Početna – ThaiConsulate

Tips, Reviews, Recommendations

Qual Os Sintomas Da Dengue?

Como faço para saber se estou com dengue?

Quais são os sintomas da dengue? – Os principais sintomas da dengue são:

Febre alta > 38.5ºC. Dores musculares intensas. Dor ao movimentar os olhos. Mal estar. Falta de apetite. Dor de cabeça. Manchas vermelhas no corpo.

No entanto, a infecção por dengue pode ser assintomática (sem sintomas), leve ou grave. Neste último caso pode levar até a morte. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele.

Quanto tempo dura o vírus da dengue?

Varia de 3 a 15 dias, sendo, em média, de 5 a 6 dias. A transmissão ocorre enquanto houver presença de vírus no sangue do homem (período de viremia). Este período começa um dia antes do aparecimento da febre e vai até o 6º dia da doença.

O que é bom para tratar a dengue?

Médico alerta sobre uso do paracetamol no tratamento da dengue Renan Marino fez uso da tribuna livre

O médico e professor da Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp) Renan Marino usou a Tribuna Livre, no início da noite desta terça-feira (14/05), para alertar sobre os riscos do uso de paracetamol para tratar casos de dengue.Marino explica que, sendo a dengue uma virose que ataca o fígado, o medicamento em questão pode agravar o caso já que também agride a função hepática.”O uso de paracetamol pode causar lesões ao fígado, agravando a dengue, podendo levar até mesmo à morte”, afirma o médico.

O paracetamol é usado costumeiramente e faz parte do protocolo médico ministrado no tratamento da dengue mas, de acordo com Marino, essa situação pode ser modificada se houver sensibilização da população e da classe médica. “É possível substituir o paracetamol, nos casos de dengue, pela dipirona”, diz Marino.

O que não se deve fazer quando está com dengue?

Quem está com dengue não pode tomar quais remédios? Alguns remédios não devem ser tomados por quem tem suspeita de dengue. Ora, um dos possíveis sintomas da doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti é o sangramento. E essa manifestação se agrava com a ingestão de medicamentos com ácido acetilsalicílico (aspirina, por exemplo) ou anti-inflamatórios não hormonais.

As medicações contraindicadas Segundo a infectologista Melissa Barreto Falcão, da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), a dengue em si não tem tratamento específico. “O que se faz é aliviar os sintomas, sempre de acordo com avaliação do profissional de saúde, conforme cada caso”, complementa. A orientação para quem foi diagnosticado com a infecção é repousar, ingerir bastante líquido e não tomar medicamentos por conta própria, pois alguns deles podem tornar o quadro ainda mais perigoso.

Comprimidos que contém ácido acetilsalicílico, como a aspirina, são muito usados para, entre outras coisas, controlar dores e febre. Mas eles também são anticoagulantes. Ou seja, como o próprio termo sugere, impedem a coagulação do sangue, um processo do organismo que tampa vazamentos do líquido vermelho.

  1. Ocorre que, como já dissemos, o vírus da dengue pode desencadear sangramentos internos.
  2. Isso, em conjunto com um remédio anticoagulante, aumenta a probabilidade de hemorragias perigosas.
  3. Anti-inflamatórios não hormonais – diclofenaco e ibuprofeno, por exemplo – também devem ser evitados.
  4. Eles elevam o risco de sangramentos por provocarem irritação no estômago.

Quais remédios quem tem dengue pode tomar? Para amenizar dor e febre, são receitados fármacos com paracetamol ou dipirona. “Eles são recomendados tanto pelo Ministério da Saúde como pela Organização Mundial da Saúde (OMS) devido ao perfil de segurança”, aponta Melissa.

Já para tratamento de enjoo e vômito, a infectologista sugere o uso de qualquer antiemético, como metoclopramida e bromoprida, por exemplo. Mas não se esqueça: quem vai oferecer a melhor opção de acordo com características do indivíduo é o médico. Não deixe de pedir orientação a um especialista antes de consumir qualquer medicamento.

Fonte: Revista Saúde : Quem está com dengue não pode tomar quais remédios?

Quais são os órgãos que a dengue afeta?

A doença Como acontece a infecção Com a picada de um mosquito Aedes aegypti infectado, o vírus da dengue penetra na corrente sangüínea. Durante um período de quatro a sete dias, chamado de incubação, o vírus se multiplica em órgãos como baço, fígado e tecidos linfáticos. Neste período, a pessoa está infectada, mas não transmite a doença se for picada pelo vetor. Passado o período de incubação, o vírus retorna à corrente sangüínea. Neste momento, tem início o período de viremia, que dura cerca de seis dias. Exceto nos casos assintomáticos quando o indivíduo infectado não apresenta sintomas da doença, o início do período de viremia costuma ser marcado por febre, que surge como conseqüência da tentativa do organismo combater o vírus.

  • Mesmo que não apresente sintomas, durante o período de viremia o indivíduo infectado pode transmitir a doença se for picado pelo vetor.
  • O vírus da dengue continua a se multiplicar dentro das células sangüíneas e atinge a medula óssea, onde compromete a produção de plaquetas, que são fundamentais para os processos de coagulação.

Sintomas da dengue Nem todas as pessoas picadas por um mosquito infectado com o vírus da dengue manifestam a doença. Os sintomas mais comuns da dengue são dor de cabeça e nos olhos, febre alta, muitas vezes passando de 40 graus, dor nos músculos e nas articulações, manchas avermelhadas por todo o corpo, falta de apetite e fraqueza.

  1. Em alguns casos, pode acontecer sangramento de gengiva e nariz.
  2. É importante observar que estes sintomas podem aparecer isolados ou de forma combinada, além de poderem se manifestar com diferentes graus de intensidade.
  3. O mais comum é a febre, que acomete 99% das pessoas infectadas que manifestam sintomas da doença.

Dura cerca de sete dias e pode ser branda ou muito alta. Dores no fundo do olho e na cabeça também são comuns, atingindo cerca de 50% dos indivíduos que apresentam sintomas da doença. Esses são os principais sintomas da dengue comum, mas existe a chamada dengue hemorrágica, um tipo de manifestação mais grave.

Os sintomas iniciais da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum. A diferença é que, quando a febre acaba, começam a surgir sangramentos, a pressão cai, os lábios ficam roxos e a pessoa, além de sentir fortes dores no abdômen, alterna sonolência com agitação. A dengue hemorrágica é muito perigosa e pode levar à morte.

Na maioria das vezes, a dengue hemorrágica acontece em pessoas que já foram infectadas por um determinado tipo do vírus da dengue e são infectadas novamente, porém desta vez por outro tipo do vírus. Em alguns casos, porém, a dengue hemorrágica também pode acontecer logo na primeira infecção.

Cuidados médicos A dengue só pode ser diagnosticada através de exames em laboratório. Como muitos sintomas são comuns a outras doenças, como viroses e gripe, a busca de atendimento médico não pode ser dispensada. Além disso, a ocorrência de numerosos casos assintomáticos ou brandos da doença é um fator que precisa ser levado em consideração nos cuidados, sobretudo tendo em vista o risco da dengue hemorrágica.

Como muitos indivíduos infectados não apresentam sintomas ou apenas sintomas muito leves, o indivíduo pode não tomar conhecimento de que teve contato com o vírus da dengue. Assim, acredita que está passando pela primeira infecção, quando na verdade já teve contato com o vírus.

  • Este é mais um motivo que torna urgente a busca de atendimento médico logo aos primeiros sintomas.
  • Em caso de suspeita de dengue, a auto-medicação pode ser perigosa.
  • Apenas a medicação recomendada pelo médico deve ser utilizada.
  • É desaconselhado o uso de remédios com base em Dipirona e Ácido Acetil Salicílico (AAS), muitas vezes usados de forma indiscriminada pela população em casos de febre e dores de cabeça, que são justamente sintomas da dengue.

Estes medicamentos não são recomendados porque atuam respectivamente na pressão sangüínea e sobre as plaquetas, fatores que são alterados no corpo humano pela dengue. Volta

É possível estar com dengue e não ter febre?

Dengue | Biblioteca Virtual em Saúde MS

  • O que é?
  • É uma doença infecciosa febril aguda, que pode se apresentar de forma benigna ou grave, dependendo de alguns fatores, entre eles: o vírus envolvido, infecção anterior pelo vírus da dengue e fatores individuais como doenças crônicas (diabetes, asma brônquica, anemia falciforme).
  • Qual o microrganismo envolvido?

O vírus do dengue pertence à família dos flavivírus e é classificado no meio científico como um arbovírus, os quais são transmitidos pelos mosquitos Aedes aegypti. São conhecidos quatro sorotipos: 1, 2, 3 e 4. Quais os sintomas? O doente pode apresentar sintomas como febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, náuseas ou até mesmo não apresentar qualquer sintoma.

O aparecimento de manchas vermelhas na pele, sangramentos (nariz, gengivas), dor abdominal intensa e contínua e vômitos persistentes podem indicar um sinal de alarme para dengue hemorrágica. Esse é um quadro grave que necessita de imediata atenção médica, pois pode ser fatal. É importante procurar orientação médica ao surgirem os primeiros sintomas, pois as manifestações iniciais podem ser confundidas com outras doenças, como febre amarela, malária ou leptospirose e não servem para indicar o grau de gravidade da doença.

Todos os quatro sorotipos de dengue 1, 2, 3 e 4 podem produzir formas assintomáticas, brandas e graves, incluindo fatais. Deve-se levar em consideração três aspectos: 1. Todos os quatro sorotipos podem levar ao dengue grave na primeira infecção, porém com maior freqüência após a segunda ou terceira, sem haver diferença estatística comprovada se após a segunda ou a terceira infecção; 2.

  1. Existe uma proporção de casos que têm a infecção subclínica, ou seja, são expostos à picada infectante do mosquito Aedes aegypti mas não apresentam a doença clinicamente, embora fiquem imunes ao sorotipo com o qual se infectaram; isso ocorre com 20 a 50% das pessoas infectadas; 3.
  2. A segunda infecção por qualquer sorotipo do dengue é predominantemente mais grave que a primeira, independentemente dos sorotipos e de sua seqüência.

No entanto, os sorotipos 2 e 3 são considerados mais virulentos.

  1. É importante lembrar que muitas vezes a pessoa não sabe se já teve dengue por duas razões: uma é que pode ter tido a infecção subclínica (sem sinais e sem sintomas), e outra é pelo fato da facilidade com que o dengue, principalmente nas formas brandas, pode confundir-se com outras viroses febris agudas.
  2. Como se transmite?

A doença é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti. Não há transmissão pelo contato direto com um doente ou suas secreções, nem por meio de fontes de água ou alimento. Como tratar? Todas as pessoas com febre de menos de sete dias durante uma epidemia ou por casos suspeitos de dengue, cuja evolução não é possível predizer, devem procurar tratamento médico onde algumas rotinas estão estabelecidas para o acompanhamento, conforme a avaliação clínica inicial e subseqüente, quanto a possibilidade de evolução para gravidade.

A hidratação oral (com água, soro caseiro, água de coco), ou venosa, dependendo da fase da doença, é a medicação fundamental e está indicada em todos os casos em abundância. Não devem ser usados medicamentos à base de ácido acetil salicílico e antiinflamatórios, como aspirina e AAS, pois podem aumentar o risco de hemorragias.

Como se prevenir? A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Qual é a fase mais perigosa da dengue?

A dengue é uma doença febril aguda sistêmica de origem viral. Nos últimos 50 anos, o número de casos de dengue no mundo tem aumentado dramaticamente. – A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 4 bilhões de pessoas estejam vivendo em áreas com risco de infecção pela doença.

  • Anualmente, 390 milhões de casos são registrados no mundo, dos quais 96 milhões se manifestam clinicamente.
  • A dengue afeta 128 países e é considerada uma doença negligenciada pela OMS.
  • Na região das Américas, a doença tem se disseminado com surtos cíclicos ocorrendo a cada 3/5 anos.
  • No Brasil, a transmissão vem ocorrendo de forma continuada desde 1986 registrando o maior surto da doença em 2013, com aproximadamente 2 milhões de casos notificados.
See also:  Em Qual CompetiO A Sheilla Castro Participa Principalmente?

A dengue é causada por um arbovírus (vírus transmitidos por artrópodes) que se apresenta em quatro tipos diferentes: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Atualmente os quatro sorotipos circulam no Brasil intercalando-se com a ocorrência de epidemias, geralmente associadas com a introdução de novos sorotipos em áreas anteriormente não atingidas ou alteração do sorotipo predominante.

  • O vírus é transmitido pela picada de mosquitos da espécie Aedes que também são responsáveis pela transmissão da chikungunya, febre amarela e Zika.
  • A dengue pode ter diferentes apresentações clínicas e de prognóstico imprevisível.
  • Os primeiros sintomas aparecem de quatro a 10 dias depois da picada do mosquito infectado.

A doença começa bruscamente e se assemelha a uma síndrome gripal grave caracterizado por febre elevada, fortes dores de cabeça e nos olhos, além de dores musculares e nas articulações. Durante a evolução da doença, destacam-se três fases: febril, crítica e de recuperação,

Na fase crítica da dengue (entre o terceiro e o sexto dia após o início dos sintomas), podem surgir manifestações clínicas (sinais de alarme) correspondentes a uma complicação da doença potencialmente letal chamada dengue grave (conhecida anteriormente como dengue hemorrágica), que aparecem devido ao aumento da permeabilidade vascular e da perda de plasma, o que pode levar ao choque irreversível e à morte.

Os sinais clínicos de alarme da dengue grave são: dor abdominal intensa e contínua; vômitos persistentes; hipotensão postural e/ou lipotimia (tonturas, decaimento, desmaios); hepatomegalia dolorosa (aumento de tamanho do fígado); sangramento na gengiva e no nariz ou hemorragias importantes (vômitos com sangue e/ou fezes com sangue de cor escura); sonolência e/ou irritabilidade; diminuição da diurese (diminuição do volume urinado); diminuição repentina da temperatura do corpo (hipotermia); e desconforto respiratório.

  1. Uma infecção curada de dengue confere ao paciente imunidade contra o tipo de vírus responsável.
  2. Por existirem quatro tipos diferentes de vírus, para estar totalmente imunizado, é necessário ter tido contato com todos eles.
  3. Caso contrário, a cada contágio com um novo tipo de vírus, os sintomas são mais intensos e o risco de desenvolver a dengue grave é mais alto.

O diagnóstico da dengue é feito comumente mediante sorologia para determinar a presença de anticorpos contra o vírus no sangue, mas não determina especificamente qual tipo de vírus é responsável pela infecção. Métodos de biologia molecular mais elaborados podem ser utilizados para detectar as proteínas do vírus.

Não existe tratamento específico para dengue. Os cuidados terapêuticos consistem em tratar os sintomas: combater a febre e, nos casos graves, realizar hidratação por via intravenosa. O atendimento rápido para a identificação dos sinais de alarme e o tratamento oportuno podem reduzir o número de óbitos, chegando a menos de 1% dos casos.

Desde o fim de 2015 a primeira vacina contra dengue foi registrada em diferentes países para ser usada em indivíduos de 9 a 45 anos vivendo em áreas endêmicas ou de risco. A OMS recomenda que os países considerem a introdução da vacina contra dengue apenas em zonas geográficas onde os dados epidemiológicos indicam um alto índice da doença.

Outras vacinas com diferentes tipos do vírus se encontram em período de desenvolvimento. De modo geral as vacinas têm mostrado uma efetividade muito variável (entre 50% e 80%) dependendo do tipo de vírus que causa a infeção, do tipo de indivíduos vacinados e do local onde tem sido implementada; igualmente o tempo de duração da proteção está sendo estudado.

Atualmente, a principal forma de prevenção é o combate aos mosquitos – eliminando os criadouros de forma coletiva com participação comunitária – e o estímulo à estruturação de políticas públicas efetivas para o saneamento básico e o uso racional de inseticidas.

MSF tem contribuído na vigilância e controle da doença em países atingidos por desastres naturais (Paquistão, Filipinas, Mianmar e Haiti), dado resposta a surtos sazonais (Cabo Verde, Honduras e El Salvador) e também realizado pesquisas sobre a epidemiologia da doença (Camboja). De igual maneira, MSF ajudou no passado a controlar surtos da doença no Brasil e atendeu pacientes com dengue na Unidade de Pronto Atendimento do Complexo do Alemão.

Página atualizada em janeiro de 2018.

Em que fase da dengue aparecem as manchas vermelhas?

Autora: Maria Isabel de Moraes-Pinto, infectopediatra e médica consultora em vacinas da Dasa. Manchas vermelhas, planas e distribuídas pelo tronco. Também chamada de “rash”, as manchas de dengue são um sintoma comum, que ocorre em mais da metade dos pacientes com dengue e, geralmente, após o terceiro dia de febre.

Porque uma pessoa com dengue tem que ficar de repouso?

Complicações da dengue – Qual Os Sintomas Da Dengue

  • Muitos são os casos de dengue que, passados os sintomas como fadiga, dor no corpo, febre, perda de apetite, manchas vermelhas pelo corpo, dor de cabeça e náuseas, o quadro evolui para o restabelecimento completo da pessoa.
  • Porém, as complicações podem surgir quando a doença não é identificada e tratada logo nos estágios iniciais, ou ainda se cuidados indicados durante a evolução da doença não são seguidos.
  • Repouso e hidratação constante são medidas fundamentais para a recuperação de quadros com dengue e, quando não seguidos podem causar desidratação grave, problemas no fígado, no coração, neurológico, respiratório, além da dengue hemorrágica.
  • A dengue pode parecer, aos olhos de muitos, uma doença em si e que, apesar de ter sintomas desconfortáveis, não provoca É grave erro que será detalhado a seguir.
  • 1. Dengue hemorrágica

Qual Os Sintomas Da Dengue Esse tipo de dengue provoca sangramentos especialmente nos olhos, gengivas, ouvidos e nariz. Somado a esses sintomas também podem ocorrer aparecimento de sangue nas fezes, pintas vermelhas pelo corpo, vômitos e pulso fraco e rápido. Normalmente, a dengue hemorrágica acomete pessoas que foram infectadas pelo vírus mais de uma vez. Qual Os Sintomas Da Dengue A dengue, quando não tratada da maneira correta, pode provocar hepatite e, também insuficiência hepática aguda. Nos casos mais graves essas doenças podem causar danos irreversíveis no fígado, o que torna possível a necessidade de um transplante. Os problemas no fígado, normalmente, causam sintomas como vômito, náusea, dores fortes na região da barriga e abdômen, fezes claras, urina escura, pele e olhos amarelados.3. Qual Os Sintomas Da Dengue Esse tipo de sequela acontece quando o vírus da dengue atinge o cérebro e provoca encefalite e a meningite. Há registros também que a dengue pode causar mielite, que é uma inflamação da medula espinhal e, a Síndrome Guillain-Barré, em que os nervos ficam inflamados e podem gerar fraqueza e paralisia muscular.

  1. Segundo especialistas, os problemas neurológicas acontecem porque o vírus da dengue pode passar diretamente pela corrente sanguínea, atingir o cérebro e o sistema nervoso central, provocando inflamações.
  2. Quando o sistema nervoso central é contaminado pelo vírus, a pessoa passa a sentir sonolência, tontura, irritabilidade, depressão, convulsões, amnésia, psicose, falta de coordenação motora e paralisias.
  3. 4. Problemas cardíacos e respiratórios

Qual Os Sintomas Da Dengue O vírus da dengue também pode causar danos aos pulmões e inflamação no músculo do coração. Derrame pleural e miocardite são consequências causados por quadros mais graves da dengue.

  • Tanto os problemas cardíacos quanto os respiratórios geram sintomas como falta de ar, dificuldade em respirar, mãos e pés frios com cor azuladas, dor no peito, tosse seca, dores musculares e tonturas.
  • Essas complicações da dengue aparecem nos casos mais graves da doença e são tratadas no hospital por necessitarem de tratamento adequado e acompanhamento médico regular.
  • A recomendação é que, ao primeiro sinal da dengue, sejam adotadas medidas adequadas porque nos casos em que a evolução do quadro gerar complicações pode levar à morte.

Na você encontra testes rápidos para detectar se está ou não com dengue. Fique atento aos sintomas e siga as orientações médicas. Farmácia Rosário. A gente sabe cuidar de você. Qual Os Sintomas Da Dengue Quatro doenças que a dengue pode causar : Quatro doenças que a dengue pode causar – Farmácia Rosário

Quem tem dengue tem tosse?

O quadro respiratório é a principal forma de diferenciar a gripe, dengue e Covid-19. Afinal, sintomas respiratórios, como dor no peito, falta de ar, tosse, alterações do olfato e paladar não estão presentes na dengue.

Quantos dias uma pessoa com dengue tem que ficar de repouso?

A forma clássica da doença tem uma duração aproximada de 5 a 7 dias. Com o desaparecimento da febre, há regressão dos sinais e sintomas, podendo ainda persistir a fadiga por alguns dias. Porém, existem formas mais graves da dengue, levando à hospitalização e, consequentemente, aumentando o tempo da doença.

O que faz a dengue piorar?

Aedes aegypti – Mitos e verdades

O medo de adoecer por causa da dengue leva as pessoas a utilizarem alguns métodos que nem sempre são eficazes para o combate ao mosquito Aedes aegypti. Precisamos saber que o maior e melhor remédio para combater a doença é a atitude de cada um de nós! A dengue é um problema real. É uma doença séria que pode causar a morte! É universal e acomete pessoas de todas as classes sociais. Por isso, somente com a adoção de novos comportamentos em nosso dia-a-dia poderemos contribuir para a prevenção e o controle da ocorrência da dengue em nosso meio. em nossa rua. em nosso bairro. em nossa cidade. ou seja no lugar onde vivemos. Para que você seja um eficiente agente de combate a dengue, confira abaixo algumas dicas do que é verdade e do que é mito e mãos à obra.
Basta secar os lugares onde tem água parada? Não adianta só secar os reservatórios de água parada, tem que limpar também. O ovo do mosquito pode se manter viável por mais de um ano sem água!
O mosquito da dengue pica apenas durante o dia? O mosquito pica apenas durante o dia, mas não faz zumbido.
É verdade que apenas a fêmea pica? Sim. Ela necessita do sangue em seu organismo para amadurecer seus ovos e assim dar seqüência no seu ciclo de vida. Ela pode colocar até 500 ovos durante o seu tempo de vida, que varia de 30 a 45 dias, tempo suficiente para picar até 300 pessoas.
Velas de citronela ou andiroba ajudam no combate ao mosquito? Não, pois esses recursos têm efeito temporário e indeterminado.
O inhame e o complexo B ajudam na prevenção da dengue? Não. As pessoas falam que principalmente o complexo B tem um cheiro muito forte e espanta o mosquito, mas não é verdade. Tomar vitamina B para evitar a aproximação do mosquito não se mostra eficaz, uma vez que o efeito varia de acordo com o metabolismo da pessoa, podendo não repelir o mosquito.
É possível distinguir a picada do Aedes aegypti da picada de um mosquito comum? Não. A sensação de eventual coceira ou incômodo é semelhante à picada de qualquer outro mosquito.
A água de piscinas pode servir de criadouro para o mosquito? A resposta é: depende. Se a água estiver bem tratada e com a concentração recomendada de cloro, o mosquito não se desenvolve. Já foi comprovado que a água com cloro e a água salgada funcionam como repelentes. Caso contrário, o mosquito pode se desenvolver sim.
Aplicar borra de café na água das plantas e sobre a terra ajuda a combater o Aedes? Não. A eficácia da borra de café na dosagem de duas colheres de sopa para meio copo de água não foi comprovada (já foi verificado na prática que água suja de borra de café desenvolve a larva do mosquito) e a sua utilização não simplifica os cuidados atualmente recomendados que são: a eliminação pratos ou a utilização de pratos justos aos vasos, a colocação de areia até as bordas dos pratos ou eliminar a água e lavar os pratos com bucha e sabão semanalmente.
É verdade que o mosquito se reproduz mais rápido no calor? Que outros hábitos o Aedes tem? Sim. No calor, o período reprodutivo do mosquito fica mais curto e ele se reproduz com maior velocidade. Isto explica o aumento de casos de dengue no verão. O mosquito fica onde o homem estiver, prefere picá-lo a qualquer outra espécie e gosta de água acumulada para colocar seus ovos.
No período de inverno a população está livre da doença? Isso deve ser considerado um engano. Durante o frio, a larva entra no estado de hibernação e quando voltam as chuvas e as altas temperaturas, as larvas eclodem e há contaminação novamente. Portanto, o trabalho de vistoria de quintais, terrenos baldios, estabelecimentos e outros locais, bem como, a busca e eliminação de criadouros do mosquito da dengue deve ser constante.
O ideal é usar um repelente ou os inseticidas para evitar as picadas do mosquito? Precisamos ter bastante atenção quanto a isso! As duas opções podem ser utilizadas, tanto passar o repelente ou fazer uso do inseticida, no entanto, temos que lembrar que o uso desses recursos são paleativos, ou seja, são soluções momentâneas que não resolvem realmente o problema da dengue. Estamos minimamente protegidos temporariamente, pois quando termina o efeito do repelente, por exemplo, estamos novamente expostos ao mosquito que continua nas redondezas e que não teve seus criadouros eliminados. Portanto, o ideal é atuarmos como vigilantes em nossa casa, no trabalho, na creche e na escola de nossos filhos e em outros locais em que tivermos acesso, com o intuito de eliminarmos os criadouros onde o mosquito deposita seus ovos e se prolifera.
É verdade que o mosquito não consegue atingir locais altos? O que sabemos sobre os hábitos do Aedes aegypti é que a fêmea se alimenta de sangue no início da manhã e mais no final da tarde, o que não impede que nos outros horários também aconteça. Quanto à capacidade de vôo, sabemos que possui possibilidade de acesso a alturas como, por exemplo, chegar à caixa d?água de sua casa, às calhas e terraços. Por sua vez, sua potencialidade de vôo não atingiria um prédio de 4 andares. No entanto, ele pode chegar até alturas mais elevadas considerando que o mosquito tem possibilidades de usar como transporte elevadores, condução de embalagens de materiais em geral, brinquedos, caixas de ferramentas e uma infinidade de outros recursos que podem conduzi-lo até a cobertura de qualquer edifício. Mas suas preferências ainda são as baixas alturas, tendo em vista que, sem fazer muito esforço, consegue alimentar-se e proliferar-se.
Ar condicionado e ventilador impedem as picadas do mosquito? Não. O ar condicionado pode impedir a entrada do mosquito, já que o ambiente está fechado. O que existe de verdadeiro nessa história é que, normalmente, o mosquito se direciona em função da liberação de gás carbônico, feita pelas vias aéreas. Então, pelo fato de o ventilador ou o ar condicionado estarem ligados, o gás carbônico fica mais diluído e impediria que o mosquito localizasse a vítima por conta disso.
Colocar água sanitária na água ajuda a evitar as larvas? Ajuda. É uma das principais medidas. Colocar uma colherzinha de água sanitária na caixa d’água, na piscina, nas poças e retenções de água ajuda a evitar as larvas.
Todas as pessoas picadas pelo mosquito transmissor irão desenvolver a doença? Primeiro, é preciso que o mosquito esteja contaminado com o vírus.
A dengue pode ser contraída mais de uma vez? Ao contrair dengue, a pessoa fica imunizada permanentemente para aquele sorotipo do vírus, mas não para os outros. Dessa forma, uma mesma pessoa pode ter dengue até quatro vezes. A segunda infecção por qualquer sorotipo da dengue é, na maioria das vezes, mais grave do que a primeira, independentemente dos sorotipos e de sua seqüência. Contudo, o tipo 3 mostra-se mais virulento. É importante lembrar, porém, que manifestações mais graves da dengue podem ocorrer na primeira infecção.
Por que não se desenvolve uma vacina contra a dengue, da mesma forma que foi feito para a febre amarela? O desenvolvimento de uma vacina contra dengue é mais difícil, porque tem que proteger ao mesmo tempo contra quatro tipos. No caso da febre amarela,só existe um tipo de vírus.
Como é feito o diagnóstico de dengue? O diagnóstico inicial de dengue é clínico (história + exame físico da pessoa) feito essencialmente por exclusão de outras doenças. É muito importante, por exemplo, saber se a pessoa não está com leptospirose ou doença meningocócica, que são tratáveis com antibióticos. Feito o diagnóstico clínico de dengue,alguns exames (hematócrito, contagem de plaquetas) podem trazer informações úteis quando analisados por um médico,mas não comprovam o diagnóstico, uma vez que também podem estar alterados em várias outras infecções. A comprovação do diagnóstico se for desejada por algum motivo, pode ser feita através de sorologia (exame que detecta a presença de anticorpos contra o vírus do dengue), que começa a ficar reativa (“positiva”) a partir do 5° dia de doença.
O que é a “prova do laço”? Ela é útil para determinar o diagnóstico de dengue? A “prova do laço” é um procedimento realizado com o aparelho de pressão, na tentativa de verificar fragilidade dos capilares (pequenos vasos sangüíneos). O aparelho é mantido inflado por cinco minutos em uma pressão intermediária entre a máxima e a mínima (o que pode ser desconfortável), com o objetivo de verificar a produção de petéquias (pequenos pontos avermelhados). É considerado positivo quando aparecem mais de 20 petéquias por polegada quadrada. Esse método não é eficaz, uma vez que além da dengue, a “prova do laço” pode estar positiva em diversas outras doenças como meningococcemia, leptospirose e rubéola e até em pessoas saudáveis. Também pode estar negativa nos casos de dengue, inclusive nos mais graves (“hemorrágicos”). Não ajuda, portanto, a concluir se a pessoa está ou não com dengue ou se a dengue é mais grave.
A dengue hemorrágica só ocorre nas pessoas que têm a dengue pela segunda vez? Não, isso é um folclore. Tudo ocorre de acordo com a virulência, quando o vírus tem a capacidade de provocar a doença mais forte. O vírus com essa virulência mais forte, vai depender da própria mutação que eles sofrem no ambiente, aquela que acontece pela seleção natural.
Nenhum medicamento cura a dengue? Verdade. Não existe nenhum antiviral que cure a dengue. Quando a pessoa é diagnosticada com dengue, seus sintomas é que são tratados de modo paliativo com analgésico, antitérmico e muita hidratação.
Hidratação ajuda a curar a dengue? Verdade. A hidratação é fundamental para o tratamento da doença, no entanto, não necessariamente com aplicação de soro da veia, pois este recurso é apenas usado em casos graves. É importante a grande ingestão de líquidos via oral mesmo.
Quais remédios contra os sintomas da dengue podem acarretar outros problemas? Por ser uma virose, o tratamento da dengue é sintomático, não tem medicação específica para tratamento da doença. O tratamento da dengue é baseado no diagnóstico precoce, manejo clínico (condução médica do caso), e boa hidratação. O uso recomendado de anti-térmico e analgésico é de paracetamol e dipirona. É proibido o uso de ácido acetilsalicílico (e todo o medicamento que contenha esse composto em sua fórmula), pois provoca sangramentos, piorando o quadro de dengue hemorrágica. Um cuidado excepcional que precisamos ter é com o paracetamol, pois ele ataca o fígado. Portanto, deve ser usado em baixas dosagens. O flavovírus do Aedes aegypti também provoca essa agressão hepática. Então, se você estiver com o vírus da dengue e tomando paracetamol, existe um comprometimento maior da função hepática e pode ter até hepatite. O ideal é usar a dipirona, pois não tem problema nenhum, exceto para os pacientes alérgicos a esse medicamento.
FONTES: – CMI Brasil – www.midiaindependente.org – DR. DIMILSON MIGOWSKI- Dengue/acessa.com – www.acessa.com/vidasaudavel/arquivo/saude/2008 – Clínico Geral e Geriatra Dr. lorivaldo Rocha -http://images.ig.com.br/infograficos/guia_da_dengue/especial.html

/td>

/td>

Aedes aegypti – Mitos e verdades

Quando a dengue começa a coçar?

Febre alta, dor no corpo e coceira são sintomas da dengue O ano de 2019 ainda está no início, mas os números de notificações de casos de dengue já são maiores em relação ao ano passado. Por isso, é importante ficar atento aos sintomas dessa doença, sem se esquecer também da zika e da chikungunya.

No caso da dengue, os primeiros sintomas apresentados são febre alta e mal-estar geral, que surgem cerca de três dias após a picada do mosquito Aedes aegypti. Também são sintomas da doença manchas avermelhadas pelo corpo, exantema, coceira leve, dor no corpo, dor de cabeça.

  • Já no caso da zika, os principais sintomas são dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos.
  • Esses sintomas aparecem entre três a sete dias após a picada do mosquito.
  • Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos.

Já no caso da chikungunya, os principais sintomas são febre alta de início rápido, dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer ainda dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Os sintomas iniciam entre dois e 12 dias após a picada do mosquito.

  1. Quem apresentar esses sintomas deve procurar imediatamente o médico para iniciar o tratamento adequado rapidamente.
  2. A dengue
  3. A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus transmitido pela picada do Aedes aegypt, mosquito que se multiplica em depósitos de água parada.
  4. A melhor forma de prevenção é eliminar os depósitos de água dentro e fora de casa, pois esses são os locais propícios para reprodução do mosquito.
  5. Como se prevenir
  6. – Limpar o quintal, jogando fora o que não é utilizado;
  7. – Tirar água dos pratos de plantas;
  8. – Colocar garrafas vazias de cabeça para baixo;
  9. – Tampar tonéis, depósitos de água, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água;
  10. – Manter os quintais bem varridos, eliminando recipientes que possam acumular água, como tampinha de garrafa, folhas e sacolas plásticas;
  11. – Escovar bem as bordas dos recipientes (vasilha de água e comida de animais, pratos de plantas, tonéis e caixas d’água) e mantê-los sempre limpos.
  12. Informações à imprensa
  13. Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Saúde
  14. Syria Luppi / Kárita Iana / Luciana Almeida / Thaísa Côrtes / Luan Ribeiro

E-mail: [email protected] Tels: (27) 3347-5642 / 3347-5643 : Febre alta, dor no corpo e coceira são sintomas da dengue

O que comer para se recuperar mais rápido da dengue?

GMG_ADVANCED_SEARCH Para se recuperar melhor da dengue é importante consumir alimentos fontes de proteína e ferro, como carnes, ovos e fígado, pois esses nutrientes ajudam a prevenir a anemia e a fortalecer o sistema imune. De acordo com a nutricionista da Fundação Ezequiel Dias (Funed), Kelly Marques da Silva, é importante também consumir juntamente com esses alimentos fontes de vitamina C, como sucos de limão, acerola e laranja, a fim de aumentar a absorção de ferro, melhorando assim os seus níveis no organismo.

A Associação Brasileira de Nutrição (ASBRAN) orienta que os pacientes com suspeita de dengue, devem evitar alguns alimentos que podem aumentar o tempo de sangramento, pois contém uma substância que interfere no processo da coagulação sanguínea, sendo eles: abricó, ameixa fresca, amêndoa, amora, batata, cereja, groselha, limão, maçã, melão, morango, nectarina, nozes, passa, pepino, pêssego, pimenta, tangerina, tomate e uva.Estar bem nutrido favorece o corpo no combate à dengue, e por isso é importante se alimentar com frequência, fazer repouso e ingerir pelo menos três litros de líquidos por dia. Por ACS/Funed

: GMG_ADVANCED_SEARCH

Quais são as 4 fases da dengue?

O ciclo de vida do mosquito Aedes aegypti contém 4 fases: Adultos, Ovos, Larvas e Pupas. Quando infectado, o adulto pode transmitir os vírus da Dengue, Chikungunya e Zika durante a vida toda.

Como o corpo elimina o vírus da dengue?

Proteína identifica o vírus e comanda ataque do sistema imunológico.Hoje, não existe nem remédio nem vacina contra a doença. – Uma pesquisa publicada na edição online desta terça (13) da revista científica “mBio” traz uma novidade sobre como o corpo humano responde ao vírus da dengue.

  • Uma proteína chamada lectina de aglutinação à manose (MBL, na sigla em inglês), é capaz de identificar o vírus para atacá-lo.
  • Hoje, não existe nenhum remédio específico para a dengue; o que os médicos fazem é controlar os sintomas que ela causa.
  • Os cientistas tentam também criar uma vacina para a doença, mas ainda não conseguiram.

Até essa descoberta, os cientistas sabiam que o sistema imunológico conseguia se livrar do vírus, mas nunca tinham entendido o processo em detalhes. O que a MBL faz é identificar moléculas de açúcar presentes ao redor do vírus. Uma vez que o corpo estranho é detectado, os anticorpos reagem e matam os vírus. Qual Os Sintomas Da Dengue : Pesquisa mostra como o corpo humano combate o vírus da dengue

Qual doença pode ser confundida com a dengue?

A Dengue e Chikungunya têm sintomas e sinais parecidos, enquanto a Dengue se destaca pelas dores nos corpo, a Chikungunya se destaca por dores e inchaço nas articulações. A Zika se destaca por uma febre mais baixa (ou ausência de febre), muitas manchas na pele a coceira no corpo.

Como fazer o teste de dengue em casa?

Exame da ‘prova do laço’ é realizado para ajudar no diagnóstico da dengue Por conta do aumento no número de casos de dengue em (SP), o resultado dos exames de laboratórios tem demorado até 30 dias para ficar pronto. Para tentar agilizar o processo, nas unidades de saúde da cidade é feito um exame mais simples, chamado de ‘prova do laço’.

  • Ele ajuda não só no diagnóstico da doença, mas também a saber as condições de saúde do paciente e auxilia no início do tratamento, identificando qual é o melhor procedimento a ser tomado.
  • O teste conhecido como ‘prova do laço’ também é realizado para avaliar o quadro clínico e a possibilidade da dengue se transformar no tipo mais perigoso da doença: a hemorrágica.

Ele é feito em qualquer serviço de saúde e leva em média dez minutos. O exame consiste em fazer o desenho de um quadrado no antebraço do paciente. Daí, a pressão arterial é verificada e o aparelho continua apertando o braço até que seja possível verificar a existência de pontinhos vermelhos dentro do quadrado.

Se o número for menor que 10, dificilmente haverá evolução para o quadro hemorrágico. Se estiver próximo de 20, é sinal de alerta. “É um exame simples, que a gente faz com um aparelho de pressão e a gente verifica com esse exame uma tendência maior a hemorragia do paciente”, explica a enfermeira Andréia Conde Soares.

Os sintomas aparecem de três a 15 dias após a picada do mosquito. Os mais comuns são febre alta, dores no corpo, principalmente nas articulações e na cabeça, indisposição, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo e, em alguns casos, sangramentos. Os sintomas da dengue duram em média uma semana e a doença não é transmitida de pessoa para pessoa.

A transmissão é pelo mosquito contaminado com o vírus Assim que a pessoa começa a ter os sintomas da dengue, a orientação é para que procure o quanto antes um serviço de saúde, independentemente de ser público ou particular. Assim, na unidade de saúde, o paciente passa por uma triagem para que seja feita a notificação do caso suspeito de dengue.

Nesta época, o paciente vai responder perguntas sobre os locais frequentados nos últimos 15 dias, quando começaram o sintoma e informar o endereço para que o serviço de saúde monitore se existem outros casos no bairro. Após a análise clínica é colhido sangue do paciente para que seja feita a confirmação.

Na região de Jundiaí, os testes são encaminhados para o Instituto Adolfo Lutz, em Campinas (SP). O problema é que o resultado pode levar até 30 dias para ficar pronto, mas o tratamento já precisa ser iniciado. “Hidratação oral, às vezes é necessário a hidratação venosa, medicação pra febre, dor e só. Tem que acompanhar e se notar qualquer sinal de piora tem que voltar imediatamente ao hospital”, frisa a enfermeira.

Combater os focos de dengue é a única maneira de prevenção da doença. A Secretaria de Saúde de Jundiaí reconhece que a cidade enfrenta um surto e diz que o problema maior está em cinco bairros, entre eles o Villa Bella, onde os focos estavam dentro das casas. Qual Os Sintomas Da Dengue Exame da ‘prova do laço’ é realizado para ajudar no tratamento da dengue (Foto: Reprodução/TV TEM) : Exame da ‘prova do laço’ é realizado para ajudar no diagnóstico da dengue

Como fazer o teste de dengue em casa?

Exame da ‘prova do laço’ é realizado para ajudar no diagnóstico da dengue Por conta do aumento no número de casos de dengue em (SP), o resultado dos exames de laboratórios tem demorado até 30 dias para ficar pronto. Para tentar agilizar o processo, nas unidades de saúde da cidade é feito um exame mais simples, chamado de ‘prova do laço’.

Ele ajuda não só no diagnóstico da doença, mas também a saber as condições de saúde do paciente e auxilia no início do tratamento, identificando qual é o melhor procedimento a ser tomado. O teste conhecido como ‘prova do laço’ também é realizado para avaliar o quadro clínico e a possibilidade da dengue se transformar no tipo mais perigoso da doença: a hemorrágica.

Ele é feito em qualquer serviço de saúde e leva em média dez minutos. O exame consiste em fazer o desenho de um quadrado no antebraço do paciente. Daí, a pressão arterial é verificada e o aparelho continua apertando o braço até que seja possível verificar a existência de pontinhos vermelhos dentro do quadrado.

Se o número for menor que 10, dificilmente haverá evolução para o quadro hemorrágico. Se estiver próximo de 20, é sinal de alerta. “É um exame simples, que a gente faz com um aparelho de pressão e a gente verifica com esse exame uma tendência maior a hemorragia do paciente”, explica a enfermeira Andréia Conde Soares.

Os sintomas aparecem de três a 15 dias após a picada do mosquito. Os mais comuns são febre alta, dores no corpo, principalmente nas articulações e na cabeça, indisposição, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo e, em alguns casos, sangramentos. Os sintomas da dengue duram em média uma semana e a doença não é transmitida de pessoa para pessoa.

  1. A transmissão é pelo mosquito contaminado com o vírus Assim que a pessoa começa a ter os sintomas da dengue, a orientação é para que procure o quanto antes um serviço de saúde, independentemente de ser público ou particular.
  2. Assim, na unidade de saúde, o paciente passa por uma triagem para que seja feita a notificação do caso suspeito de dengue.

Nesta época, o paciente vai responder perguntas sobre os locais frequentados nos últimos 15 dias, quando começaram o sintoma e informar o endereço para que o serviço de saúde monitore se existem outros casos no bairro. Após a análise clínica é colhido sangue do paciente para que seja feita a confirmação.

  • Na região de Jundiaí, os testes são encaminhados para o Instituto Adolfo Lutz, em Campinas (SP).
  • O problema é que o resultado pode levar até 30 dias para ficar pronto, mas o tratamento já precisa ser iniciado.
  • Hidratação oral, às vezes é necessário a hidratação venosa, medicação pra febre, dor e só.
  • Tem que acompanhar e se notar qualquer sinal de piora tem que voltar imediatamente ao hospital”, frisa a enfermeira.

Combater os focos de dengue é a única maneira de prevenção da doença. A Secretaria de Saúde de Jundiaí reconhece que a cidade enfrenta um surto e diz que o problema maior está em cinco bairros, entre eles o Villa Bella, onde os focos estavam dentro das casas. Qual Os Sintomas Da Dengue Exame da ‘prova do laço’ é realizado para ajudar no tratamento da dengue (Foto: Reprodução/TV TEM) : Exame da ‘prova do laço’ é realizado para ajudar no diagnóstico da dengue

Tem teste de dengue na farmácia?

A Drogaria São Paulo oferece para os seus clientes o teste de ponta de dedo (Sangue) para detecção da infecção viral (vírus da Dengue).

Em que fase da dengue aparecem as manchas vermelhas?

Autora: Maria Isabel de Moraes-Pinto, infectopediatra e médica consultora em vacinas da Dasa. Manchas vermelhas, planas e distribuídas pelo tronco. Também chamada de “rash”, as manchas de dengue são um sintoma comum, que ocorre em mais da metade dos pacientes com dengue e, geralmente, após o terceiro dia de febre.

Quais são os piores dias da dengue?

A dengue é uma doença febril aguda sistêmica de origem viral. Nos últimos 50 anos, o número de casos de dengue no mundo tem aumentado dramaticamente. – A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 4 bilhões de pessoas estejam vivendo em áreas com risco de infecção pela doença.

Anualmente, 390 milhões de casos são registrados no mundo, dos quais 96 milhões se manifestam clinicamente. A dengue afeta 128 países e é considerada uma doença negligenciada pela OMS. Na região das Américas, a doença tem se disseminado com surtos cíclicos ocorrendo a cada 3/5 anos. No Brasil, a transmissão vem ocorrendo de forma continuada desde 1986 registrando o maior surto da doença em 2013, com aproximadamente 2 milhões de casos notificados.

A dengue é causada por um arbovírus (vírus transmitidos por artrópodes) que se apresenta em quatro tipos diferentes: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Atualmente os quatro sorotipos circulam no Brasil intercalando-se com a ocorrência de epidemias, geralmente associadas com a introdução de novos sorotipos em áreas anteriormente não atingidas ou alteração do sorotipo predominante.

O vírus é transmitido pela picada de mosquitos da espécie Aedes que também são responsáveis pela transmissão da chikungunya, febre amarela e Zika. A dengue pode ter diferentes apresentações clínicas e de prognóstico imprevisível. Os primeiros sintomas aparecem de quatro a 10 dias depois da picada do mosquito infectado.

A doença começa bruscamente e se assemelha a uma síndrome gripal grave caracterizado por febre elevada, fortes dores de cabeça e nos olhos, além de dores musculares e nas articulações. Durante a evolução da doença, destacam-se três fases: febril, crítica e de recuperação,

Na fase crítica da dengue (entre o terceiro e o sexto dia após o início dos sintomas), podem surgir manifestações clínicas (sinais de alarme) correspondentes a uma complicação da doença potencialmente letal chamada dengue grave (conhecida anteriormente como dengue hemorrágica), que aparecem devido ao aumento da permeabilidade vascular e da perda de plasma, o que pode levar ao choque irreversível e à morte.

Os sinais clínicos de alarme da dengue grave são: dor abdominal intensa e contínua; vômitos persistentes; hipotensão postural e/ou lipotimia (tonturas, decaimento, desmaios); hepatomegalia dolorosa (aumento de tamanho do fígado); sangramento na gengiva e no nariz ou hemorragias importantes (vômitos com sangue e/ou fezes com sangue de cor escura); sonolência e/ou irritabilidade; diminuição da diurese (diminuição do volume urinado); diminuição repentina da temperatura do corpo (hipotermia); e desconforto respiratório.

  1. Uma infecção curada de dengue confere ao paciente imunidade contra o tipo de vírus responsável.
  2. Por existirem quatro tipos diferentes de vírus, para estar totalmente imunizado, é necessário ter tido contato com todos eles.
  3. Caso contrário, a cada contágio com um novo tipo de vírus, os sintomas são mais intensos e o risco de desenvolver a dengue grave é mais alto.

O diagnóstico da dengue é feito comumente mediante sorologia para determinar a presença de anticorpos contra o vírus no sangue, mas não determina especificamente qual tipo de vírus é responsável pela infecção. Métodos de biologia molecular mais elaborados podem ser utilizados para detectar as proteínas do vírus.

Não existe tratamento específico para dengue. Os cuidados terapêuticos consistem em tratar os sintomas: combater a febre e, nos casos graves, realizar hidratação por via intravenosa. O atendimento rápido para a identificação dos sinais de alarme e o tratamento oportuno podem reduzir o número de óbitos, chegando a menos de 1% dos casos.

Desde o fim de 2015 a primeira vacina contra dengue foi registrada em diferentes países para ser usada em indivíduos de 9 a 45 anos vivendo em áreas endêmicas ou de risco. A OMS recomenda que os países considerem a introdução da vacina contra dengue apenas em zonas geográficas onde os dados epidemiológicos indicam um alto índice da doença.

  • Outras vacinas com diferentes tipos do vírus se encontram em período de desenvolvimento.
  • De modo geral as vacinas têm mostrado uma efetividade muito variável (entre 50% e 80%) dependendo do tipo de vírus que causa a infeção, do tipo de indivíduos vacinados e do local onde tem sido implementada; igualmente o tempo de duração da proteção está sendo estudado.

Atualmente, a principal forma de prevenção é o combate aos mosquitos – eliminando os criadouros de forma coletiva com participação comunitária – e o estímulo à estruturação de políticas públicas efetivas para o saneamento básico e o uso racional de inseticidas.

MSF tem contribuído na vigilância e controle da doença em países atingidos por desastres naturais (Paquistão, Filipinas, Mianmar e Haiti), dado resposta a surtos sazonais (Cabo Verde, Honduras e El Salvador) e também realizado pesquisas sobre a epidemiologia da doença (Camboja). De igual maneira, MSF ajudou no passado a controlar surtos da doença no Brasil e atendeu pacientes com dengue na Unidade de Pronto Atendimento do Complexo do Alemão.

Página atualizada em janeiro de 2018.