Početna – ThaiConsulate

Tips, Reviews, Recommendations

Quando Estou Fraco Que Sou Forte?

Porque quando estou fraco é que sou forte?

Page 4 – 1 Quem dera me suportásseis um pouco na minha loucura! Suportai-me, porém, ainda.

  • 2 Porque estou de vós com zelo de Deus; porque vos tenho para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo.
  • 3 Mas temo que, assim como a Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo.
  • 4 Porque, se alguém viesse pregar-vos que nós não temos pregado, ou recebêsseis outro espírito que não recebestes, ou outro evangelho que não abraçastes, de bom grado o suportaríeis.
  • 5 Porque penso que em nada fui inferior aos mais excelentes apóstolos.
  • 6 E se também sou rude na palavra, não o sou contudo no conhecimento; mas já em tudo nos temos feito conhecer totalmente entre vós.
  • 7 Pequei porventura, humilhando-me a mim mesmo, para que vós fôsseis enaltecidos, porque vos anunciei o evangelho de Deus?
  • 8 eu para vos servir, recebendo delas salário; e quando estava presente convosco, e tinha necessidade, a ninguém fui pesado.
  • 9 Porque os irmãos que vieram da Macedônia supriram a minha necessidade; e em tudo me guardei de vos ser pesado, e ainda me guardarei.
  • 10 Como a verdade de Cristo está em mim, esse enaltecimento não me será impedido nas regiões da Acaia.

11 Por quê? Porque não vos amo? Deus o sabe.

  1. 12 Mas eu o faço, e o farei, para cortar ocasião aos que buscam, para que, naquilo em que se gloriam, sejam achados assim como nós.
  2. 13 Porque tais são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo.
  3. 14 E não é de admirar, porque o próprio se transfigura em de luz.
  4. 15 Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça, o dos quais será conforme as suas obras.
  5. 16 Outra vez digo: ninguém me julgue insensato, ou então como insensato, para que também me glorie um pouco.
  6. 17 O que digo, não o digo segundo o Senhor, mas como por loucura nesta confiança de gloriar-me.
  7. 18 Visto que muitos se gloriam segundo a carne, eu também me gloriarei.
  8. 19 Porque, sendo sensatos, de bom grado tolerais os insensatos.
  9. 20 Pois o tolerais, se alguém vos põe em, se alguém vos devora, se alguém vos apanha, se alguém se exalta, se alguém vos fere no rosto.
  10. 21 Para o digo, como se nós fôssemos fracos, mas naquilo em que qualquer tem ousadia (com insensatez falo) também eu tenho ousadia.

22 São ? Também eu. São ? Também eu. São ? Também eu; 23 São de Cristo? (falo como fora de mim) ainda mais; em trabalhos, muito mais; em, mais do que eles; em prisões, muito mais; em perigo de morte, muitas vezes.

  • 24 Recebi cinco vezes dos judeus uma quarentena de açoites menos um.
  • 25 Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo.
  • 26 Em viagens, muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos.
  • 27 Em trabalhos e fadiga, em vigílias, muitas vezes, em fome e sede, em jejum, muitas vezes, em frio e nudez.
  • 28 Além das coisas exteriores, me sobrevém cada dia o cuidado de todas as igrejas.

29 Quem enfraquece, que eu também não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu ?

  1. 30 Se convém gloriar-me, gloriar-me-ei no que diz respeito à minha fraqueza.
  2. 31 O Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que é eternamente bendito, sabe que não minto.
  3. 32 Em Damasco, o governador sob o rei Aretas pôs guardas às portas da cidade dos damascenos, para me prenderem.
  4. 33 E fui descido num cesto por uma janela da muralha; e assim escapei das suas mãos.

Porque quando estou fraco então sou forte 2 Coríntios 12-10?

2 Coríntios 12:10. É na sua fraqueza que o poder de Jesus se manifesta!

Quando sou fraco e que sou forte Bíblia católica?

9 Mas ele me disse: Basta-te minha graça, porque é na fraqueza que se revela totalmente a minha força. Portanto, prefiro gloriar-me das minhas fraquezas, para que habite em mim a força de Cristo.10 Eis por que sinto alegria nas fraquezas, nas afrontas, nas necessidades, nas perseguições, no profundo desgosto sofrido por amor de Cristo. Porque quando me sinto fraco, então é que sou forte.

Quando estou fraco é que sou forte NVI?

2 Coríntios 12:10 NVI Pois, quando sou fraco, é que sou forte.

O que a Bíblia fala sobre fraqueza espiritual?

Quando Deus age na fraqueza – Brasil Escola “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.” 2 Coríntios 12:10 Parece que Deus gosta de pessoas fracas.

  1. Se acompanharmos a história humana e Bíblica veremos pessoas que Deus as chamou de amigos, servos fieis e cometeram deslizes graves.
  2. Moisés foi chamado por Deus e seu gênio não era dos mais fáceis por causa disso matou um egípcio e para complicar ainda o enterrou pensando ninguém ter visto.
  3. Depois quando foi acusado desse crime fugiu com medo de morrer.

Abraão um homem com intimidade com Deus quando saiu de sua terra por duas vezes disse que sua esposa era irmã com medo de morrer. Sansão por desobediência perdeu sua força e morreu tragicamente na mão de uma mulher que seu pai havia dito para não se envolver – Dalila, que o enganou e ele contou onde estava sua força.

Davi outro que amava Deus mais do que todas as forças caiu em pecado por força da fraqueza que era as mulheres, tinha todas que ele quisesse, mas se encantou com uma que estava no terraço tomando banho, não só a desejou como a possuiu e ainda matou seu marido para não ser descoberto. Perdeu o filho devido ao pecado, mas tinha um coração tremendo e arrependido.

No Novo Testamento temos Pedro, medroso temperamental, afoito e quando Jesus foi preso corta a orelha do centurião Romano e Jesus a consertou, mas quando recebe o Espírito Santo se torna corajoso. Quando digo fraco, falo de pessoas que erraram, vacilaram na fé, mas com profundo relacionamento com Deus a ponto de suas falhas serem uma oportunidade de poderosa intervenção do Senhor em suas vidas.

Hoje não é diferente Deus ainda chama homens e mulheres cheios de falhas, mas com um coração pronto a se arrepender. Todos nós somos falhos, podemos enumerar listas de fraquezas. Temos fraquezas físicas, emocionais e até de caráter. O importante é saber o que fazer com cada fraqueza. Se as usa para o mal ou leva-las perante aquele que pode perdoar pecados – JESUS CRISTO.

“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.”(Isaias 55:8-9) Você não tem fraquezas por acaso, elas são a fonte de manifestação do poder de Deus em cristo Jesus sobre nossas vidas.

  • É o meio que Ele pode te usar e você não se engrandecer.
  • Deus não fica impressionado com nossas forças e nem com nossa capacidade de vencer o possível, mas fica encantado quando damos conta de vencer a barreira que nos é posta e seguimos em vitória Nele.
  • Ninguém neste mundo é absolutamente brilhante, quem convive com você sabe disso, mostramos muitas vezes sermos perfeitos em público, mas o nosso particular Deus conhece.

Ser forte gera em nós individualismo, mas quando admitimos nossa fraqueza e buscamos a força de Cristo em nossas vidas Deus não fica limitado ás nossas limitações, Ele as usa para nos fazer crescer Nele, pois somente Nele somos mais que vencedores. Precisamos admitir que somos falhos, fracos e cheios de defeitos, não apenas olhar o próximo e a criticar, seja sempre honesto consigo mesmo, sua visão sobre você ira mudar consequentemente sobre os outros mudará também.

  1. Não podemos esquecer.
  2. SOMOS APENAS HUMANOS.
  3. Nossas fraquezas nos impede de sermos arrogantes, veja o que Paulo disse sobre sua fraqueza: “E, para que me não exaltasse demais pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de que eu não me exalte demais.”(II Corintios 12:7) Paulo sabia que se ele deixasse seu espírito se exaltaria no seu saber e comunhão com Jesus.

Não desanime nunca, faça sempre como Jacó, lutou com Deus teve sua vida marcada, mas foi mudado. Lute com suas fraquezas não as deixe te desanimar nem tirar você do alvo que é Jesus Cristo. Somente Ele consegue enxergar em suas fraquezas ponto forte para atuação milagrosa.

  1. Quando sou fraco ai sim em cristo sou forte “Desse tal me gloriarei, mas de mim mesmo não me gloriarei, senão nas minhas fraquezas.
  2. Pois, se quiser gloriar-me, não serei insensato, porque direi a verdade.”(II Corintios 12:5-6) O poder de Deus só se aperfeiçoa em nossas vidas pelas nossas fraquezas.
  3. Esteja sempre atento a voz do espírito Santo sobre sua vida, pois Ele é quem nos capacita e realização da obra de Deus.

Pois o chamado de Cristo já foi dado e cabe a nós a realização da obra Dele aqui na terra. ” E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.”( Mateus 28:18-20) Cada um tem seu lado de fraqueza e cada um Deus usa como lhe apraz.

O que significa o poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza?

9 Mas ele me disse: ‘Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza’.

O que quer dizer 2 Coríntios 12 9?

Força na fraqueza Paulo fez uma afirmação difícil de entender, e mais difícil ainda de aplicar na nossa vida: “Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte” (2 Coríntios 12:10). Atrás dessas palavras enigmáticas encontramos algumas lições importantes e edificantes.

  • Vamos procurar entender o que Paulo disse e como aplicar esse ensinamento quando enfrentamos dificuldades.
  • Paulo sofreu de algum espinho na carne Ele disse: “E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi_me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte.

Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim.” (2 Coríntios 12:7-8). Algumas pessoas gastam muito tempo especulando sobre o espinho na carne. O fato é que Paulo não revelou o que foi, e ninguém hoje sabe. O que importa não é a natureza do espinho, mas a maneira que Paulo o encarou.

Observe estes fatos em 2 Coríntios 12:7-9: 1. Paulo reconheceu Satanás como a fonte do problema, Ele disse que o espinho era “mensageiro de Satanás”, Por que Satanás mandaria um mensageiro a Paulo? Sabemos muito bem que o diabo quer a nossa ruína. Ele quer nos devorar como leão que ruge (1 Pedro 5:8).

Na vida de Paulo, como na vida de bilhões de outras pessoas, Satanás usou o sofrimento para tentar derrotá-lo.2. Deus usou aquele espinho e recusou tirá-lo da vida de Paulo. Aqui aprendemos uma coisa importante sobre os males da vida. Deus não causou o sofrimento no mundo, e ele não nos tenta (Tiago 1:13).

  • Muitas vezes, ao invés de tirar os problemas das nossas vidas, ele os utiliza para o nosso bem.
  • Deus amou Paulo, mas ele não o poupou de todo sofrimento.
  • Jamais devemos interpretar problemas como sinais do desprezo de Deus.
  • Ele pode usar calamidades para castigar os ímpios, mas, ele também permite tribulações na vida de seus filhos (Hebreus 12:5-11).

Como Deus usou o sofrimento de Paulo Quando Deus recusou tirar o espinho da vida de Paulo, ele ofereceu esta explicação: “A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2 Coríntios 12:9). A graça contradiz o merecer. Se Paulo, no passado, se julgou auto-suficiente, ele não continuou assim (veja Filipenses 3:4-11).

Nas tribulações, ele aprendeu depender da graça do Senhor. Quando sentimos que temos tudo sob controle por causa da nossa própria capacidade, facilmente esquecemos de Deus. Nas horas de maior fraqueza, quando sentimos incapazes de resolver os nossos problemas sozinhos, tendemos a voltar para Deus e nos entregar à poderosa mão dele.

Nossa inteligência não nos basta. Nossos recursos financeiros não nos bastam. Nossos amigos não conseguem preencher as nossas necessidades. A graça de Deus nos basta, e o poder dele se manifesta através da nossa fraqueza. É exatamente isso que Paulo entendeu: “De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo” (2 Coríntios 12:9).

Como Paulo usou seu próprio sofrimento As palavras de Paulo em 2 Coríntios 12:10 são impressionantes, refletindo uma maturidade espiritual que poucos alcançam: “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.” Ele sentia prazer no sofrimento! Será que nós sentimos a mesma coisa? É comum sentir pena de si, ou amargura, ou profunda depressão, mas sentir prazer? O comentário de Paulo não trata de alguma prática louca de autoflagelação, mas de sua capacidade de confiar plenamente no Senhor.

Ele entendeu que o sofrimento nos oferece oportunidades para aproximar mais de Deus, e Paulo aproveitou tais oportunidades ao máximo. Da mesma forma que a pessoa que pratica ginástica ou musculação pode sentir prazer no esforço e sofrimento da malhação, visando os resultados em termos da saúde física, Paulo sentia prazer nas angústias da vida, tendo em vista os resultados de crescimento espiritual e do galardão eterno.

Tiago falou a mesma coisa: “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes” (Tiago 1:2-4).

Paulo explica seu prazer em dois sentidos: 1.”.por amor de Cristo”, Quando Paulo admitiu sua própria incapacidade, ele deixou Cristo tomar conta da vida dele. Como Cristo morreu para nos dar vida, nosso velho homem morre para dar lugar para Jesus viver: “Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus.

  1. Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim” (Gálatas 2:19-20).
  2. Jesus aceitou a “fraqueza” da sua forma humana para se entregar por nós.
  3. É somente quando aceitamos a nossa própria inadequação que temos condições de nos entregar a Cristo.2.
See also:  O Que Acontece Quando Para De Tomar Anticoncepcional?

“Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte”, Quando Paulo confiou plenamente em Cristo, se esvaziando do orgulho e da idéia de ser autônomo, ele ganhou força bem maior. Cristo vivendo em Paulo era infinitamente mais forte do que Paulo sozinho. Como nós usamos o sofrimento? Considere as palavras que Paulo usa em 2 Coríntios 12:10.

Como você reage aos mesmos desafios na sua vida? Paulo enfrentou: Fraquezas, Você se sente incapaz de enfrentar algumas fraquezas (problemas, tentações vícios, etc.)? Essas fraquezas devem servir de convite para permitir Jesus reinar na sua vida. Injúrias, Você foi maltratado ou ofendido por outros? O diabo quer usar suas injúrias como motivo de ódio, vingança e blasfêmia.

Mas Deus quer que você fique forte, usando essas injúrias como oportunidade para crescer. Necessidades, Você enfrenta grandes dificuldades financeiras? Não sabe como resolvê-las? Nada melhor que a fome para tornar o homem dependente de Deus. Jesus deu este desafio: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

  1. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal” (Mateus 6:33-34).
  2. Pessoas que nunca conheceram a pobreza têm dificuldade em entender esse princípio.
  3. Quando temos geladeiras abastecidas e armários cheios de alimentos, é difícil imaginar a circunstância que Jesus descreve.

Esse é, sem dúvida, um dos motivos que poucos ricos são convertidos a Cristo (1 Coríntios 1:26-29; Marcos 10:23-25). Perseguições, Quando sofremos por causa de Cristo, é o momento de desistir ou de ficar mais firmes que nunca? Muitas pessoas egoístas justificam sua desistência porque não querem sofrer.

Mas os discípulos verdadeiros imitam o exemplo dos cristãos hebreus: “Lembrai_vos, porém, dos dias anteriores, em que, depois de iluminados, sustentastes grande luta e sofrimentos; ora expostos como em espetáculo, tanto de opróbrio quanto de tribulações, ora tornando_vos co_participantes com aqueles que desse modo foram tratados.

Porque não somente vos compadecestes dos encarcerados, como também aceitastes com alegria o espólio dos vossos bens, tendo ciência de possuirdes vós mesmos patrimônio superior e durável. Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma” (Hebreus 10:32-34,39).

  • Falando de perseguições, devemos lembrar que fazem parte da vida do cristão.
  • Paulo usou uma palavra bem abrangente para frisar esse fato: “Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (2 Timóteo 3:12).
  • Nenhum servo do Senhor tem imunidade da perseguição.
  • Angústias.
  • A palavra usada aqui vem de uma raiz que descreve lugares estreitos ou apertados.

Muitas pessoas sofrem de claustrofobia. Quando se encontram em lugares apertados e fechados sentem-se desesperadas. Espiritualmente, muitos reagem da mesma forma. Quando se vê em apuros, como você reage? Abandona os princípios de Deus e age de uma forma errada no desespero? A única saída é aceitar o fato que você é incapaz de sair do problema sozinho.

  • Temos que reconhecer a necessidade da graça de Deus, para aceitar o resgate que ele nos oferece.
  • Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.
  • E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” (Filipenses 4:6-7).

Os servos do Senhor sofrem nessa vida. Enfrentamos perseguições, angústias, fraquezas, necessidades, etc. Da mesma maneira que Deus recusou tirar o espinho de Paulo, ele pode deixar qualquer um de nós em circunstâncias difíceis e desagradáveis. Quando nos encontramos nessas situações, vamos ter a fé e a coragem que Paulo mostrou para aproveitar a oportunidade e crescer espiritualmente.

Quando nos entregamos a Cristo, encontramos a graça e a força verdadeira. Dennis Allan Leia mais sobre este assunto: Sofrimento O exemplo de Jó ESTUDOS BÍBLICOS PESQUISAR NO SITE MENSAGENS EM ÁUDIO MENSAGENS EM VÍDEO ESTUDOS TEXTUAIS ANDANDO NA VERDADE O QUE ESTÁ ESCRITO? O QUE A BIBLIA DIZ? O Que Esta Escrito? ©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009 Redator: Dennis Allan, C.P.500 – Jarinu – SP – CEP: 13240-970 Andando na Verdade ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008 Redator: Dennis Allan, C.P.500 – Jarinu – SP – CEP: 13240-970 Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho.

/ All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work. Estudos Bíblicos estudosdabiblia.net ©1995-2017 Karl Hennecke, USA

Quem escreveu 2 Coríntios 12-10?

2 Coríntios 12 é o décimo-segundo capítulo da Segunda Epístola aos Coríntios, de autoria do Apóstolo Paulo, no Novo Testamento da Bíblia.

Quem escreveu a carta aos Coríntios?

Para quem e por que esse livro foi escrito? – Essa epístola foi escrita aos membros da Igreja da cidade de Corinto. Paulo havia pregado o evangelho em Corinto por quase dois anos (ver Atos 18:1–8 ) e organizou um ramo da Igreja ali (ver Guia para Estudo das Escrituras, “Epístolas Paulinas” ).

  1. Mais tarde, enquanto Paulo estava pregando em Éfeso durante sua terceira viagem missionária, ele recebeu uma correspondência dos membros da Igreja de Corinto.
  2. Ele escreveu uma resposta para o ramo (ver 1 Coríntios 5:9 ), mas infelizmente essa epístola foi perdida e, portanto, não se encontra em nossas escrituras.

Mais tarde, Paulo recebeu outro relatório dos membros da Igreja em Corinto sobre os problemas da Igreja naquele lugar (ver 1 Coríntios 1:11 ) e respondeu escrevendo outra epístola, que ficou conhecida como 1 Coríntios. Consequentemente, 1 Coríntios é realmente a segunda carta de Paulo aos membros em Corinto.

Na época de Paulo, Corinto era a capital da província romana de Acaia, que abrangia a maior parte da antiga Grécia ao sul da Macedônia. Como um centro de comércio rico, Corinto atraía pessoas de todo o Império Romano, tornando-se uma das cidades mais diversificadas da região. A adoração de ídolos dominava a cultura religiosa de Corinto, e havia vários templos e santuários por toda a cidade.

Na época do ministério de Paulo, os coríntios tinham a reputação de serem extremamente imorais. Por exemplo, rituais de prostituição eram supostamente praticados no templo de Afrodite. A Primeira Epístola de Paulo aos Coríntios deixa bem claro que os membros da Igreja não eram unidos e que algumas práticas e crenças pagãs começavam a influenciar sua observância dos princípios do evangelho e das ordenanças (ver 1 Coríntios 1:11 ; 6:1–8 ; 10:20–22 ; 11:18–22 ).

O que a Bíblia fala sobre o terceiro céu?

II Coríntios 12:2 —Paulo Vê o Reino Celestial O Élder Bruce R. McConkie disse: ‘Falando de si mesmo, Paulo disse que foi ‘arrebatado ao terceiro céu’, que é o reino celestial’. (The Mortal Messiah, 4:394).

O que fazer quando se sentir fraco na fé?

O que devo fazer quando sinto que minha fé está enfraquecendo? A fé deve ser cultivada a cada dia. A participação na missa, nas atividades da comunidade, as orações pessoais, a leitura bíblica, o sacramento da penitência e algum trabalho de ajuda a pessoas necessitadas são algumas atitudes que ajudarão no cultivo da sua fé.

Mas nem sempre podemos senti-la de maneira constante. Há tempos em que algumas situações podem interferir e não sentimos aquele ardor que tínhamos antes: pode ser o stress, alguma situação de ansiedade, angústias, etc. Isso é fase, depois passa e faz parte também do crescimento da fé. Toda fé tem de ser amadurecida e o seu amadurecimento passa também por situações que vão provar ou dar qualidade à fé.

A fé de uma criança é diferente da fé de uma pessoa adulta. Em Eclesiástico 2, 1-2 podemos refletir sobre a fé, “¹Filho, se pretendes servir ao Senhor, permanece firme na justiça e no temor e prepara-te para a provação. ²Governa teu coração e sê constante, inclina teu ouvido e acolhe as palavras de sabedoria e não te perturbes no tempo da adversidade”.

É importante rezar mesmo sentindo-se fraco na fé. Santo Afonso dizia que a oração mais perfeita não é aquela feita no momento de fervor da fé, mas aquela quando estamos nos sentindo frios na fé, porque é aí que se mostra que verdadeiramente fizemos a opção por Deus. É fácil rezar quando temos vontade, é difícil rezar nos momentos de frieza espiritual.

Mas se permanecer firme na opção por Jesus, é porque realmente está madura e sabe da sua importância para a vida. Os grandes santos também passaram por esses momentos de frieza na fé, basta vê Madre Tereza de Calcutá, que passou anos sentindo-se na aridez espiritual, por mais ou menos 50 anos, mas nunca deixou de agir como Deus, acolhendo aqueles que encontravam abandonados.

  1. Manter-se no caminho de Deus, é possível sintir-se acolhido por Ele e protegido, Ele não se afasta de quem se sente só.
  2. Na Carta de São Tiago 2, 14-18 podemos aprender uma lição sobre a Fé.
  3. Há momentos em que a fé parece estar ausente, a vida fica sem sentido, acaba aquele ardor de antes.
  4. É natural que isso aconteça, é um momento de prova da sua fé, quando você deve perseverar na oração, mesmo que não tenha vontade de rezar.

Às vezes a vida fica sem graça, falta a alegria, o entusiasmo, energia a gente olha pra enxergar Deus e parece que Ele resolveu sumir. É claro que não, Deus continua ali pertinho de você, mas esse momento de turbulência interior não te deixa enxerga-lo com o coração, algo está impedindo você entrar na intimidade com Deus.

O que Jesus fala sobre fraqueza?

Quando Deus age na fraqueza – Brasil Escola “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.” 2 Coríntios 12:10 Parece que Deus gosta de pessoas fracas.

Se acompanharmos a história humana e Bíblica veremos pessoas que Deus as chamou de amigos, servos fieis e cometeram deslizes graves. Moisés foi chamado por Deus e seu gênio não era dos mais fáceis por causa disso matou um egípcio e para complicar ainda o enterrou pensando ninguém ter visto. Depois quando foi acusado desse crime fugiu com medo de morrer.

Abraão um homem com intimidade com Deus quando saiu de sua terra por duas vezes disse que sua esposa era irmã com medo de morrer. Sansão por desobediência perdeu sua força e morreu tragicamente na mão de uma mulher que seu pai havia dito para não se envolver – Dalila, que o enganou e ele contou onde estava sua força.

  1. Davi outro que amava Deus mais do que todas as forças caiu em pecado por força da fraqueza que era as mulheres, tinha todas que ele quisesse, mas se encantou com uma que estava no terraço tomando banho, não só a desejou como a possuiu e ainda matou seu marido para não ser descoberto.
  2. Perdeu o filho devido ao pecado, mas tinha um coração tremendo e arrependido.

No Novo Testamento temos Pedro, medroso temperamental, afoito e quando Jesus foi preso corta a orelha do centurião Romano e Jesus a consertou, mas quando recebe o Espírito Santo se torna corajoso. Quando digo fraco, falo de pessoas que erraram, vacilaram na fé, mas com profundo relacionamento com Deus a ponto de suas falhas serem uma oportunidade de poderosa intervenção do Senhor em suas vidas.

Hoje não é diferente Deus ainda chama homens e mulheres cheios de falhas, mas com um coração pronto a se arrepender. Todos nós somos falhos, podemos enumerar listas de fraquezas. Temos fraquezas físicas, emocionais e até de caráter. O importante é saber o que fazer com cada fraqueza. Se as usa para o mal ou leva-las perante aquele que pode perdoar pecados – JESUS CRISTO.

“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.”(Isaias 55:8-9) Você não tem fraquezas por acaso, elas são a fonte de manifestação do poder de Deus em cristo Jesus sobre nossas vidas.

É o meio que Ele pode te usar e você não se engrandecer. Deus não fica impressionado com nossas forças e nem com nossa capacidade de vencer o possível, mas fica encantado quando damos conta de vencer a barreira que nos é posta e seguimos em vitória Nele. Ninguém neste mundo é absolutamente brilhante, quem convive com você sabe disso, mostramos muitas vezes sermos perfeitos em público, mas o nosso particular Deus conhece.

Ser forte gera em nós individualismo, mas quando admitimos nossa fraqueza e buscamos a força de Cristo em nossas vidas Deus não fica limitado ás nossas limitações, Ele as usa para nos fazer crescer Nele, pois somente Nele somos mais que vencedores. Precisamos admitir que somos falhos, fracos e cheios de defeitos, não apenas olhar o próximo e a criticar, seja sempre honesto consigo mesmo, sua visão sobre você ira mudar consequentemente sobre os outros mudará também.

  • Não podemos esquecer.
  • SOMOS APENAS HUMANOS.
  • Nossas fraquezas nos impede de sermos arrogantes, veja o que Paulo disse sobre sua fraqueza: “E, para que me não exaltasse demais pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de que eu não me exalte demais.”(II Corintios 12:7) Paulo sabia que se ele deixasse seu espírito se exaltaria no seu saber e comunhão com Jesus.

Não desanime nunca, faça sempre como Jacó, lutou com Deus teve sua vida marcada, mas foi mudado. Lute com suas fraquezas não as deixe te desanimar nem tirar você do alvo que é Jesus Cristo. Somente Ele consegue enxergar em suas fraquezas ponto forte para atuação milagrosa.

  • Quando sou fraco ai sim em cristo sou forte “Desse tal me gloriarei, mas de mim mesmo não me gloriarei, senão nas minhas fraquezas.
  • Pois, se quiser gloriar-me, não serei insensato, porque direi a verdade.”(II Corintios 12:5-6) O poder de Deus só se aperfeiçoa em nossas vidas pelas nossas fraquezas.
  • Esteja sempre atento a voz do espírito Santo sobre sua vida, pois Ele é quem nos capacita e realização da obra de Deus.

Pois o chamado de Cristo já foi dado e cabe a nós a realização da obra Dele aqui na terra. ” E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.”( Mateus 28:18-20) Cada um tem seu lado de fraqueza e cada um Deus usa como lhe apraz.

Como pedir a Deus força?

separateur Created with Sketch. The Len | Shutterstock Reportagem local – publicado em 18/01/17 – atualizado em 17/09/23 Nosso Deus é o Deus dos desafios e das vitórias, não da comodidade e do menor esforço Deus nunca abandonará você. O estilo de Deus vai além da nossa imaginação, porque Ele é o Deus das surpresas e nos responde das formas mais inesperadas. Assuma os desafios que lhe surgem. Acredite em Deus, no seu amor, no seu poder ilimitado. Acredite em si mesmo e em tudo o que Deus colocou no seu coração. Não escute as vozes que tentam desanimar e derrubar você. Você é o resultado do amor de Deus aperfeiçoando-se cada dia mais na sua vida! Caminhe firme e seguro com a esperança voltada a Jesus e às suas promessas: caminhar com Ele é triunfo e felicidade. Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida. Ele nos mostra que Deus é nosso Pai! Ele nos afirma que Deus nos ama e fará maravilhas em nós, mesmo que, em muitas situações, Ele permaneça calado ou pareça distante. Quando você se sentir sem fé e sem forças, diga a Deus: ” Tudo posso em Ti, que me fortaleces “. Esta oração não vai eliminar na hora todos os seus problemas, porque não é assim que Deus age: Ele nos trouxe a este mundo para que aprendamos a ser fortes, a lutar, a superar as dificuldades, a valorizar o bem, a deixar de lado aquilo que não nos realiza, a escolher o que vale a pena. Por isso Ele permite as dificuldades. Tudo tem uma razão, um sentido, uma finalidade. Por isso a oração não faz as dificuldades desaparecerem no mesmo instante, mas nos dá um pouco mais de paz, de serenidade, de recolhimento, de reflexão e de forças para enfrentar os problemas e encontrar as soluções. Nosso Deus é o Deus dos desafios e das vitórias, não da comodidade e do menor esforço. Ele é o Deus da esperança, da alegria, do triunfo, mas também o Deus que nos permite viver as dificuldades para crescermos e nos superarmos. ORAÇÃO PARA PEDIR FORÇAS A DEUS Deus, meu Pai, eu te peço coragem e lucidez para enfrentar todas as minhas dificuldades. Não me deixes desanimar! Tu és a minha fortaleza e a minha rocha firme, o meu escudo protetor diante das adversidades. Em ti deposito a minha fé e a minha esperança. Meu coração quer se sentir cheio de confiança em ti em todos os momentos, cheio da tua força para vencer os desafios e conquistar vitórias todos os dias! Ajuda-me a dar o melhor de mim, a me entregar plenamente à bondade e à pureza do teu amor de Pai, a ouvir a tua Palavra que me abraça, me sustenta, me impulsiona e encoraja a superar todos os obstáculos. Ajuda-me a explorar a profundidade do meu ser, a perscrutar a fundo e encontrar todos os talentos que semeaste em mim, para conseguir a felicidade em todas as tarefas do meu dia-a-dia. Em teu nome e com a tua ajuda, Pai, eu sei que posso vencer, porque aquele que confia em ti, na tua misericórdia e no teu amor, sempre triunfa contigo! Amém. “)},YZ=function() ;var ZZ=function() ;w(ZZ,DK);var $Z=function(a,b),a_=function(a,b) ;var b_=function(a,b,c,d,e,f,g) ;w(b_,WZ);l=b_.prototype; l.build=function() );new PJ(d,a.O,iI);T(a.o,d,”click”,function() );a_(a.j,d)});if(this.F) );$Z(this.j,b);b=new eK(b,this.O,5);F(this,b);b=new IK;$Z(this.j,b);new $J(b,this.O);b=new FK;new KJ(b,this.O,QH);b.o(this.H);$Z(this.j,b);b.A();if(this.G) }oJ(pJ(this.j.element,.3));NG(this.O,kI,null)};l.M=function() ;l.Wd=function() ;l.yf=function() ;l.fa=function() ;l.xd=function() ;l.Ne=function() ;var d_=function(a,b) );this.l=pf(“innerContainer”,this.element);this.B=Array.from(of(“overlaySelector”,this.element));this.B.forEach(function(d,e) )});c_(this,0);T(this.j,this.element,”mouseover”,function() );T(this.j,this.element,”mouseout”,function() )};w(d_,DK); d_.prototype.Pd=function(a) ;var c_=function(a,b),e_=function(a,b) a.o=b;a.o.Pd(a.C);var d;null==(d=a.l)||d.appendChild(b.element);T(a.j,b,”click”,function(e) )};l=d_.prototype;l.ik=function(a) ;l.zf=function() ;l.fa=function() ; l.bj=function() ;l.Hj=function() ;var g_=function(a,b,c,d) )};w(g_,WZ); g_.prototype.build=function() );d=new TK;new NJ(d,a.O,YH);CK(c,d);b.rc&&(b=new gL(!0),new KJ(b,a.O,tI),CK(c,b));return c});f_(this,0);this.l=new eL;new bK(this.l,this.O,YH);CK(this.j,this.l);MG(this.O,YH,function() );MG(this.O,oI,function() );S(this.C,this.A,”tick”, this.G);this.A.start()};g_.prototype.M=function() ;g_.prototype.stop=function() ;g_.prototype.G=function() ;var f_=function(a,b) ;l=g_.prototype;l.Wd=function() ;l.Ne=function() ;l.yf=function() ;l.fa=function() ; l.xd=function() ;var h_=function(a),i_=function(a) )},j_=function(a,b) });null!=h&&(b=h.Ga(),null!=b&&b.focus())}};function k_(a,b) function l_(a,b) return c} function o_(a) )}function n_(a) )}var m_=function() ;m_.prototype.getUiElements=function() ;m_.prototype.isSkippable=function() ;var p_=function(a,b,c,d) );HJ(this,zI,this.o,this)};w(p_,GJ);p_.prototype.o=function(a) ;var q_=function(a,b) );T(this.j,this.view.l,”learnMoreClicked”,function(d) );T(this.j,this.view.l,”updateGpid”,function(d) );T(this.j,this.view.l,”p-control-panel-hidden”, function() );HJ(this,vI,function(d),this)};w(q_,GJ);q_.prototype.fa=function() ;var r_=function() ;var s_=function(a) )};w(s_,DK);s_.prototype.fa=function() ;var t_=function(a,b,c,d,e,f),!0);this.K=new h_(b);this.A=null};w(t_,FJ);l=t_.prototype; l.build=function() );if(this.l.isSkippable()) );var b=new fL( );NK(this.j,b);var c=new eK(b,this.O,this.l.C);F(this,c);this.B&&b.fa()}if(this.l.l&&!this.B) this.l.D&&(b=new gL(!0),new KJ(b,this.O,tI),this.o?NK(this.j, b):d?CK(d,b):this.l.B?MK(this.j,b):NK(this.j,b));this.o&&(d=new dL,ZJ(new YJ(d,this.O)),SK(this.j,d),MG(this.O,vI,function(e) ));if(this.o||this.l.A&&!this.B)d=new UK(“author”),new LJ(d,this.O,WH,GH),MK(this.j,d),d=new FK,new LJ(d,this.O,XH,JH),this.o?RK(this.j,d):MK(this.j,d),d=new HK,new LJ(d,this.O,RH,HH),this.o?RK(this.j,d):MK(this.j,d),MG(this.O,GH,function() ),MG(this.O,JH,function() ),MG(this.O,HH,function() ); this.o?new QJ(this.j,this.O,!0):this.B||(d=SH,this.l.j||!this.l.W?d=uI:new JJ(this.j,!0),this.L?new PJ(this.j,this.O,d):(new KJ(this.j,this.O,d),this.j.Pd(!0)));this.l.jb.forEach(function(e) );var h=new q_(g,a.O);new p_(f,a.O,e,h)}else f=JN(“force_wta_top_left”)?new UK(“freeplayWta”):new UK(“vast”),h=V().P&&!V().Ld,new iK(f,a.O,e,h);VK(f,e.j,e.l);CK(a.j,f);a.C.push(f)}); this.o?(this.A=new XK,new LJ(this.A,this.O,fI,IH)):(this.A=new YK,new KJ(this.A,this.O,fI));MG(this.O,zI,function(e) );mg(this.o,ci,function() );this.re()};l.Ag=function() ;” l.yg=”function() ;l.re=function() ;var=”” u_=”function(a,b,c,d,e,f,g) ;w(u_,fj);l=”u_.prototype;l.build=function() ;l.Ag=function() ;l.yg=function() ;l.re=function() ;l.getConfig=function() ;l.m=”function() ;var” v_=”function(a,b,c,d) ;w(v_,FJ);” v_.prototype.build=”function() );nk(this.j,this.o);new=”” ek(this.o,this.o,0);var=”” xk(this.l.actions.title);new=”” kj(a,this.o,bi);mk(this.j,a);a=”new” fk;this.l.mc.xc&&(a.o(this.l.mc.xc),a.a());new=”” kj(a,this.o,bi);sk(this.j,a);a=”new” hk;this.l.mc.description&&(a.o(this.l.mc.description),a.a());sk(this.j,a);new=”” kj(a,this.o,bi);a=”new” uk(“author”);var=”” b=”this.l.Mc.Ka||this.B;b&&(a.o(b),a.A());new” kj(a,this.o,bi);mk(this.j,a);lk(this.j)};=”” var=”” w_=”function(a) ;v_.prototype.M=function() ;var” x_=”function(a) ;w(x_,DK);var” y_=”function(a,b,c,d,e,f) ;w(y_,WZ);l=y_.prototype;” l.build=”function() );this.j=”this.A.l(this.D);var” sj(this.j,this.o,!0);new=”” pj(this.j,this.o,ii);ck(this.o,this.j);this.h&&(b=”new” tk,new=”” nj(b,this.o,yh),ck(this.j,b),this.l=”new” el,new=”” bk(this.l,this.o,ji),ck(this.o,this.l));this.a.rc&&(b=”new” gl(!0),new=”” kj(b,this.o,ti),ck(this.j,b));ng(this.o,ki,null)};=”” l.wd=”function() ;l.yf=”function() ;l.fa=function() ;l.xd=function() ;l.ne=”function() ;var=”” z_=”function() );mg(this.o,ci,function() ;var A_=function() ;w(A_,DK);var B_=function(a,b) ;var C_=0,D_=vd(pd(qd(“https://pagead2.googlesyndication.com/pagead/expansion_embed.js”)));var E_=function(a) ;ab(a,function(c) );return b};var F_=function(a,b,c,d,e,f) ;this.j=null;this.H=Sa(this.G,this);this.D=f};w(F_,Fo); F_.prototype.G=function(a) catch(c) if(Na(b)&&(a=b.i,b.c===this.A&&a!=this.B)) catch(c) a=b.s;b=b.p;if(“string”===typeof a&&(“string”===typeof b||Na(b))&&this.C.hasOwnProperty(a))this.C(b)}}};var G_=function(a) ;b.c=a.A;b.i=a.B;a.D&&(b.e=a.D);a.o.postMessage(JSON.stringify(b),a.l)}; F_.prototype.F=function() catch(a) window.setTimeout(Sa(this.F,this),50)}};F_.prototype.connect=function(a) ;var H_=function(a,b,c),I_=function(a,b,c) ;d.c=a.A;d.i=a.B;d.s=b;d.p=c;try catch(e) };F_.prototype.M=function() ;var J_=function(a,b,c,d,e,f),K_=function(a) )},L_=function(a) a=m.scrollLeft;m=m.scrollTop;f.left=Math.max(f.left,a);f.top=Math.max(f.top,m);g=g.j;g=sf(g.parentWindow||g.defaultView||window);f.right=Math.min(f.right,a+g.width);f.bottom=Math.min(f.bottom,m+g.height);m=(f=(f=0 f.top&&f.right>f.left?f:null)?new yn(f.left,f.top,f.right-f.left,f.bottom-f.top):null)? An(e,f):null;g=a=0;m&&!m.getSize().isEmpty()&&(a=m.width/e.width,g=m.height/e.height);m=new ln(0,0,0,0);if(h=f)(e=An(e,f))?(k=zn(f),n=zn(e),h=n.right!=k.left&&k.right!=n.left,k=n.bottom!=k.top&&k.bottom!=n.top,h=(0!=e.width||h)&&(0!=e.height||k)):h=!1;h&&(m=new ln(Math.max(c.top-f.top,0),Math.max(f.left+f.width-c.right,0),Math.max(f.top+f.height-c.bottom,0),Math.max(c.left-f.left,0)));return new J_(b,c,d,m,a,g)};var M_=function(a) ;( )=vd(pd(qd(“https://s0.2mdn.net/ads/richmedia/studio/mu/templates/hifi/hifi.js”)));( )=vd(pd(qd(“https://s0.2mdn.net/ads/richmedia/studio_canary/mu/templates/hifi/hifi_canary.js”)));var N_=function(a) ;var O_=function(a,b) ;var P_=function(a,b,c,d,e,f,g,h) ;function Q_(a) var R_=function(a,b) ;R_.prototype.j=function(a) ;var S_=function(a,b,c) ;w(S_,R_);S_.prototype.j=function() )};var T_=function(a,b,c,d) ;w(T_,R_); T_.prototype.j=function() )};var U_=function(a,b,c) ;w(U_,R_);U_.prototype.j=function() )};var V_=function(a,b,c,d) ;w(V_,R_); V_.prototype.j=function() )};var W_=function(a,b) ;w(W_,R_);W_.prototype.j=function() )};var X_=function(a,b,c) ;w(X_,R_); X_.prototype.j=function() ;return R_.prototype.j.call(this,a)};var Y_=function(a,b,c,d,e,f) ;w(Y_,X_);Y_.prototype.j=function() ;this.o&&(a.sentinel=this.o);return JSON.stringify(a)}; var Z_=function(a,b,c,d) ;w(Z_,R_);Z_.prototype.j=function() )};var $_=function(a),a);return c};var a0=function(),c0=function(a,b,c,d,e),d0=function(a) a.j.length=0},b0=function(a,b,c,d) ;var i0=function(a),a.vc);this.G=-1;this.H=0;var f=Bz(415,function(),a.vc);cg(this.j,”load”,f);this.Yh=Bz(413,this.Yh,a.vc);this.ui=Bz(417,this.ui,a.vc);this.wi=Bz(419,this.wi,a.vc);this.Mh=Bz(411,this.Mh,a.vc);this.wh=Bz(409,this.wh,a.vc);this.L=Bz(410,this.L,a.vc);this.ni=Bz(416,this.ni,a.vc);this.l=new F_(this.aa,this.j.contentWindow,this.ha,!1);H_(this.l, “init_done”,Sa(this.Yh,this));H_(this.l,”register_done”,Sa(this.ui,this));H_(this.l,”report_error”,Sa(this.wi,this));H_(this.l,”expand_request”,Sa(this.Mh,this));H_(this.l,”collapse_request”,Sa(this.wh,this));H_(this.l,”creative_geometry_update”,Sa(this.L,this));this.l.connect(Sa(this.ni,this))};w(i0,M_); var f0=function(a,b,c),g0=function(a,b) };d=c?””:null!=d?d:””;d=a.J+”;”+d.length+”;”+d;k=new P_(a.A,a.ma,a.U,a.ca,new N_(k),a.F,a.qa,a.pa);var m= ;m.uid=k.o;m.hostPeerName=k.A;m.initialGeometry=K_(k.B);var n=k.permissions;n=JSON.stringify( );m=(m.permissions=n,m.metadata=JSON.stringify(k.l.j),m.reportCreativeGeometry=k.C,m.isDifferentSourceWindow=k.fg,m.goog_safeframe_hlt=E_(k.hostpageLibraryTokens),m);k.j&&(m.sentinel=k.j);k=JSON.stringify(m);d+=k;a.N&&f instanceof hf&&(k=vf(kf(a.C)),m=vf(kf(a.C)).location.protocol+a.K,C_||Xg(k.document,D_),C_++,k.google_eas_queue=k.google_eas_queue||,k.google_eas_queue.push( ));k=f.width;f=f.height;a.F&&(f=k=0);m= ;e=(m.id=e,m.title=g,m.name=d,m.scrolling=”no”,m.marginWidth=”0″,m.marginHeight=”0″,m.width=String(k),m.height=String(f),m=”true”,m);void 0===c&&(g=vf(kf(a.C)),f=a.ga,d=a.K,(k=f)&&(k=”?”+k),d=(void 0===d?”//tpc.googlesyndication.com”:d)+(“/safeframe/”+a.J+”/html/container.html”+k),(k=$_(g))&&(d+=(f?”&”:”?”)+”n=”+k),f=”https:”+d,d=,a.N&&(k=bh(g.location.href),g=d.push,k=.join(“”),g.call(d,k)),d.length&&(f+=”#” +d.join(“&”)),e.src=”f);null!==a.V&&(e.sandbox=a.V);h&&(e.allow=h);b&&(e.credentialless=”true”);e.role=”region”;e=”Advertisement”;e.tabIndex=”0″;c?(a.j=c,rf(a.j,e)):(c=,c=(c.frameborder=0,c.allowTransparency=”true”,c.style=”border:0;vertical-align:bottom;”,c.src=”about:blank”,c),e&&Zb(c,e),h=Wg(“IFRAME”),rf(h,c),a.j=h);a.F&&(a.j.style.minWidth=” “100%”);a.c.appendchild(a.j)};l=”i0.prototype;l.ni=function() ;” l.yh=”function(a) catch(e) };=”” l.ui=”function(a) };l.wi=”function(a) catch(f) };=”” l.mh=”function(a) else” c0(this.o,this.j,”zindex”,”10000″);var=”” p=”k.getWidth();c0(this.o,this.j,”width”,p+”px”);var” r=”k.getHeight();c0(this.o,this.j,”height”,r+”px”);c0(this.o,this.j,”left”,k.left+”px”);c0(this.o,this.j,”top”,k.top+”px”);this.P=” 2;this.b=”L_(this.j);d=!0}else” d=”!1}a=d;I_(this.l,”expand_response”,(new” y_(this.a,a,this.b,c.expand,c.push)).j());if(!a)throw=”” error(“viewport=”” or=”” document=”” body=”” large=”” enough=”” to=”” expand=”” into.”);}catch(v) };=”” l.wh=”function(a) catch(d) };var=”” h0=”function(a) };” i0.prototype.l=”function(a) }catch(g) };i0.prototype.t=”function() };var” j0=”function(a) ;=”” i0.prototype.destroy=”function() ;” var=”” e0=”function(a),k0=”,l0=,m0=,n0=dh(.concat(u(k0),u(l0)));dh(.concat(u(k0),u(m0)));dh(.concat(u(k0),u(l0),u(m0)));var” o0=”function(a) ):null)&&f(this,this.j);this.view=”new” a_};w(o0,fj);=”” o0.prototype.build=”function() this.l=”new” i0(,aq:function(),error:function() },wj:function(),pi:this.view.o,permissions:,xe:this.xe,lf:this.lf,gk:n0,size:this.bh,uniqueid:pe()});go(this,function() )};o0.prototype.m=”function() ;var” p0=”function() )};w(p0,DK);var” q0=”function(a,b,c) ;w(q0,fj);q0.prototype.build=”function() };var=”” s0=”function(a) ;w(s0,G);var” t0=”function(a,b,c) ;l=”s0.prototype;l.getAd=function() ;l.expand=”function() ;l.collapse=function() ;l.Jg=function() ;l.stop=function() ;l.destroy=function() ;l.init=function() ;l.start=function() ;l.pause=function() ;l.resume=function() ;l.skip=function() ;” l.getremainingtime=”function() ;l.getvolume=”function() ;l.setvolume=”function(a) ;l.Wb=function() ;l.resize=function(a,b) ;l.getDuration=function() ;l.xa=”function() ;l.bd=”function() ;l.qd=”function() ;l.getAdSkippableState=function() ;l.reportevent=”function(a) ;” l.fb=”function(a,b) ;l.Na=function(a,b) ;l.Zc=function() ;l.Fc=function() ;l.toString=function() ;var=”” u0=”function(a,b,c,d,e) ;w(u0,s0);u0.prototype.init=function() ;” u0.prototype.start=”function() a=”this.getAd().l;if((b=aM(a))&&b.l) w0(this);x0(this,”start”)};u0.prototype.destroy=function() ;” w0=”function(a) );a.A&&(T(a.B,a.A,”video_card_endcap_action”,function() ),t(a.b,a.a,”video_card_endcap_collapse”,function() ),t(a.b,a.a,”videoskipclicked”,function() ))},v0=”function(a) );t(a.b,b,”start”,function() );t(a.b,b,”contentpauserequested”,=”” function(c) );t(a.b,b,”contentresumerequested”,function() });t(a.b,b,”aderror”,function(c) );T(a.B,b,”allAdsCompleted”,function() );t(a.b,b,”skip”,function() );v().o&&w_(a.d);a.u=”setTimeout(function(),a.C.Gc.Me)}else” t0(a,”contentresumerequested”),t0(a,”alladscompleted”);object.assign(a.j,a.v)},y0=”function(a) ;b.url=a.K;t0(a,”navigationRequested”,b)};u0.prototype.qd=function() ;” z0=”function(a,b) ;u0.prototype.M=function() ;var” c0=”function(a) ;var” d0=”function(),e0=”function(a,b) ;var F0=,G0=function(a),H0=function(a,b) )},I0=function(a) return=”” null},j0=”function(a,b),K0=function(a) ;var” m0=”function() ;var” n0=”function(a,b) ;w(N0,vt);N0.prototype.bc=function() ;var=”” o0=”function(a,b,c,d,e) ;w(O0,G);var” r0=”function(a) ;o0.prototype.cc=”function() ;=”” var=”” p0=”function(a),S0=function(a),Q0=function(a) ; O0.prototype.J=function(a) }; o0.prototype.k=”function(a) ;var” v0=”function(a,b) 0==a.C.length&&(“always”==HN.getCompanionBackfill()&&a.B.l.C(aU()),b=new” n0(“adbreakfetcherror”,b),ip(gn),j(a,b))};o0.prototype.m=”function() ;” function=”” u0(a,b,c,d,e) )}function” w0(a,b) );return” 0 =c&&(c=jg()?500:1E3);0==d.length&&(d=v1());this.j=new ZG(d);c=new vH(c);d=new zH;a=new BH( );this.l=new AH( )};var x1=function(a,b,c) ;function y1(a,b,c) );tr(a,d)} function=”” z1(a) );TR(a,b)}” a1(a,b) c=HN.getFeatureFlags().audioPosterImageDefaultUrl;!b&&c&&(b=new KS(null,null,”Image”,c));return b};var B1=function(a) ;w(B1,G);B1.prototype.M=function() ; var C1=function(a),H1=function(a,b,c,d,e) );T(a.l,a.j,”durationChange”,function() );T(a.l,a.j,”canplay”,function() );S(a.l,a.j,”volumeChange”,a.Lm);S(a.l,a.j,”pause”,a.Gm);S(a.l,a.j,”play”,a.Hm);S(a.l,a.j,”end”,a.Em);S(a.l,a.j,”beginFullscreen”,a.ga);S(a.l,a.j,”endFullscreen”,a.V);S(a.l,a.j,”skip”,a.T);S(a.l,a.j,”skipShown”,a.cj);S(a.l,a.j,”start”,a.Im);S(a.l,a.j,”error”,a.Ok);S(a.l,a.j,”mediaLoadTimeout”,a.Pk);S(a.l,a.j,”autoplayDisallowed”,a.Nk);T(a.l,a.j,”loaded”,function() );G1(a,a.D,a.J)},G1= function(a,b,c) ),MG(c,pI,function() ),MG(c,qI,function() ),MG(c,PH,function() );I1(a,”skip”,!0,!1)}),MG(c,WH,function() ),MG(c,XH,function() ),MG(c,RH,function() ),MG(c,fI,function() ),MG(c,sI,function(d) ),MG(c,rI,function(d) ),MG(c,eI,function() ),MG(c,tI,function() ))},I1=function(a,b,c,d),F1=function(a,b) “error”!=b&&a.G.report(b)};B1.prototype.ha=function(a) ;B1.prototype.ma=function(a) ;B1.prototype.aa=function(a) ;var b=a.eventName;a=HO(b)&&a.queryId==this.A?b:null;null!=a&&I1(this,a,!0,!0)}; B1.prototype.U=function() };var L1=function(a) ;l=B1.prototype; l.Im=function() ;l.Lm=function() ; l.gm=”function() ;l.Hm=function() ;l.Em=function() ;l.lh=function() ;l.Ok=function() ;l.Pk=function() ;l.Nk=function() ;l.cj=function() ;” var=”” j1=”function(a) )},K1=function(a,b,c,d,e) ;c=(f.clickThroughUrl=c,f.attributionParams=d,f);0 =c&&V2(a,2)};P2.prototype.pause=function() ;P2.prototype.resume=function() ; var T2=function(a) ),Cu(a.B),a.B.start()):V2(a,2)};P2.prototype.xa=function() ; var R2=function(a),!0);b.resolve();break;case “SIMID:Creative:fatalError”:case “SIMID:Creative:requestStop”:b.resolve();V2(a,4);break;case “SIMID:Creative:requestSkip”:b.resolve();a.skip();break;case “SIMID:Creative:handleSkipShown”:t0(a,”skippableStateChanged”);a.reportEvent(“skipShown”);t0(a,”skipShown”);b.resolve();break; case “SIMID:Creative:reportTracking”:if(Array.isArray(b.args.Tg))for(var c=q(b.args.Tg),d=c.next();!d.done;d=c.next())LO(d.value);b.resolve();break;case “SIMID:Creative:getMediaState”:c= ;b.resolve((c.currentSrc=a.o.getMediaUrl(),c.currentTime=a.o.j.xa(),c.duration=a.o.getDuration(),c.ended=!1,c.muted=0==a.o.getVolume(),c.paused=!1,c.volume=a.o.getVolume(),c.fullscreen=a.o.Gd(),c));break;case “SIMID:Creative:requestPause”:a.pause();b.resolve();break;case “SIMID:Creative:requestPlay”:a.resume();b.resolve(); break;case “SIMID:Creative:requestResize”:W2(a,b);break;case “SIMID:Creative:requestChangeAdDuration”:c=b.args.duration;0>c&&-2!=c?b.reject():(c-=oS(a.getAd()),a.getAd().P=c,a.J=!0,t0(a,”durationChange”),b.resolve());break;case “SIMID:Creative:requestNavigation”:a.Na(b.args.uri,null);a.pause();b.resolve();break;case “SIMID:Creative:log”:if(d=b.args.message) if(f&&”string”===typeof e.key&&(“string”===typeof e.value||void 0===e.value)) ;break a}}catch(h) g=void 0}d=g;if(void 0!==d)switch(d.type) }b.resolve();break;default:b.reject()}})},V2=function(a,b) )); Q2(a,b)},X2=function(a,b) )},W2=function(a,b) ).catch(function(c) )};P2.prototype.start=function() ).catch(function() )}; var Y2=function(a),function() );a.l.j.sendMessage(“SIMID:Player:startCreative”).catch(function() )}},$2=function(a),Z2=function(a) ; P2.prototype.skip=function() ;P2.prototype.Zc=function() ;P2.prototype.Fc=function() ; P2.prototype.Wb=function() ))};var U2=function(a) ))})}; P2.prototype.M=function() ;P2.prototype.destroy=function() )}; var Q2=function(a,b) ):b;var c;null==(c=a.l)||TL(c);var d;null==(d=a.l)||UL(d);a.U||(c=Fu(),a.U=Promise.race().then(function() ),a.destroy())};var a3=function(a,b,c,d,e) ;w(a3,vt);var b3=function(a,b,c) ;w(b3,G);b3.prototype.fetch=function(a) else c3(this,a)}; var c3=function(a,b) );T(d,c,”adBreakFetchError”,function(e) );Q0(c)},d3=function(a,b),e3=function(a,b,c,d,e,f) ;b3.prototype.m=”function() ;var” f3=”function(a,b,c,d) ;w(f3,vt);var” i3=”function(a,b,c) ;w(i3,G);var” j3=”function(a,b),k3=function(a,b,c),l3=function(a) ;i3.prototype.start=function() ;” i3.prototype.m=”function() ;var” g3=”function(a) )},h3=function(a) )};=”” i3.prototype.d=”function(a) ;var=”” n3=”function(a,b,c,d,e,f) ;w(n3,s0);l=”n3.prototype;l.resize=function(a,b) ;l.discardAdBreak=function() ;l.getCuePoints=function() ;” l.init=”function() ;b.cuepoints=this.getCuePoints();b=new” rp(“admetadata”,this.getad(),b);j(this,b);0=”=j3(this.l,0).length&&p3(this);this.l.start()};l.start=function() ;” var=”” p3=”function(a),q3=”function(a) },r3=”function(a) ;n3.prototype.setVolume=function(a) ;” v3=”function(a,b),u3=function(a) );t(a.o,a.j,”contentresumerequested”,function() );t(a.o,a.j,”contentpauserequested”,function(c) );t(a.o,a.j,”aderror”,function(c) );t(a.o,a.j,”alladscompleted”,function() ;” n3.prototype.aa=”function(a) ;J(this,new” rp(“adbreakfetcherror”,null,(b.adbreaktime=”a.offset,b)));((b=l3(this.l)||this.B)||0==a.offset)&&p3(this);b&&q3(this)};var” m3=”function(a) ;n3.prototype.stop=function() ;” n3.prototype.destroy=”function() ;var” o3=”function(a),x3=”function(a,b),100));-1==b&&(a.A=Du(function(),500));a.L&&(a.L=!1,a.D=!0,r3(a));var” rp(“adbreakready”,a.j.getad(),c);j(a,b)};n3.prototype.m=”function() ;” n3.prototype.tostring=”function() ;var” s3=”function(a,b) )};var” y3=”function(a) ;w(y3,vt);var” z3=”function(a,b,c) ;w(z3,g);z3.prototype.init=”function() ;” a3=”function(a) b=”null}a.j=b}a.na&&a.j&&(b=a.j,c=a.sessionId,a=a.na.j,d=,a=(d.vpaidEventType=”createFriendlyIframe”,d.session=c,d.videoDisplayName=a,d),jP(b.j,”adsManager”,”vpaidEvent”,a))}};l=z3.prototype;” l.start=”function(),!0),error(“play=”” insecure=”” iframe=”” channel=”” available.”);};l.resume=”function() ;l.getName=function() ;l.oj=function() ;l.se=function(a,b) ;” l.qk=”function(a),J(this,new” y3((a.type=”vpaidChannelLoaded”,a)))):j(this,new=”” y3(a)))};var=”” b3=”function(a) catch(b) return=”” null};=”” z3.prototype.m=”function() ;var=”” c3=”function(a,b,c,d,e) ;w(c3,g);l=”C3.prototype;” a;if((a=”eR(this.ad))&&/\.html(\?.*)?$/.test(a))this.F&&(a=a.replace(“.html”,”_”+”en”.replace(“-“,”_”)+”.html”)),a=D(a);else this.j=Hf(“IFRAME”, );=”” s(this.l,this.j,”load”,this.vm);var=”” d;null=”=(d=this.A.Bb())||d.appendChild(this.j);S(this.l,vf(),”message”,this.Rk);S(this.l,this.na,”beginFullscreen” click=”” end=”” endfullscreen=”” error=”” loaded=”” medialoadtimeout=”” pause=”” play=”” timeupdate=”” volumechange”.split(“=”” “),this.jj);s(this.l,this.na,fp,this.jj);this.b=”!0}};l.start=function() ;” l.resume=”function() ;l.getName=function() ;l.oj=function(a) catch(h) b=”null}var” c;if((null=”=a?void” 0:a.source)=”=(null==(c=this.j)?void” 0:c.contentwindow)&&null!=”b&&b.session===this.sessionId)if(“videoCall”===b.type)switch(b.func) ));break}this.a.rg();var=”” e;null=”=(e=this.na)||oP(e,d,null,this.ad.getAdPodInfo())}var” f;=”” null=”=(f=this.na)||rP(f);break;case” “pause”:var=”” g;null=”=(g=this.na)||g.pause();break;case” “currenttime”:e=”b.currentTime,null==(d=this.na)||pP(d,e)}else” j(this,new=”” y3(b))};l.vm=”function() ;l.m=”function() ;” l.jj=”function(a) ;D3(this,”loadedmetadata”,(c.duration=null==(b=this.na)?void” 0:b.getduration(),c));break;case=”” “timeupdate”:var=”” d;b=” ;D3(this,”timeupdate”,(b.duration=null==(c=this.na)?void” 0:c.getduration(),b.currenttime=”null==(d=this.na)?void” 0:d.currenttime,b));break;case=”” “end”:d3(this,”ended”);break;case=”” “beginfullscreen”:d3(this,”fullscreenchange”);break;case=”” “endfullscreen”:d3(this,”fullscreenchange”);break;case=”” “loaded”:d3(this,”loadstart”);break;=”” case=”” “medialoadtimeout”:d3(this,”stalled”);break;case=”” “play”:d3(this,”playing”);break;default:d3(this,a.type)}};var=”” d3=”function(a,b,c) :c;c.messageType=b;a.se(“wrapperCall”,c)};C3.prototype.Cd=function() ;function=”” e3(a) ;var” bu(500);this.ha=”this.K=-1;this.rf=(new” k(er(this.getad()))).l;this.ma=”this.G=!1;this.C=MR(this.getAd());this.F=b.j.dc();this.o=null;this.J=”normal”;b.A.push(this.toString())};” w(f3,b1);l=”F3.prototype;l.init=function() if(!this.d) };l.isLinear=function() ;” rc(this.getad().l,this.a,this.j,ap(),this.getad().hb,!0),a.ag(),f(this,a));this.pa=”!0;this.C?Z(this,”contentPauseRequested”):J(this,new” uz(“vpaidnonlinear”,this.ja));=”” k3(this);this.v||(this.ha=”Du(this.Ze,this.Ha.loadVideoTimeout,this))};l.resize=function(a,b) )};l.expand=function() ;l.collapse=function() ;l.pause=function() ;l.resume=function() ;” l.setvolume=”function(a) )};var” h3=”function(a,b) ;F3.prototype.M=function() ;” e=”d.j,f=yQ(e);null!=f&&(e.j=f)}e=null!=a.B?a.B:1;f= ;b=(f.desiredBitrate=a.Ha.bitrate,f.creativeData=b,f.viewMode=a.J,f.clickThroughUrl=c,f.attributionParams=nS(a.getAd()),f.adUrl=eR(d),f.volume=e,f);a.qa=!0;L3(a,”initAd”,b);a.U.forEach(function(g) );a.U=;a.o.oj(a.Ha.mimeTypes||)},L3=function(a,b,c) ;var” hp(b));a.stop()};=”” f3.prototype.kf=”function(a) else” “adpaused”:this.g=”!0;e1(this,”pause”);break;case” “adplaying”:this.g=”!1;e1(this,”resume”);break;case” “adremainingtimechange”:n3(this,a.remainingtime);=”” break;case=”” “adskipped”:e1(this,”skip”);this.stop();break;case=”” “adskippablestatechange”:e1(this,”skippablestatechanged”);break;case=”” “adstarted”:this.reportevent(“creativeview”);d1(this);this.getad().d=”!0;Z(this,”adStarted”);break;case” “adstopped”:this.reportevent(“stop”);this.ma||g3(this,fp(vn));this.stop();break;case=”” “aduseracceptinvitation”:this.c?this.reportevent(“acceptinvitationlinear”):this.reportevent(“acceptinvitation”);break;case=”” “aduserminimize”:this.reportevent(“collapse”);break;case=”” “aduserclose”:e1(this,=”” “userclose”);break;case=”” “advideocomplete”:e1(this,”complete”);break;case=”” “advideofirstquartile”:e1(this,”firstquartile”);break;case=”” “advideomidpoint”:e1(this,”midpoint”);break;case=”” “advideostart”:this.reportevent(“start”);break;case=”” “advideothirdquartile”:e1(this,”thirdquartile”);break;case=”” “advolumechange”:b=”a.volume;b!=this.B&&(Z(this,”volumeChange”, ),0==b?(this.reportEvent(“mute”),Z(this,”mute”)):0==this.B&&0!=b&&this.reportEvent(“unmute”),this.j.setVolume(b),this.B=b);break;case” “adinteraction”:b=” ;b.id=a.id;Z(this,”interaction”,b);break;case” “ping”:lo(a.url)}};var=”” k3=”function(a) ;F3.prototype.getDuration=function() ;F3.prototype.getRemainingTime=function() ; var N3=function(a,b) }b=a.getAd().getDuration();c=b-a.getRemainingTime();c h) else k=d,m=d,e=String.fromCharCode((h&15)

Como saber se Deus está agindo na minha vida?

Quando começam a florescer sentimentos como desapego, autoesquecimento e serenidade ou ausência de conflitos psicológicos, quando passamos a dar mais importância ao plano de Deus e às necessidades que se apresentam do que a nossa pessoa, é sinal de que a energia divina já está trabalhando conosco.

Quando Deus age na fraqueza?

Deus tem a força que nós precisamos na fraqueza. Não há nada que ele não pode fazer! Quando estamos fracos, aprendemos a depender de Deus, não de nós mesmos. Ele nos dá vitória na fraqueza para mostrar que toda força vem dele.

O que significa ser fraco na fé?

OS FRACOS E ENFERMOS NA FÉ “Ora, quanto ao que está enfermo na fé, recebei-o, não em contendas sobre dúvidas.” (Romanos 14:1) Enfermos na fé, ou fracos na fé, são aquelas pessoas que não têm o pleno conhecimento da verdade. Apesar de buscarem conhecer o Senhor, ainda estão vagueando entre Jesus e uma religião, uma crença qualquer.

  • São pessoas que vieram de uma religião qualquer para o Senhor, mas ainda têm arraigados algumas doutrinas, hábitos e preceitos antigos.
  • Como ainda estão se convertendo, têm medo de abandonarem certas doutrinas e estarem pecando ou infringindo uma lei.
  • Não são escarnecedoras e nem incrédulas, mas enfermas, doentes na fé, porque ainda não conhecem com profundidade Cristo, a Verdade.

Portanto, não podemos em hipótese alguma repudiar, criticar tais pessoas, porque as estaremos matando, uma vez que ficarão perdidas ao receberem críticas e acusações nesse momento de transição. São pessoas as quais devemos recebê-las com carinho, atenção e amor, e procurar guiá-las pela Verdade, mostrando-lhes e ensinando-lhes o Evangelho, para que possam abrir os olhos e compreender quem é o Senhor, para que possam saber que há liberdade em Cristo, e não se é necessário permanecer preso a doutrinas, superstições ou histórias humanas.

  1. O que não se pode fazer é chegar condenando-as por suas crenças e hábitos antigos, mas com carinho mostrar-lhes a verdade, o Caminho.
  2. Não somos melhores do que as outras pessoas por termos mais tempo ou por conhecermos melhor o Evangelho; na verdade, temos mais responsabilidade, temos que praticar o amor e ser tolerantes com o fraco.

Se conhecemos o Senhor, temos que praticar o seu Fruto. “Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes.” (Romanos 14:2). Pessoas vêm para o Senhor, mas, por terem vivido muito tempo em tradições antigas, em ensinos diferentes, creem em determinadas coisas e têm hábitos diferentes, que sabemos que nada valem ou são.

  1. Devemos, durante o nosso ensino, ir mostrando-lhes que aquilo nada vale, não podemos logo ir criticando-as, condenando-as, porque é um choque emocional e cultural muito grande, trazendo para elas o desengano e a desilusão, que podem conduzi-las ao afastamento total do Senhor.
  2. Existem pessoas que não comem determinados tipos de comidas por acharem que é errado, é pecado, não podemos simplesmente criticá-las, mas com sabedoria ir mostrando-lhes que podemos comer tudo, exceto sangue e comida sacrificados a ídolos.

“O que come não despreze o que não come; e o que não come, não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu.” (Romanos 14:3). Todos nós que nos convertemos ao Senhor depois de adultos viemos com hábitos, manias que nada servem para nosso crescimento espiritual.

  1. Assim, não podemos criticar quem vem ainda crendo, que podem ter uma imagem, uma foto do que acham e entendem que é o Senhor Jesus Cristo.
  2. Com cautela podemos lhes mostrar que não há fundamento algum, uma vez que não se sabe como eram realmente as características humanas do Senhor.
  3. Sabemos, entretanto, que não era bonito, ao contrário, pois a sua Palavra nos mostra, nos diz isto.

Assim, essa figura que se mostra de um jovem senhor, bonito, de olhos claros, nada tem a ver com a realidade. Também muitos pensam que Maria, por ter sido a mãe de Jesus, tem algum poder ou pode fazer alguma coisa. Antes de julgá-la, condená-la, devemos mostrar na Palavra que ela não tem poder algum, que nada pode fazer, que simplesmente foi uma mulher abençoada, que recebeu uma bênção, o privilégio de poder gerar o Filho de Deus.

Temos que mostrar que Jesus Cristo disse quem ela era e que não podia fazer mais do que qualquer um, mas que as verdadeiras mães Dele, os verdadeiros irmãos são os que obedecem a sua Palavra. Assim, a nossa função é ensinar com paciência, que é um fruto (singular) do Espírito. Temos que compreender a diferença entre o fraco na fé e o incrédulo, e temos que compreender muito bem sobre a questão de julgamentos.

Mesmo porque temos a obrigação de julgar as questões mínimas, julgar no nosso meio, mas temos que ter discernimento para isso, e, neste caso, quem merece nosso julgamento não é o fraco na fé, mas o arrogante que condena os fracos na fé. Jesus nos disse para julgarmos, temos que entender e compreender primeiro, nos limpar, tirar a trave dos nossos olhos primeiro antes de tentar tirar a dos outros.

  • Quem és tu, que julgas o servo alheio? Para seu próprio Senhor ele está em pé ou cai.
  • Mas estará firme, porque poderoso é Deus para firmá-lo.” (Romanos 14:4).
  • Não podemos em hipótese alguma julgar o servo de Deus, porque os que procuram servir o Senhor são servos, os que decidem viver o Evangelho, portanto não cabe julgamento nosso, e sim o contrário, nossa ajuda.

Temos que julgar os que se dizem servos, mas não o são, os que se dizem irmãos na fé, mas não vivem e não querem praticar o Evangelho, esses não são fracos na fé, mas incrédulos, escarnecedores. Os que procuram servir o Senhor, mesmo que estejam errando por desconhecimento, precisam de ajuda e não de condenação, e são servos do Senhor.

Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente.” (Romanos 14:5). Não somos todos iguais, somos diferentes, temos nossas características próprias, prova tal que não encontramos ninguém em todo o mundo que tenha a mesma impressão digital nossa ou a íris, e ou o DNA.

Assim, a igreja do Senhor é composta de pessoas diferentes, e são chamadas de corpo de Cristo, pois cada um tem funções diferentes, assim como os membros do corpo humano. Há pessoas que gostam de jejuar, outras não, umas gostam de participar de campanhas, ou de orar na madrugada, quem sabe subir ao monte, enfim, têm hábitos e manias que entendem que é para o seu crescimento espiritual.

  • Mas não devemos condenar, ao contrário, devemos ensinar-lhes como jejuar e a verdadeira função do jejum.
  • Falar sobre campanhas mostrando que elas são boas desde que não envolvam valores, que não tenham que colocar valores nos envelopes.
  • Assim como explicar que o orar na madrugada não é porque Deus atende mais, mas porque é quando há mais silêncio, mais paz, tranquilidade e menos possibilidade de ser interrompido, que não é o horário que torna a oração mais poderosa.

Também falar, ensinar sobre a questão de orar, subir montes, porque não existem mandamentos a esse respeito, pois o fato de subir ao monte é simplesmente ir à busca de um local de paz para orar. Jesus subia exatamente em busca de privacidade, não que lá estivesse mais próximo de Deus, mesmo porque para o Senhor não existe distância ou altura, e Jesus nos ensinou a orar entrando em nosso quarto, fechando a porta e falando com nosso Pai que vê e responde em secreto.

  1. Não devemos condenar os que praticam atos semelhantes, mas ensinar-lhes a maneira correta.
  2. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz.
  3. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus.
See also:  Como Se Confessar Com O Padre O Que Falar?

Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si.” (Romanos 14:6-7). Assim, quem jejua, quem come todos os alimentos ou não come, quem participa de campanhas, sobe ao monte, ora nas madrugadas e ou faz qualquer outra coisa assim o faz para o Senhor e não merece críticas e nem julgamentos.

  1. Os que buscam agradar o Senhor, mesmo que estejam buscando de maneira errada, devemos ensinar-lhes na verdade, e não os criticar.
  2. Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos.
  3. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor.
  4. Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor, tanto dos mortos, como dos vivos.

Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo. Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim, E toda a língua confessará a maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.” (Romanos 12:8-12).

  • Leiam e pratiquem a Bíblia.
  • Que Deus os abençoe.
  • Um abraço, Pr.Henrique Lino Se voce está passando por problemas na sua vida espiritual, familiar, profissional, sentimental, com filhos em situação de risco, envolvimento com drogas, homossexualismo, ou em processo de separação, divorcio, traído(a) abandonado(a) entre em contato conosco.O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus está a sua disposição dia e noite para aconselhamento, oração, e interseção e orientação, e cobertura espiritual.

Visitem nosso site – O Ministério Atalaia do Evangelho de Deus tem como objetivo levar a Palavra de Deus. Trabalha voluntariamente com assistência as famílias, para restaurar casamentos e orientação espiritual a todo aquele que necessita de uma Palavra de cura, salvação e libertação.

O que quer dizer 2 Coríntios 12 9?

Força na fraqueza Paulo fez uma afirmação difícil de entender, e mais difícil ainda de aplicar na nossa vida: “Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte” (2 Coríntios 12:10). Atrás dessas palavras enigmáticas encontramos algumas lições importantes e edificantes.

Vamos procurar entender o que Paulo disse e como aplicar esse ensinamento quando enfrentamos dificuldades. Paulo sofreu de algum espinho na carne Ele disse: “E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi_me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte.

Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim.” (2 Coríntios 12:7-8). Algumas pessoas gastam muito tempo especulando sobre o espinho na carne. O fato é que Paulo não revelou o que foi, e ninguém hoje sabe. O que importa não é a natureza do espinho, mas a maneira que Paulo o encarou.

Observe estes fatos em 2 Coríntios 12:7-9: 1. Paulo reconheceu Satanás como a fonte do problema, Ele disse que o espinho era “mensageiro de Satanás”, Por que Satanás mandaria um mensageiro a Paulo? Sabemos muito bem que o diabo quer a nossa ruína. Ele quer nos devorar como leão que ruge (1 Pedro 5:8).

Na vida de Paulo, como na vida de bilhões de outras pessoas, Satanás usou o sofrimento para tentar derrotá-lo.2. Deus usou aquele espinho e recusou tirá-lo da vida de Paulo. Aqui aprendemos uma coisa importante sobre os males da vida. Deus não causou o sofrimento no mundo, e ele não nos tenta (Tiago 1:13).

Muitas vezes, ao invés de tirar os problemas das nossas vidas, ele os utiliza para o nosso bem. Deus amou Paulo, mas ele não o poupou de todo sofrimento. Jamais devemos interpretar problemas como sinais do desprezo de Deus. Ele pode usar calamidades para castigar os ímpios, mas, ele também permite tribulações na vida de seus filhos (Hebreus 12:5-11).

Como Deus usou o sofrimento de Paulo Quando Deus recusou tirar o espinho da vida de Paulo, ele ofereceu esta explicação: “A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2 Coríntios 12:9). A graça contradiz o merecer. Se Paulo, no passado, se julgou auto-suficiente, ele não continuou assim (veja Filipenses 3:4-11).

Nas tribulações, ele aprendeu depender da graça do Senhor. Quando sentimos que temos tudo sob controle por causa da nossa própria capacidade, facilmente esquecemos de Deus. Nas horas de maior fraqueza, quando sentimos incapazes de resolver os nossos problemas sozinhos, tendemos a voltar para Deus e nos entregar à poderosa mão dele.

Nossa inteligência não nos basta. Nossos recursos financeiros não nos bastam. Nossos amigos não conseguem preencher as nossas necessidades. A graça de Deus nos basta, e o poder dele se manifesta através da nossa fraqueza. É exatamente isso que Paulo entendeu: “De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo” (2 Coríntios 12:9).

Como Paulo usou seu próprio sofrimento As palavras de Paulo em 2 Coríntios 12:10 são impressionantes, refletindo uma maturidade espiritual que poucos alcançam: “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.” Ele sentia prazer no sofrimento! Será que nós sentimos a mesma coisa? É comum sentir pena de si, ou amargura, ou profunda depressão, mas sentir prazer? O comentário de Paulo não trata de alguma prática louca de autoflagelação, mas de sua capacidade de confiar plenamente no Senhor.

Ele entendeu que o sofrimento nos oferece oportunidades para aproximar mais de Deus, e Paulo aproveitou tais oportunidades ao máximo. Da mesma forma que a pessoa que pratica ginástica ou musculação pode sentir prazer no esforço e sofrimento da malhação, visando os resultados em termos da saúde física, Paulo sentia prazer nas angústias da vida, tendo em vista os resultados de crescimento espiritual e do galardão eterno.

Tiago falou a mesma coisa: “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes” (Tiago 1:2-4).

Paulo explica seu prazer em dois sentidos: 1.”.por amor de Cristo”, Quando Paulo admitiu sua própria incapacidade, ele deixou Cristo tomar conta da vida dele. Como Cristo morreu para nos dar vida, nosso velho homem morre para dar lugar para Jesus viver: “Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus.

  • Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim” (Gálatas 2:19-20).
  • Jesus aceitou a “fraqueza” da sua forma humana para se entregar por nós.
  • É somente quando aceitamos a nossa própria inadequação que temos condições de nos entregar a Cristo.2.

“Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte”, Quando Paulo confiou plenamente em Cristo, se esvaziando do orgulho e da idéia de ser autônomo, ele ganhou força bem maior. Cristo vivendo em Paulo era infinitamente mais forte do que Paulo sozinho. Como nós usamos o sofrimento? Considere as palavras que Paulo usa em 2 Coríntios 12:10.

  • Como você reage aos mesmos desafios na sua vida? Paulo enfrentou: Fraquezas,
  • Você se sente incapaz de enfrentar algumas fraquezas (problemas, tentações vícios, etc.)? Essas fraquezas devem servir de convite para permitir Jesus reinar na sua vida.
  • Injúrias,
  • Você foi maltratado ou ofendido por outros? O diabo quer usar suas injúrias como motivo de ódio, vingança e blasfêmia.

Mas Deus quer que você fique forte, usando essas injúrias como oportunidade para crescer. Necessidades, Você enfrenta grandes dificuldades financeiras? Não sabe como resolvê-las? Nada melhor que a fome para tornar o homem dependente de Deus. Jesus deu este desafio: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

  1. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal” (Mateus 6:33-34).
  2. Pessoas que nunca conheceram a pobreza têm dificuldade em entender esse princípio.
  3. Quando temos geladeiras abastecidas e armários cheios de alimentos, é difícil imaginar a circunstância que Jesus descreve.

Esse é, sem dúvida, um dos motivos que poucos ricos são convertidos a Cristo (1 Coríntios 1:26-29; Marcos 10:23-25). Perseguições, Quando sofremos por causa de Cristo, é o momento de desistir ou de ficar mais firmes que nunca? Muitas pessoas egoístas justificam sua desistência porque não querem sofrer.

Mas os discípulos verdadeiros imitam o exemplo dos cristãos hebreus: “Lembrai_vos, porém, dos dias anteriores, em que, depois de iluminados, sustentastes grande luta e sofrimentos; ora expostos como em espetáculo, tanto de opróbrio quanto de tribulações, ora tornando_vos co_participantes com aqueles que desse modo foram tratados.

Porque não somente vos compadecestes dos encarcerados, como também aceitastes com alegria o espólio dos vossos bens, tendo ciência de possuirdes vós mesmos patrimônio superior e durável. Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma” (Hebreus 10:32-34,39).

  1. Falando de perseguições, devemos lembrar que fazem parte da vida do cristão.
  2. Paulo usou uma palavra bem abrangente para frisar esse fato: “Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (2 Timóteo 3:12).
  3. Nenhum servo do Senhor tem imunidade da perseguição.
  4. Angústias.
  5. A palavra usada aqui vem de uma raiz que descreve lugares estreitos ou apertados.

Muitas pessoas sofrem de claustrofobia. Quando se encontram em lugares apertados e fechados sentem-se desesperadas. Espiritualmente, muitos reagem da mesma forma. Quando se vê em apuros, como você reage? Abandona os princípios de Deus e age de uma forma errada no desespero? A única saída é aceitar o fato que você é incapaz de sair do problema sozinho.

  1. Temos que reconhecer a necessidade da graça de Deus, para aceitar o resgate que ele nos oferece.
  2. Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.
  3. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” (Filipenses 4:6-7).

Os servos do Senhor sofrem nessa vida. Enfrentamos perseguições, angústias, fraquezas, necessidades, etc. Da mesma maneira que Deus recusou tirar o espinho de Paulo, ele pode deixar qualquer um de nós em circunstâncias difíceis e desagradáveis. Quando nos encontramos nessas situações, vamos ter a fé e a coragem que Paulo mostrou para aproveitar a oportunidade e crescer espiritualmente.

Quando nos entregamos a Cristo, encontramos a graça e a força verdadeira. Dennis Allan Leia mais sobre este assunto: Sofrimento O exemplo de Jó ESTUDOS BÍBLICOS PESQUISAR NO SITE MENSAGENS EM ÁUDIO MENSAGENS EM VÍDEO ESTUDOS TEXTUAIS ANDANDO NA VERDADE O QUE ESTÁ ESCRITO? O QUE A BIBLIA DIZ? O Que Esta Escrito? ©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009 Redator: Dennis Allan, C.P.500 – Jarinu – SP – CEP: 13240-970 Andando na Verdade ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008 Redator: Dennis Allan, C.P.500 – Jarinu – SP – CEP: 13240-970 Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho.

/ All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work. Estudos Bíblicos estudosdabiblia.net ©1995-2017 Karl Hennecke, USA

Porque a graça de Deus nos basta?

“A minha graça te basta” significa que a graça de Jesus é suficiente para nos sustentar, mesmo nos momentos mais difíceis. A graça de Jesus é mais poderosa que qualquer dificuldade. Podemos sempre confiar na graça de Deus.9 Mas ele me disse: “Minha graça é suficiente a você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim.”>2 Coríntios 12:9 explica que podemos ficar ainda mais fortes em Deus quando estamos fracos, porque descobrimos que a graça de Deus nos basta. O contexto desse versículo fala sobre o apóstolo Paulo, que tinha recebido visões do Céu mas depois tinha ficado com um espinho na carne, que o atormentava. Ele orou três vezes a Deus para que retirasse o espinho mas Deus lhe respondeu que a Sua graça lhe bastava, Assim Paulo aprendeu a encontrar alegria em Deus, mesmo no sofrimento ( 10 Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco, é que sou forte.”>2 Coríntios 12:10 ). A graça de Deus salva todo aquele que crê em Jesus e se arrepende de seus pecados ( 8 Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; 9 não por obras, para que ninguém se glorie.”>Efésios 2:8-9 ). Ele nos limpa de nossos pecados e nos oferece a vida eterna. de graça! Jesus transforma e preenche nossas vidas, porque ele nos ama e quer nosso bem. Ele nos protege, sustenta, consola, fortalece e dá alegria, tudo por sua graça. Jesus nunca nos abandona. A graça de Deus não tem limites! Nós somos fracos mas Jesus é forte. Quando todas as outras coisas em que colocamos nossa confiança falham, Jesus nunca falha. Ele é o único em quem podemos sempre confiar. Veja aqui: o que era o espinho na carne de Paulo e o que é graça

Quem disse a minha graça te basta?

O apóstolo Paulo, ao escrever aos Coríntios, apresenta uma mensagem desafiadora e repleta de esperança: a minha graça te basta. Essas palavras, ditas a ele por Cristo, ressoam com poder e consolo até hoje, encorajando todos os que enfrentam dificuldades e se sentem sobrecarregados pela vida.

  • Neste contexto, a “graça” de Cristo é entendida como seu amor incondicional, sua misericórdia que não merecemos, mas que é abundantemente dada a todos nós.
  • Essa graça é o que nos capacita a superar os desafios, a permanecer firmes em meio às tempestades da vida e a seguir em frente quando tudo parece perdido.

Mas, o que realmente significa quando dizemos a minha graça te basta ? Como essa afirmação, feita há mais de dois mil anos, pode impactar nossas vidas no século XXI? Essas são as perguntas que buscaremos responder ao longo deste artigo. Vamos mergulhar profundamente nessa poderosa declaração de fé e explorar como ela pode transformar nossas vidas, nossas atitudes e nossos relacionamentos.

Quem foi o homem que foi arrebatado ao terceiro céu?

II Coríntios 12:2—Paulo Vê o Reino Celestial – O Élder Bruce R. McConkie disse: “Falando de si mesmo, Paulo disse que foi ‘arrebatado ao terceiro céu’, que é o reino celestial”. ( The Mortal Messiah, 4:394).