinanceira.com.br / Telefone: +55 (27) 2123-4777 / Ouvidoria: [email protected].

No Saque-Aniversário do FGTS, atua como correspondente bancário da QI SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A., sociedade de crédito direto com sede na cidade de São Paulo, estado de São Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 32.402.502/0001-35, neste ato representada na forma de seu Estatuto Social (“QI TECH”) – Canais de atendimento da QI TECH: https://qitech.com.br/ ou [email protected] / Telefone: 0800 700 8836 / Ouvidoria: 0800 0244 346 ou [email protected].

Informações adicionais sobre o empréstimo consignado: prazo mínimo de 6 meses e máximo de 84 meses. Valor mínimo de empréstimo R$ 1.500,00. Taxa de juros a partir de 1,80% a.m. e CET a partir de 1,93% a.m. Informações adicionais sobre portabilidade de empréstimo consignado: taxa de juros a partir de 1,70% a.m e CET a partir de 1,67% a.m.

Informações adicionais sobre antecipação saque-aniversário: taxa de juros a partir de 1,80% a.m e CET a partir de 1,92% a.m. Os valores mencionados podem variar a partir das condições no momento da contratação. Simular empréstimo : Consulta benefício INSS pelo CPF: número e situação

Quanto tempo demora para receber pensão por morte 2023?

Qual é o valor da pensão por morte? – Esta reforma que houve na previdência estabeleceu novos cálculos do valor da pensão por porte. Para quem já era aposentado, a pensão é de 50% do valor da aposentadoria, mais 10% para cada dependente, limitada a 100%,

Já o cônjuge que não possui dependentes, receberá 60%. Se forem dois dependentes, serão 70%, e se forem três, 80%. Chegará em 100% para cinco ou mais dependentes. Para quem não era aposentado, o INSS faz o cálculo de quanto seria a aposentadoria por incapacidade permanente da pessoa que morreu. Será considerado 60% da média salarial calculada com todos os salários de contribuição, contados a partir de julho de 1994, com acréscimo de dois pontos percentuais para cada ano de pagamento do INSS que passar de 15 anos de contribuição para as mulheres e 20 anos de contribuição para os homens, até o limite de 100%.

A partir disso o INSS irá aplicar a regra de cota de 50% do valor mais 10% de cada dependente! Se o segurado falecer devido a um acidente de trabalho ou doença profissional, essas cotas serão aplicadas sobre 100% da média salarial. Isso acontecerá também se o dependente for inválido ou tiver deficiência intelectual, ou mental.

Após a solicitação da pensão por morte, por lei, o INSS concederá o benefício em até 45 dias após o pedido! Se esse pedido for feito em até 90 dias após a morte do segurado, a pensão por morte será paga de forma retroativa, desde a data do falecimento. Se ultrapassar 90 dias para a solicitação, o pagamento será retroativo à data pedido.

Exceto em casos de menores de 16 anos ou dependentes considerados incapazes. Estes terão até 180 dias após a morte para receber os valores retroativos. Ligue agora e agende uma reunião,

Qual é o valor da pensão por morte?

A reforma da Previdência de 2019 estabeleceu mudanças no cálculo do valor da pensão por morte. Para quem já era aposentado: O valor da pensão será de 50% da aposentadoria mais 10% para cada dependente, limitado a 100%. Um cônjuge sem outros dependentes, por exemplo, receberá 60%.

Como é pago o retroativo da pensão por morte?

Para fazer o pedido dos atrasados, é necessário ter em mãos a documentação que comprove que seu filho é dependente do falecido e também os documentos que comprovem a concessão do benefício de pensão por morte. Por isso, é importante se informar e agir rapidamente para não perder esse direito.

Quem tem direito a 100% da pensão por morte?

Segundo a lei, quando o dependente do segurado que morreu é considerado inválido ou tem alguma deficiência física, mental ou intelectual, o valor da pensão deve ser de 100%, sem nenhum desconto.

Quanto tempo demora para carta do INSS chega?

Depois da carta de concessão, quanto tempo demora para receber? – Depois que você já está com a carta de concessão do seu benefício, o INSS tem um prazo mínimo de 45 dias para começar a realizar o pagamento do benefício concedido. Esse tempo/prazo está no artigo 174 do Regulamento da Previdência Social: O primeiro pagamento do benefício será efetuado em até quarenta e cinco dias após a data da apresentação, pelo segurado, da documentação necessária à sua concessão.

  1. Portanto, você demora pelo menos 45 dias para receber seu benefício,
  2. Não adianta ir até o banco no primeiro dia em que você estiver com a sua carta de concessão em mãos, muito provavelmente recebida pela empresa de Correios.
  3. Ou, então, recebida pelo site ou aplicativo do Meu INSS.
  4. Dificilmente, qualquer segurado tem os valores do seu benefício liberados de forma tão imediata.

Por isso, é importante verificar a data de início do pagamento do benefício anotada na sua carta de concessão ou, ainda, no extrato de pagamento de benefício, também disponível no Meu INSS. Afinal, esses documentos mostram as principais informações do benefício aprovado. (Fonte: Meu INSS) Além do mais, atente-se à documentação exigida para o benefício que você solicitar. Caso contrário, você não apenas vai demorar mais tempo para ter a sua carta de concessão deferida. Isso também influenciará no tempo de recebimento do seu benefício.

Atenção: não confunda o tempo de análise, concessão ou de negativa de benefício, com o tempo de pagamento do benefício a partir do recebimento da carta de concessão. Segundo a Lei de Processos Administrativos, o INSS tem 30 dias (prorrogável por + 30 dias), para conceder ou negar um requerimento após o protocolo do pedido de benefício.

A partir de então, você tem, pelo menos, mais 45 dias para receber o benefício concedido pelo Instituto. Basta conferir na sua carta de concessão,

Quais os motivos que leva uma viúva perder a pensão do INSS?

Quais os motivos que levam uma viúva perder a pensão do INSS? – Como vimos acima, a pensão por morte é cancelada quando o tempo máximo do benefício chega ao fim. Porém, ainda existem outras formas da viúva ter o benefício cancelado. Uma delas, é o reaparecimento da pessoa dada como falecida nos casos da morte presumida.

Quem não é casado no civil tem direito a pensão por morte?

Quando uma pessoa é casada, e o seu cônjuge vem a falecer, provavelmente você já deve ter ouvido falar sobre o direito à pensão por morte do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Em caso de união estável, porém, será que a pensão por morte será garantida da mesma forma que é assegurada a cônjuges ou filhos? Sim.

Quem recebe pensão por morte pode passar para outra pessoa?

Pensão por morte pode ser transferida? – A pensão por morte não pode ser transferida! Nem para filhos, pais, irmãos ou terceiros. No caso de falecimento de um dos dependentes, a parte dependente falecido é extinta, não sendo repassado a outros beneficiários.

Quem recebe pensão por morte pode trabalhar com carteira assinada?

Sim, o beneficiário da Pensão por Morte pode ter carteira assinada e trabalhar de forma formal. A pensão não é um impeditivo para o trabalho, sendo assim, o beneficiário pode exercer atividades remuneradas normalmente.

Como funciona a pensão por morte no INSS?

A Pensão por Morte é devida aos dependentes daquele que: É segurado do INSS; Está em qualidade de segurado (o chamado ‘período de graça’); Estiver recebendo benefício ou possuir direito adquirido a benefício.

Quando a pessoa morre como fica o benefício do INSS?

No Direito: – O Direito Previdenciário prevê que quando a pessoa morre a aposentadoria é cancelada automaticamente. Apesar de um momento delicado na vida de muitas famílias, o falecimento de um segurado do INSS acarreta em diversas movimentações burocráticas.

Como funciona a pensão de viúva?

A viúva tem direito à aposentadoria do marido falecido?

  1. A viúva pode ter direito à aposentadoria do marido falecido?

, Camila Freitas em 29 de agosto de 2023 às 17:14

  • Após a morte do cônjuge, uma das principais questões que as viúvas se deparam é se elas possuem direito à aposentadoria do marido falecido, ou seja, se há direito a uma renda de amparo.
  • Nesse sentido, vamos abordar quais são os requisitos necessários para que a viúva possa requerer a aposentadoria do marido falecido e quais são os direitos dela nessa situação.
  • Continue a leitura e confira mais informações a respeito.

A é um dos direitos dos segurados do INSS e pode ser solicitada tanto por homens quanto por mulheres. Existem, contudo, leis que determinam que as viúvas têm direito a e à pensão da aposentadoria do marido falecido. Veja mais:

  1. Além disso, um contribuinte previdenciário que faleceu também pode deixar pensão para seus dependentes, dentre eles a viúva.
  2. Nos dois últimos casos, é necessário a comprovação de que o segurado ou contribuinte falecido contribuiu para o INSS durante a vida útil, para que a viúva possa receber o benefício.
  3. Para ter direito à, as pessoas devem comprovar que dependiam economicamente do falecido ou ter um grau de parentesco.
  4. Existem vários fatores que indicam a dependência, são eles:
  • Parentesco;
  • Idade do filho e do cônjuge;
  • Existência de deficiências;
  • Estado civil (se a pessoa é casada ou divorciada, etc.).

Saiba sobre: 

  • Resumidamente, a pessoa que está apta para receber a pensão por morte é aquela que tinha alguma ligação e dependia economicamente do ente falecido,
  • Entende-se por dependentes todos aqueles que dependiam economicamente da pessoa que veio a óbito,
  • Existe uma lei que define os dependentes do falecido em três classes, ela é chamada de l.

Saiba também: Os dependentes estão divididos em classes, são elas:

  • Classe 01: cônjuge, filhos e companheiros;
  • Classe 02: Pais;
  • Classe 03: Irmãos.

Pode parecer confuso, mas o que acontece é que, quando um aposentado falecer e deixar dependentes, o direito à aposentadoria se transforma em pensão por morte, Veja também: É necessário comprovar o vínculo e a dependência em relação ao falecido, além de cumprir os requisitos exigidos pela Previdência Social. Os requisitos necessários para ter direito à pensão por morte são:

  • O óbito;
  • A qualidade de segurado do falecido;
  • A qualidade de dependente em relação ao segurado falecido.

Entenda também:

  1. Vale ressaltar que, para este benefício, não é exigido, mas é necessário que a morte tenha ocorrido enquanto a pessoa falecida estiver segurada.
  2. Sim, é possível a viúva receber a pensão por morte e acumular a aposentadoria a que tem direito.
  3. Apesar das mudanças feitas na Reforma da Previdência de 2019, ainda é possível,

Entenda:

  • Conforme o artigo 24, §1º da Emenda Constitucional 103/19, é possível acumular:
  • I – pensão por morte deixada por cônjuge ou companheiro de um regime de previdência social com pensão por morte concedida por outro regime de previdência social ou com pensões decorrentes das atividades militares de que tratam os arts.42 e 142 da Constituição Federal;
  • II – pensão por morte deixada por cônjuge ou companheiro de um regime de previdência social com aposentadoria concedida no âmbito do Regime Geral de Previdência Social ou de regime próprio de previdência social ou com proventos de inatividade decorrentes das atividades militares de que tratam os arts.42 e 142 da Constituição Federal; ou

III – pensões decorrentes das atividades militares de que tratam os arts.42 e 142 da Constituição Federal com aposentadoria concedida no âmbito do Regime Geral de Previdência Social ou de regime próprio de previdência social. Atualmente, é aplicado um redutor no benefício menos vantajoso, que afeta o valor dos benefícios recebidos. Veja como funciona:

  • 60% do valor que exceder 1 salário-mínimo, até o limite de 2 salários-mínimos;
  • 40% do valor que exceder 2 salários-mínimos, até o limite de 3 salários-mínimos;
  • 20% do valor que exceder 3 salários-mínimos, até o limite de 4 salários-mínimos;
  • 10% do valor que exceder 4 salários-mínimos.
  1. Portanto, apesar de acumular a pensão por morte e outro benefício, a previdência não permite que se receba altas quantias.
  2. O tempo de recebimento da pensão depende da idade que a viúva tem no momento da morte.
  3. Com a Reforma da Previdência de 2019, a lei mudou e agora, nem sempre é permitido que o cônjuge receba a pensão de forma vitalícia.

Saiba mais: Após essa mudança, a duração da pensão por morte da seguinte forma:

TEMPO DE DURAÇÃO DA PENSÃO POR MORTE
IDADE DO CÔNJUGE DURAÇÃO DA PENSÃO
menos de 21 anos de idade 3 anos de pensão
entre 22 e 27 anos de idade 6 anos de pensão
entre 28 e 30 anos de idade 10 anos de pensão
entre 31 e 41 anos de idade 15 anos de pensão
entre 42 e 44 anos de idade 20 anos de pensão
45 anos de idade ou mais Vitalícia

ul>

  • Portanto, para ter a é preciso que o cônjuge tenha mais de 45 anos e, se já estiver recebendo um outro benefício do INSS, será feito um cálculo, onde somente o de maior valor ficará integral e o outro benefício será reduzido.
  • Para a aposentadoria do marido falecido passar para a viúva, ela deverá solicitar a pensão por morte, junto ao INSS.
  • Vale lembrar que não existe um prazo para, entretanto, quanto antes der entrada no pedido, mais rápido ele poderá ser liberado.
  • Importante: A pensão por morte dá direito ao pagamento dos retroativos, por exemplo, caso se passe 6 meses entre a solicitação e a liberação do benefício, os dependentes terão direito a esses 6 meses.
  • O cálculo da pensão por morte mudou após a Reforma da Previdência, com isso, a pensão que era integral, ou seja, 100% da aposentadoria, não é mais assim. Leia mais: Atualmente, é pago 50% do valor da aposentadoria + 10% para cada dependente, sendo o limite de 100% o valor da aposentadoria. Importante: A pensão por morte nunca será menor que 1.

    Evento Ref. Valor
    Isento R$ 0,00

    ol>

  • Para receber a aposentadoria do marido falecido, a viúva deverá entrar com o pedido de pensão por morte junto ao INSS.
  • Para solicitar a pensão por morte é preciso entrar na plataforma, após reunir todos os documentos necessários para o requerimento.
  • Veja abaixo como solicitar o benefício:
    1. Entre no aplicativo ou site usando seu login do, Se não tiver cadastro, basta fazer um novo;
    2. Ao entrar, clique na opção “Novo “;
    3. Você será redirecionado a uma página com uma lista de serviços;
    4. Digite no campo “pesquisar” a palavra “pensão” e selecione o serviço desejado;
    5. Agora será preciso preencher alguns dados para concluir o pedido;
    6. Após confirmar os dados e atualizar sua ficha, você precisará anexar os documentos;
    7. Agora é a hora de preencher seu cep e selecionar uma agência para a concessão do benefício;
    8. Marque a caixa “Declaro que li e estou de acordo” e avance.

    Pronto! Seu pedido será confirmado e você poderá acompanhá-lo pelo site ou pelo aplicativo Meu INSS. Agora que você já sabe se a viúva tem direito à aposentadoria do marido falecido, pode compartilhar nosso conteúdo com seus amigos que também precisam dessa informação.

    • Para ficar sempre atualizado sobre INSS e consignado, se inscreva abaixo e receba semanalmente nossos conteúdos.
    • Se ela for casada ou mantiver uma relação estável, possui direito à pensão por morte, pois a dependência econômica dos parentes é presumida juridicamente e não é necessário apresentar comprovação de dependência.

    Tem direito a pensão as pessoas que têm algum grau de parentesco e era dependente economicamente do falecido. Somente em 2 casos, o primeiro ao completar a idade estabelecida pela tabela de duração e o segundo, ao solicitar uma outra pensão por morte, neste caso, ela poderá escolher a mais alta. A meutudo pertence à TUDO Serviços S.A. (“TUDO”), CNPJ 27.852.506/0001-85, localizada à Rua Professor Dias da Rocha, nº 296, Meireles, Fortaleza/CE, CEP: 60170-310, é uma fintech que facilita o acesso de clientes a empréstimos consignados. Atuamos como correspondente bancário de instituições financeiras, atividade regulada pelo Banco Central do Brasil, nos termos da Resolução nº 4.935, de 29 de Julho de 2021.

    Para Empréstimo Novo e Portabilidade, atua como correspondente bancário da PARATI CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A, instituição financeira devidamente constituída e existente de acordo com as leis do Brasil, com sede na Cidade de Vitória, Estado do Espírito Santo, e inscrita no CNPJ/MF sob o nº 03.311.443/0001-91 (“PARATI”) – Canais de Atendimento da PARATI: www.paratifinanceira.com.br / Telefone: +55 (27) 2123-4777 / Ouvidoria: [email protected].

    No Saque-Aniversário do FGTS, atua como correspondente bancário da QI SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A., sociedade de crédito direto com sede na cidade de São Paulo, estado de São Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 32.402.502/0001-35, neste ato representada na forma de seu Estatuto Social (“QI TECH”) – Canais de atendimento da QI TECH: https://qitech.com.br/ ou [email protected] / Telefone: 0800 700 8836 / Ouvidoria: 0800 0244 346 ou [email protected].

    • Informações adicionais sobre o empréstimo consignado: prazo mínimo de 6 meses e máximo de 84 meses.
    • Valor mínimo de empréstimo R$ 1.500,00.
    • Taxa de juros a partir de 1,80% a.m.
    • E CET a partir de 1,93% a.m.
    • Informações adicionais sobre portabilidade de empréstimo consignado: taxa de juros a partir de 1,70% a.m e CET a partir de 1,67% a.m.

    Informações adicionais sobre antecipação saque-aniversário: taxa de juros a partir de 1,80% a.m e CET a partir de 1,92% a.m. Os valores mencionados podem variar a partir das condições no momento da contratação. Simular empréstimo : A viúva tem direito à aposentadoria do marido falecido?

    Como faço pra ver se o benefício foi aprovado?

    Como saber se meu benefício do INSS foi aprovado? – Para consultar o recurso no INSS não é necessário comparecer presencialmente em nenhuma agência. Para isso, basta acessar o aplicativo “Meu INSS” com os mesmos dados de login e senha cadastrados no momento da solicitação do requerimento e procurar pela opção “Consultar Pedidos”.

    Como saber se o meu benefício está em análise?

    Benefício em análise: o que significa? – Benefício em análise significa que o INSS está validando as informações para responder se você tem ou não direito ao pedido solicitado. Geralmente, o benefício fica em análise ao requerer uma aposentadoria, auxílio ou pensão ou após cumprir alguma exigência do Instituto para dar andamento ao requerimento.

    Por que o INSS demora tanto para analisar um processo?

    1. Por que o INSS demora tanto para analisar um requerimento? – Existem diversas razões que podem explicar a demora do INSS para analisar um requerimento de aposentadoria:

    aumento no número de pedidosfalta de servidores para analisar todos os requerimentoso uso de tecnologias que não são tão eficienteserros do próprio segurado ao fazer o pedido de aposentadoria sem o auxílio de um advogado especializado

    A população brasileira está envelhecendo e, infelizmente, adoecendo muito mais e, por isso a demanda por benefícios previdenciários aumenta diariamente. Entretanto, esses pedidos encontram uma barreira gigantesca no INSS: a falta de servidores para fazer a sua análise.

    Com a falta de gente para atender a população, a análise dos processos fica mais lenta. O INSS, no intuito de diminuir a fila de espera, deixou de fazer grande parte dos atendimentos presenciais e passou todo o acompanhamento para a era digital. Infelizmente muitos segurados não tem acesso à internet e quando tem, na sua grande maioria não sabe utilizar.

    Assim, o INSS implementou uma grande barreira social para esses trabalhadores. Além disso, começou a usar o conhecido “robô do INSS”, uma tecnologia que realiza a análise automática do benefício. O que poderia ser uma boa notícia, gerou dor de cabeça e mais demora para os aposentados: aumento no número de indeferimentos automáticos e recursos administrativos.

    Como a análise é feita de forma automática pelo robô do INSS, a única informação que ele tem acesso é o CNIS – Cadastro Nacional de Informações Sociais, um documento que pode estar cheio de erros que levam ao indeferimento da aposentadoria. Nem sempre todo o período trabalhado é computado pelo sistema ou todas as informações constam no CNIS e quando isso acontece, a responsabilidade de comprovar as contribuições e os vínculos empregatícios é do próprio segurado.

    O indeferimento por erro do CNIS pode ser evitado pelo segurado com o planejamento previdenciário, por exemplo. Com o planejamento previdenciário, o segurado terá uma análise completa feita por uma equipe de advogados especialistas que irão demonstrar o que precisa ser regularizado e quais são os documentos necessários.

    Quanto a viúva recebe de pensão?

    60% do valor que exceder 1 salário-mínimo, até o limite de 2 salários-mínimos; 40% do valor que exceder 2 salários-mínimos, até o limite de 3 salários-mínimos; 20% do valor que exceder 3 salários-mínimos, até o limite de 4 salários-mínimos; 10% do valor que exceder 4 salários-mínimos.

    Quais são as novas regras da pensão por morte?

    STF decide que redução da pensão por morte é constitucional – 30/06/2023 – 00h00

    STF decide que redução da pensão por morte é constitucional

    O Supremo Tribunal Federal decidiu que a redução da pensão por morte feita na reforma da Previdência é constitucional. Antes da reforma, a pensão era de 100% da aposentadoria do falecido. Agora, é de 50% mais 10% por dependente, sendo que o cônjuge é um dependente.

    • A Confederação dos Trabalhadores Assalariados e Assalariadas Rurais questionou a mudança, argumentando que isso interferia na manutenção de uma vida “digna”.
    • Mas o relator, Luís Roberto Barroso, disse que a pensão é um “alento” para que os dependentes se reorganizem financeiramente.
    • Outros pontos da reforma estão em discussão no Supremo e deverão passar por julgamentos nos próximos meses.

    Apresentação – Silvia Mugnatto Quanto Tempo Demora Para Receber A PensO Por Morte Depois De Dar Entrada Em um minuto, dicas sobre direitos do consumidor, pagamento de impostos e investimentos. Diariamente, ao longo da programação

    Quanto tempo demora para receber a carta de concessão do INSS?

    Até 30 dia(s) corrido(s) é o tempo estimado para a prestação deste serviço. Este serviço é gratuito para o cidadão. Ligue para a Central de Atendimento do INSS pelo telefone 135. O serviço está disponível de segunda a sábado das 7h às 22h (horário de Brasília).

    Quanto a viúva recebe de pensão?

    60% do valor que exceder 1 salário-mínimo, até o limite de 2 salários-mínimos; 40% do valor que exceder 2 salários-mínimos, até o limite de 3 salários-mínimos; 20% do valor que exceder 3 salários-mínimos, até o limite de 4 salários-mínimos; 10% do valor que exceder 4 salários-mínimos.

    Quem não é casado no civil tem direito a pensão por morte?

    Quando uma pessoa é casada, e o seu cônjuge vem a falecer, provavelmente você já deve ter ouvido falar sobre o direito à pensão por morte do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Em caso de união estável, porém, será que a pensão por morte será garantida da mesma forma que é assegurada a cônjuges ou filhos? Sim.