Početna – ThaiConsulate

Tips, Reviews, Recommendations

Qual O Significado Da Tatuagem Da Medusa?

Qual o significado da tatuagem de uma Medusa?

Significado da Tatuagem de Medusa No mundo da tattoo temos as mais variadas inspirações quando desejamos fazer uma tatuagem e sempre que podemos, pesquisamos a respeito da arte a fim de ver se ela bate com o que queremos transmitir, e hoje iremos conhecer um pouco mais sobre uma a enigmática Medusa, vinda da mitologia grega, esta mulher com cabelos em formato de serpente tem uma história interessante e o seu significado pode ser ainda mais interessante.

Conta-se que sua história é um mito popular da antiga Grécia, algumas fontes modernas dizem que são de romances da época de Ilíada de Homero e as Metamorfoses de Ovídio. Fala-se que Medusa era uma sacerdotisa do templo Partenon, onde era dedicado a deusa Atena, e com o intuito de afetar a deusa, Poseidon seduziu Medusa, e esta ação causou a irá em Atena que amaldiçoou Medusa, transformando seus belos cabelos dourados em serpentes e sua visão passou a transforma em pedra todos que a olhassem diretamente.

Depois disso, medusa passou a ser isolada em uma ilha juntamente de suas irmãs Sthenno e Euryale, e que juntas formavam as Górgonas, na mitologia grega. O final da história conta que Perseu, um semideus (mistura de humano com uma divindade) chegou a esta ilha, a fim de capturar a cabeça da Medusa.

Para tal, ele utilizou das sandálias voadoras de Hermes para chegar à ilha, juntamente coma a espada que nunca quebra de Hefesto e o escudo de Atena. Depois de ser derrotada e decapitada, a cabeça da Medusa foi utilizada como arma e depois como parte do escudo da deusa Atena, para afugentar o mal. Trazendo para os dias de hoje, no mundo da tattoo, a Medusa tende a representar liberdade, mistério, transformação ou até mesmo o perigo diante do que a sua forma representa para as pessoas, com isso, ela poderá ser retratada como uma bela e inocente donzela, mas também pode ser comparada a uma bruxa, isso irá depender da sua percepção, que a pode considerar como um ser bom ou ruim.

De modo simbólico a Medusa era uma figura solitária, tinha raiva dos homens por ter sido seduzida por um, e também odiava as mulheres por ser amaldiçoada por uma.

-Na cultura greco-romana, a Medusa era tida como um amuleto de proteção; -Para muitas mulheres, ela também é um símbolo das lutas feministas; -Ela também pode representar a sedução feminina; -Ela também pode representar uma pessoa de personalidade mais introvertida; -Ela pode ser um amuleto de proteção contra inveja; -Por fim, pode significar a ascensão da consciência.

: Significado da Tatuagem de Medusa

Qual o significado de Medusa na Bíblia?

A história da Medusa e seu significado Daniela Diana Professora licenciada em Letras Na mitologia grega, Medusa era uma criatura representada por uma mulher com serpentes no lugar dos cabelos, presas de bronze e asas de ouro. Simbolicamente, Medusa era trágica, solitária e figura de uma mulher incapaz de amar e ser amada.

Qual é o significado da tatuagem de uma índia?

A tatuagem de uma índia também remete a muitos dos significados atribuídos à tattoo de lobo, já que as mulheres pertencentes aos povos indígenas representam qualidades como força, bravura e luta.

Qual é o significado da tatuagem 777?

TikTok. Você já deve ter visto alguém com essa tatuagem, mas o que será que ela significa? Na numerologia significa intervenção divina, sorte ou plenitude de espírito.

Qual o significado da Medusa no feminismo?

Nós minimizamos nossa raiva, chamando-a de frustração, impaciência, exasperação ou irritação, palavras que não transmitem a intrínseca demanda social e pública que a palavra “raiva” transmite. Nós aprendemos a nos conter: nossas vozes, cabelo, roupas, e, mais importante, nossa fala.

  1. A raiva geralmente é sobre dizer “não” em um mundo onde mulheres são condicionadas a falar quase qualquer coisa exceto “não”.
  2. Soraya Chemaly, em “Rage becomes her: the power of women’s anger” Às vezes me perguntam por que “Furiosa”.
  3. Um dos motivos é minha admiração pela personagem — Furiosa, de Mad Max: Fury Road.

Uma personagem brilhantemente interpretada por Charlize Theron cujo objetivo é libertar mulheres de um destino de exploração sexual e reprodutiva, transportando-as — arriscando sua própria vida nesse meio-tempo — para sua terra natal, um mundo idílico e utópico exclusivamente feminino de onde ela e sua mãe foram roubadas. A contenção da raiva feminina é um dos mais poderosos instrumentos de manutenção da supremacia masculina, e essa contenção se faz eficaz por vários caminhos — principalmente ao se associar fúria, raiva e indignação à masculinidade (e também o contrário — ao se associar passividade, aceitação, complacência, paciência e autossacrifício à feminilidade).

Se a raiva está num campo simbólico masculino, o próprio movimento feminista, por diversas vezes, já se viu rejeitando o sentimento de raiva e seus usos políticos por querer justamente se dissociar de qualquer coisa tipicamente masculina. Porque a raiva, como conhecemos, é, de fato, masculina. É uma raiva que gera violência, destruição, guerra, extermínio.

Mas só porque os homens têm feito esse uso — destrutivo — da raiva, isso não significa que tal caos seja de sua essência. Os pressupostos lógico da raiva são a autoestima, no sentido de que o sujeito sabe e reconhece que tem direito a algo, e a frustração, no sentido de que esse algo a que se tem direito é negado por outra pessoa.

E esse “algo” a que se tem direito pode ter comissivo ou omissivo — pode-se ter direito a que se faça algo e, também, a que não se faça algo consigo. Em termos práticos, por exemplo, pode-se ter direito tanto a um tratamento respeitoso quanto a uma vida livre de violência. Se você não sente que possui um direito, se esse direito for desrespeitado, negado, ultrapassado ou extrapolado, então você não vai se frustrar porque não havia uma expectativa em primeiro lugar.

Quando a mulher sente uma pontinha que seja de raiva — quando ela percebe que não deveria ser tratada como é tratada — significa que ela começa a se reconhecer enquanto sujeito, enquanto ser humano; é prova de que ela encontrou em si algum valor, apesar de ter sido ensinada o contrário.

  1. Então, é claro, essa raiva é reprimida, minimizada, ridicularizada.
  2. É tratada como algo sem motivo real.
  3. Como algo fútil.
  4. Resgatar a capacidade feminina de sentir raiva deveria ser uma das tarefas do feminismo, porque ensejaria uma revolução interna.
  5. Não adianta muito mudar o mundo externo das mulheres sem mudar suas estruturas internas, seu amor próprio: é muito comum que a gente se compadeça por nossas companheiras, amigas, e até mulheres que não conhecemos, mas que não consigamos enxergar nossa própria situação de violência.

Nós damos conselhos e instruímos amigas e nos indignamos com aquilo pelo qual elas passam, mas não conseguimos aplicar esses mesmos princípios à nossa própria vida Parte disso é porque é realmente difícil se colocar no lugar de vítima, justamente porque a vítima é uma figura violada e aparentemente sem agência, passiva. “Está na hora de as mulheres pararem de ser educadamente furiosas.” Isso explica porque a raiva é tão frequentemente associada ao feminismo e às feministas. “Você não é uma dessas feministas raivosas peludas que odeiam homens, né? Você é diferente”, eles perguntam.

“Sim, eu não sou raivosa, e amo homens”, nós respondemos. Precisamos de sua aprovação. Não queremos desencadear rejeição. Mas é impossível — eu acredito piamente que seja impossível tornar-se verdadeiramente feminista sem sentir um pingo de raiva pelos homens, e isso inclui (às vezes, privilegia) aqueles que conhecemos.

Porque somos constantemente estupradas, assassinadas, mutiladas, restringidas, amarradas, apertadas, beliscadas, cobertas, mascaradas, modificadas, esticadas, empurradas, boicotadas, assediadas, erotizadas, desumanizadas, silenciadas, invisibilizadas, exploradas, traficadas — por homens. É óbvio, é ululante que qualquer mulher que perceba que isso também acontece com ela vai sentir raiva, e ela tem toda razão de sentir. Sentir raiva não é algo ruim: é libertador. Significa que, finalmente, entendemos que temos direito a colocar limites: aqui não.

Esse espaço é meu. Não é seu. E eu não tenho que explicar por que você não tem o direito de usurpá-lo. E eu não tenho que ser paciente, fofa, e fazer rodeios para fazer você entender que eu também sou um ser humano. Eu não preciso me preocupar em resguardar sua frágil masculinidade porque estou resguardando algo mais importante: minhas próprias vida e integridade física e emocional.

E nada enfurece mais o patriarcado do que mulheres que reivindicam — bem, qualquer coisa. Talvez vocês só conheçam uma das versões do mito de Medusa — o de que ela era um monstro, uma górgona, com cabelos feitos de cobra; e que foi eventualmente decapitada por Perseu. Essa talvez seja a versão mais famosa. Só que, culturalmente, ao menos no ocidente, Medusa sempre foi símbolo da raiva feminina: muitas mulheres associam imediatamente seu nome à ira feminina mesmo sem conhecer qualquer detalhe de seu mito.

Não à toa, no século XX diversas autoras e grupos feministas adotaram Medusa como símbolo de sua atuação política. Mas o que explicaria a associação história de Medusa à raiva feminina — à primeira “vadia”, “histérica”, “cobra” da mitologia ocidental? Por que não outros monstros? Talvez por conta da outra versão de seu mito: Medusa, na verdade, teria sido uma das mais belas mulheres da Grécia, e teria sido transformada por Atenas num monstro ao qual nenhum homem poderia olhar nunca mais após ter sido estuprada no templo da própria deusa.

Sim, é isso mesmo: talvez seja a história ocidental mais antiga de culpabilização da vítima em caso de estupro que conhecemos. Isso naturalmente explicaria sua raiva: uma situação de injustiça. Mas não é interessante justificar sua raiva e apontar o verdadeiro culpado — Zeus, seu estuprador, e genitor de Atenas.

  1. Mais fácil tornar Medusa um monstro cheio de raiva.
  2. Irracional, histérico.
  3. E que acaba decapitado e vencido por um homem, no final.
  4. E punição semelhante é dada a outras mulheres e figuras femininas mitológicas que ousam desafiar figuras masculinas.
  5. Até Lillith, a primeira mulher criada por deus, foi banida não só do paraíso como da própria bíblia por ter se recusado a ficar por baixo durante o sexo.
See also:  Onde Fica A Disney?

“Mas você não é dessas feministas raivosas, né?” Na verdade eu sou sim. Eu estou furiosa. Eu sou Furiosa. Eu sou Medusa. Eu não reprimo minha raiva: eu a abraço, eu a aceito, e eu a utilizo para fortalecer a mim mesma e a minhas companheiras. Essa é minha vingança. “Medusa with the head of Perseus”, Luciano Garbati, 2008. Aplauda! Clique em quantos aplausos (de 1 a 50) você acha que ele merece e deixe seu comentário! Quer mais? Segue a gente: Medium | Facebook | Twitter | Instagram

Porque não tatuar Medusa?

Quem é a Medusa? – A maioria conhecerá a Medusa por sua cabeça de cobras no lugar de cabelos e o poder de transformar em pedra qualquer um que a olhe. Essa representação icônica da Medusa é amplamente difundida na mitologia grega e tem sido retratada em diversas formas de arte ao longo dos séculos.

  • Muitos também estarão familiarizados com seu conto mais famoso da mitologia, no qual é decapitada por Perseu.
  • A história de Perseu e Medusa é uma das narrativas mais conhecidas e tem sido contada e reinterpretada em várias culturas.
  • No mito, depois de cortar sua cabeça usando um escudo de bronze para proteger seus olhos, Perseu utilizou a cabeça de Medusa para derrotar seus inimigos na batalha.

O uso estratégico da cabeça de Medusa por Perseu é um aspecto importante da história e demonstra como ela se tornou um símbolo de poder e vitória. Medusa tornou-se um símbolo de um mal monstruoso, mas sua história é muito mais complexa. Antes de sua transformação, Medusa era descrita como uma bela jovem.

  1. Essa beleza foi o que chamou a atenção de Poseidon, o deus do mar, que é dito tê-la estuprado no templo sagrado de Atena.
  2. Esse evento traumático desencadeou uma série de consequências para Medusa.
  3. Em resposta ao estupro de Medusa, Atena transformou-a na figura que conhecemos, com seus cachos de cobra e olhar mortal.

Essa transformação foi uma forma de punição e também de proteção, já que a aparência monstruosa de Medusa se tornou uma defesa contra possíveis agressores. Na variação amplamente acreditada do mito, o poder colocado em Medusa foi uma maldição lançada por Atena, que estava furiosa com a profanação de seu templo sagrado.

  • Essa maldição transformou Medusa em um ser monstruoso e temido.
  • No entanto, existem outras interpretações do mito que consideram a transformação de Medusa como uma bênção, uma forma de ela se proteger após ser agredida por Poseidon.
  • Essa perspectiva oferece uma visão mais complexa da personagem, destacando sua força e resiliência diante de um trauma terrível.

De acordo com o The Met Museum, a Medusa é frequentemente retratada na arte grega como um “símbolo apotropaico usado para proteger e afastar o negativo”. Sua imagem é considerada uma ameaça perigosa destinada a repelir outras ameaças, uma representação do mal que busca afastar o mal.

Qual é o nome verdadeiro da Medusa?

A górgona Medusa – Medusa é uma personagem da mitologia grega conhecida por ser uma górgona. Medusa não era a única górgona, pois tinha duas irmãs, chamadas Esteno e Euríale. Nos mitos gregos, as górgonas eram seres monstruosos conhecidos por sua ferocidade e pelo fato de que transformavam em pedra todos os que os encarassem,

serpentes na cabeça no lugar dos cabelos; rosto horrendo; garras e dentes enormes e afiados; corpo parecido com o de uma serpente.

Como podemos ver, na mitologia grega, as górgonas eram representadas com feições femininas, Em uma das versões dos mitos de Medusa, afirma-se que ela era uma bela mulher, mas que sua vaidade e o fato de ser mais bonita que Atena teria feito essa deusa puni-la, transformando-a na górgona monstruosa.

Qual é a moral da história da Medusa?

De Medusa aos dias atuais: – O que é notícia em Sergipe

Autora: Larissa Ferreira Ferro Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação – UFS e-mail:[email protected]

Vivemos em uma sociedade marcada por padrões sociais, e estes se assemelham ao mito grego de Medusa, uma das mais belas sacerdotisas do templo de Atena. O seu envolvimento com Poseidon despertou a ira de Atena que a transformou em monstro, passando a possuir serpentes na sua cabeça e o poder de petrificar todo aquele que olhasse diretamente em seus olhos.

  1. Esse era um mito na Grécia antiga.
  2. Nesse texto não teceremos diálogo sobre a história de Medusa, mas a partir dela faremos uma analogia sobre a forma como as mídias atuais petrificam os corpos, dentro de modelos preestabelecidos, e o papel desempenhado pelas tecnologias na estruturação de padrões de beleza, que funcionam como auto promotores do que pode ou não ser considerado belo.

A exposição exacerbada, a busca pelo enquadramento dos padrões estabelecidos na atualidade, nos coloca dentro de uma corrida em busca do “belo”. Não é mais Medusa quem está petrificando os sujeitos, mas as lentes das tecnologias que instituem e julgam padrões petrificando modelos estéticos nas várias formas discursivas.

A indústria cultural influenciada pelas tecnologias, produz o que pode ou não ser considerado belo, ditando tipos de corpos ou características para cada um deles, haja vista as várias formas de manipulação a que estamos expostos diariamente, que acabam instigando e produzindo idealizações do corpo perfeito.

A indústria médica investe em técnicas e tecnologias que visam concretizar essas idealizações, tornando o corpo um espaço mercantilizado. A idealização do belo impõe padrões fixos de corpos, no entanto, o belo não está formatado em padrões preestabelecidos, não é algo fechado em formas fixas, essa ideia de belo se configura como a busca pelo encantamento de uma pseudo-realidade.

  1. A partir da exposição de propagandas e produtos que sublinharmente ditam modelos a serem seguidos, os meios de comunicação tornaram-se os detentores do considerado belo.
  2. O destaque do mito de Medusa diz respeito a como o olhar do outro pode nos “petrificar” dentro de uma busca pelo corpo perfeito.
  3. Basta olharmos para a realidade brasileira em 2014, quando o Brasil ocupou o primeiro lugar nos países que mais realizam cirurgias plásticas corretivas, superando até os Estados Unidos 1,

Neste sentido, cabe pensar até que ponto a sociedade atual busca petrificar-se em padrões de corpos esculturais ou formatados dentro de padrões pré-estabelecidos. Salienta-se que a tela da modernidade acompanha o momento histórico de cada época, trazendo a ideia do que pode ou não ser considerado belo.

É essa mesma tela quem institui respectivamente padrões de beleza, étnicos, paradigmas que anulam os sujeitos que não estão inseridos em determinados padrões. Tentar alcançar padrões formatados do “ser” através dos discursos midiáticos é desconsiderar as várias transformações sociais e caminhar na estrada da fantasia.

O discurso de poder acerca do belo que a modernidade detém acaba determinando “quais são, em seus mecanismos, em seus efeitos, em suas relações, esses diferentes dispositivos de poder que se exercem, em níveis diferentes da sociedade, em campos e com extensões tão variadas” (FOUCAULT, 2005.p.19).

Em todos os espaços as relações de poder se fazem presente, e estas produzem efeitos. São esses efeitos que acabam desencadeando uma busca exacerbada por corpos petrificados dentro dos padrões culturais estabelecidos socialmente. A ideia de um modelo de corpo petrificado em características fixas, está expresso nas várias figuras do ser, seja nas questões de gênero, índio, deficiente, negro ou de crenças ligadas ao divino.

Menciona-se que esses paradigmas de sujeito foram se modificando com o passar do tempo, e a idealização de figuras em padrões formatados, em enquadramentos idealizados configura-se como uma ideia encantada. A singularidade do ser, dentro da sua diversidade, rompe com quaisquer estereótipos de normalidade instituídos.

  1. Dentro de mitos de padrões formatados por instituições que definem o aceitável na sociedade, qualquer forma de enquadramento em modelos estabelecidos socialmente torna-se danoso, haja vista que sempre existirá divergências entre o real e o fictício.
  2. Ao longo do tempo várias transformações sociais ocorreram e consequentemente surgiram várias políticas para “mediar” o convívio com o diferente e as diferenças.

Porém, ainda nos deparamos com estéticas presas em estereótipos criados que não condizem com a realidade, e que acabam gerando situações preconceituosas. Os enquadramentos petrificados pelo desrespeito ao diferente e as diferenças geram os mais diversos tipos de adoecimento.

Portanto, o mito da Medusa conta que ela morreu decapitada, porém, sua cabeça e as cobras-cabelos continuaram ativas, tanto que Perseu continuou a utiliza-la para libertar a princesa Andrômeda do seu próprio sortilégio. O mito da Medusa trás a petrificação dos corpos através do olhar do outro e nesse sentido, faz-se necessário olhar o outro, não como determinação a ser seguida, mas para que possamos através dos olhos dele, quebrar com os cimentos ideológicos que podem custar a nossa própria cabeça.1 – Informação retirada do jornal Folha de São Paulo.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS COLLUCCI, Cláudia. BRASIL ULTRAPASSA OS EUA E SE TORNA LÍDER DE CIRURGIAS PLÁSTICAS. Folha de São Paulo – São Paulo, 29.07.2014. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2014/07/1493030-brasil-ultrapassa-os-eua-e-se-torna-lider-de-cirurgias-plasticas.shtml.

See also:  Quem Ganhou O Segundo Turno?

Qual é a história da Medusa?

Certo dia, dentro de um dos templos de Atena – deusa da sabedoria – Medusa teria se deitado com Poseidon – deus do mar -, deixando Atena furiosa. Por conta disso, como punição, a deusa grega Atena decidiu transformar as três irmãs em seres estranhos, com pele escamosa e cobras na cabeça.

Quais são as tatuagens de facção?

Pontos normalmente tatuados na mão classificam o criminoso. Um ponto indica o estágio inicial – batedor de carteiras; Dois pontos, o estuprador; Três pontos, o viciado em drogas; Quatro pontos, o traficante; Cinco pontos, o homicida (hierarquia do crime). Se a tatuagem for feita no rosto indica a homossexualidade.

Qual o significado da tatuagem da Medusa chorando?

Quem é a Medusa? – A maioria conhecerá a Medusa por sua cabeça de cobras no lugar de cabelos e o poder de transformar em pedra qualquer um que a olhe. Essa representação icônica da Medusa é amplamente difundida na mitologia grega e tem sido retratada em diversas formas de arte ao longo dos séculos.

Muitos também estarão familiarizados com seu conto mais famoso da mitologia, no qual é decapitada por Perseu. A história de Perseu e Medusa é uma das narrativas mais conhecidas e tem sido contada e reinterpretada em várias culturas. No mito, depois de cortar sua cabeça usando um escudo de bronze para proteger seus olhos, Perseu utilizou a cabeça de Medusa para derrotar seus inimigos na batalha.

O uso estratégico da cabeça de Medusa por Perseu é um aspecto importante da história e demonstra como ela se tornou um símbolo de poder e vitória. Medusa tornou-se um símbolo de um mal monstruoso, mas sua história é muito mais complexa. Antes de sua transformação, Medusa era descrita como uma bela jovem.

  • Essa beleza foi o que chamou a atenção de Poseidon, o deus do mar, que é dito tê-la estuprado no templo sagrado de Atena.
  • Esse evento traumático desencadeou uma série de consequências para Medusa.
  • Em resposta ao estupro de Medusa, Atena transformou-a na figura que conhecemos, com seus cachos de cobra e olhar mortal.

Essa transformação foi uma forma de punição e também de proteção, já que a aparência monstruosa de Medusa se tornou uma defesa contra possíveis agressores. Na variação amplamente acreditada do mito, o poder colocado em Medusa foi uma maldição lançada por Atena, que estava furiosa com a profanação de seu templo sagrado.

Essa maldição transformou Medusa em um ser monstruoso e temido. No entanto, existem outras interpretações do mito que consideram a transformação de Medusa como uma bênção, uma forma de ela se proteger após ser agredida por Poseidon. Essa perspectiva oferece uma visão mais complexa da personagem, destacando sua força e resiliência diante de um trauma terrível.

De acordo com o The Met Museum, a Medusa é frequentemente retratada na arte grega como um “símbolo apotropaico usado para proteger e afastar o negativo”. Sua imagem é considerada uma ameaça perigosa destinada a repelir outras ameaças, uma representação do mal que busca afastar o mal.

Qual é o significado da tatuagem da Catrina?

Além de saber tudo sobre a história da Catrina, ainda listamos 10 inspirações de tatuagens no tema para você. Vem! – A Catrina tem origem na cultura mexicana e é representada pelo esqueleto de uma mulher elegante da sociedade. É um dos personagens mais cultuados nos festejos do “Dia de los Muertos”, uma das datas mais comemoradas no México. No país, aliás, este dia é celebrado com muita festa, música e oração.

As casas são enfeitadas, queimam-se incensos e são feitas oferendas aos antepassados, em geral, de flores e comidas, que apreciavam em vida. A Catrina é um dos ícones deste evento. Sempre muito colorida, entre suas características marcantes está o uso de um chapéu, ornamento usado pela alta sociedade no passado, e vestido longo.

Conheça um pouquinho da cultura através do filme “Viva- A vida e uma festa”, produzido pela Disney e pela Pixar: Por estar relacionada ao culto à morte, a Catrina guarda como símbolo a finitude da vida em contraposição à eternidade do espírito. Uma tatuagem de Catrina denota a consciência de que a vida é uma passagem e de que, despidos da matéria, somos todos iguais.

A tatuagem de Catrina está relacionada ao saber desfrutar a vida com gratidão, compaixão e amor ao próximo, pois ela mostra que a nossa estada aqui é transitória, mas que viveremos a infinitude do espírito, que dá a todos uma forma que se define por seu coração, por suas atitudes e por tudo mais que se construiu para além do físico.

Além de serem muito especiais, por estarem relacionadas a este simbolismo marcante de fé, gratidão, igualdade e infinitude da alma, as tattoos de Catrina são lindas por seu colorido e ornamentação. Muitas pessoas, inclusive, fazem tattoos de Catrina utilizando como referência o rosto de alguma mulher que lhe é especial. Tatuagem feita por waltermoroni Tatuagem feita por carloscigano Tatuagem feita por betochavestattoo Tatuagem feita por necs_tattoo Tatuagem feita por felipestudiotattoo Tatuagem feita por gustavo.bage Tatuagem feita por alexpereztattoo Tatuagem feita por monnikenwerk Tatuagem feita por gustavogarcia069 Tatuagem feita por alexgarciatattooart

Qual é o significado da tatuagem 444?

O anjo número 444 e seu significado – Este número é considerado como uma mensagem positiva e de apoio de seus anjos da guarda. Cada dígito tem seu próprio significado na numerologia angélica, e 444 tem suas próprias interpretações. Aqui estão algumas delas neste sentido.

Apoio divino É um sinal de que seus anjos estão por perto, carregando amor, apoio e orientação. Você pode confiar que está cercada de energia positiva e que seus guardiões estão trabalhando com você em seus assuntos terrenos. Transformação e proteção A sua presença também nos diz que este é um momento de transformação em sua vida.

Pode ser um sinal de que você está sendo protegida e guiada ao passar por grandes mudanças. Seus anjos estão lá para ajudá-la em seu processo de crescimento e evolução pessoal. Harmonia Seus guardiões estão pedindo pela dedicação a um ponto de equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal. Qual O Significado Da Tatuagem Da Medusa O que significa o número 444 no amor? — Foto: Getty Images Neste âmbito, a combinação representa estabilidade, proteção e apoio divino em seus relacionamentos. É um lembrete para construir bases sólidas e estáveis em suas relações amorosas, dedicando-se à confiança e à comunicação aberta.

O que significa uma tatuagem 1111?

11:11 – Significado no Tarot – O número tem um significado especial nas cartas de Tarot, associado à carta da Justiça. Isso representa equilíbrio, imparcialidade e tomada de decisão justa. Quando vemos 11:11 em conexão com o Tarot, somos lembradas da importância de tomar decisões com base na verdade, honestidade e integridade. Da próxima vez que você estiver olhando para o relógio e notar esse número, pare um momento para refletir. Que pensamentos ou emoções vêm à mente? Você sente alguma conexão especial naquele momento? Permita-se explorar o significado pessoal que esse fenômeno pode ter para você. Lembre-se que a interpretação e o significado destes sinais dependem de cada pessoa.

Qual é o significado da tatuagem 555?

O número 555 carrega as fortes vibrações de tomar decisões e escolhas de vida, liberdade pessoal e individualidade, inteligência e expertise, adaptabilidade e versatilidade, lições de vida aprendidas através da experiência e desenvoltura, oportunidade e expansão, espontaneidade, mudanças de vida e novas oportunidades,

O que é Medusa simboliza?

Quem foi Medusa? – A Medusa foi uma das g órgonas presentes na mitologia grega. As górgonas eram monstros que tinham a aparência feminina e eram conhecidas por terem o poder de transformar em pedra aqueles que olhassem diretamente para o seu rosto. Elas também ficaram conhecidas por terem serpentes no lugar do s cabelo s,

  1. As górgonas tinham aparência monstruosa, com garras enormes, dentes afiados e asas.
  2. Uma variação do mito contava que Medusa havia sido uma mulher mortal e belíssima, mas foi punida por Atena por ser vaidosa demais e desrespeitar o templo dessa deusa, do qual Medusa era uma sacerdotisa.
  3. Medusa era filha de Fórcis e Ceto e era a única das três górgonas que não era imortal,

Desse modo, suas irmãs, Esteno e Euríale, eram imortais. Sobre o local em que ela residia também havia variação nas lendas. Uma versão falava que Medusa vivia em Cistene, mas outros autores gregos apontavam que ela vivia em uma região que atualmente corresponde à Líbia,

O nome medusa no idioma grego significa “guardar” ou “proteger”, tendo esse significado uma possível relação com o escudo de Atena, que, como veremos, era adornado com a cabeça de Medusa. Sua cabeça se tornou um símbolo usado como um amuleto que protegia seu portador contra mau agouros. Esse amuleto era chamado de gorgonião,

A popularidade do mito de Medusa fez com que representações dela fossem feitas em construções gregas, como o Templo de Ártemis, localizado em Córcira. A representação de Medusa em templos sagrados cumpria o propósito do gorgonião e afastava os maus espíritos.

    Qual o significado da Medusa no Tik Tok?

    Uma tatuagem tem vários significados. e sim um dos significados da tatuagem de medusa é o abuso sexual. porque uma das versões do mito conta que ela foi abusada pelo deus poseidon e foi. no caso é amaldiçoada de maneira injusta.

    O que significa o mito da Medusa?

    A Medusa era uma górgona, um monstro de mitos gregos, Ela tinha duas irmãs, também górgonas, mas, que, diferentemente dela, eram imortais. Medusa tinha o poder de transformar em pedra os que olhavam diretamente para ela. Ainda, algumas versões da mitologia afirmam que ela teria sido uma mulher amaldiçoada por Atena e transformada em górgona.

    O que significa a tatuagem de ponto e vírgula?

    Trata-se de um movimento que, de acordo com os próprios integrantes, ‘ mostra amor e esperança a quem tem tendências depressivas e suicidas ‘.

    Qual é o significado da tatuagem ri agora e chora depois?

    Tatuagem chora agora ri depois: a tatuagem chora agora ri depois, significa a volta por cima, primeiro vem os problemas, só depois vem a vitória.

    O que significa a tatuagem de um ponto e uma vírgula?

    Por que tem tanta gente com uma tatuagem de um ponto e vírgula? Qual O Significado Da Tatuagem Da Medusa tatuagem de ponto e vírgula (Foto: Kate Elizabeth / flickr / creative commons) Não sei você, mas nas minhas voltas pela internet percebi uma popularização de uma tatuagem inusitada: um ponto e vírgula. Investigando a tendência, o pessoal do descobriu a história incrível por trás da moda – o (semicolon é ponto e vírgula em inglês), que nasceu de uma movimentação nas redes sociais em 2013.

    É um movimento que, de acordo com os próprios integrantes, ‘mostra amor e esperança a quem tem tendências depressivas e suicidas’. Originalmente, pedia que quem se identificasse com esses objetivos desenhasse um ponto e vírgula em algum lugar de seus corpos e compartilhar em redes sociais. Mas por que um ponto e vírgula? “Um ponto e vírgula é usado quando um autor pode terminar uma frase, mas escolhe continuar” – signficado profundo quando aplicado ao projeto.

    No ano passado os líderes do projeto, juntamente com um estudo de tatuagem, ofereceram mais de 400 tattoos de ponto e vírgula para quem luta ou já superou problemas psicológicos. Saiba mais no 13 Jul 2015 – 16h34 Atualizado em 29 Ago 2016 – 20h41 : Por que tem tanta gente com uma tatuagem de um ponto e vírgula?

    Qual é o significado espiritual da Medusa?

    A história da Medusa e seu significado Daniela Diana Professora licenciada em Letras Na mitologia grega, Medusa era uma criatura representada por uma mulher com serpentes no lugar dos cabelos, presas de bronze e asas de ouro. Simbolicamente, Medusa era trágica, solitária e figura de uma mulher incapaz de amar e ser amada.

    Qual é a verdadeira história da Medusa?

    Verdadeira história: Medusa foi transformada em monstro por ter sido estuprada Para se vingar de Atena, Poseidon, sem nenhum pudor, decidiu abusar sexualmente de uma das suas devotas mais fieis, a Medusa. Por perder a virgindade, Medusa foi transformada em um monstro e nunca teve sua história contada corretamente. Medusa, personagem mitológico, transformada em monstro por ter sido estuprada | Foto: Adobe Stock | Licenciado A quase sempre culpa as mulheres de todas as coisas ruins que acontecem no mundo. Eva (personagem bíblico) é a única culpada pelos pecados do mundo, segundo o livro mais vendido do planeta.

    • Mesmo que a história conte que Adão era responsável pelas decisões, a mulher foi culpada por apresentar a maça.
    • Nunca sequer foi debatida a decisão do homem.
    • Na mitologia grega também as mulheres são descritas como vingativas, monstros e sedutoras.
    • A Medusa, personagem mitológica vista por todos como maléfica e monstruosa, nunca teve sua história realmente contada; tudo isso para romantizar um ataque brutal em que a personagem precisa arrancar sua cabeça para combater um monstro marinho.

    A parte mais cruel nunca foi contada em filmes e na arte em geral. Medusa foi transformada em um monstro porque foi estuprada e vivia isolada, até aparecer Perseu, que precisava arrancar sua cabeça para salvar Andrômeda. Quem seria o monstro? Mais uma vez a história transformou a mulher no monstro causador de sofrimento.

    Na antiga mitologia grega, Medusa é a mais famosa das três irmãs conhecidas como as Górgonas. O mais antigo registo conhecido sobre a história da Medusa e das Górgonas pode ser encontrado na Teogonia de Hesíodo. Segundo este antigo autor, as três irmãs, Sthenno, Euryale e Medusa, eram as crianças de Phorcys e Ceto e viviam “para além do famoso Oceano, à beira do mundo, duramente à noite”.

    Das três, apenas a terceira é considerada mortal, mas ela é também a mais famosa e o mito do seu falecimento nas mãos de Perseu é frequentemente recontado. Uma mulher de beleza descomunal, que gostava de se cuidar. Assim era Medusa e, mesmo muito vaidosa, a jovem era sacerdotisa fiel de Atena, a deusa virgem.

    • Apesar de todos os cuidados com pele, cabelo e das roupas mais ousadas, Medusa nunca deixou de seguir o princípio da castidade de Atena.
    • Na Grécia Antiga, Poseidon e Atena, em um determinado momento, travaram uma guerra para decidir a capital da Grécia.
    • Atena saiu vitoriosa e isso despertou uma fúria em seu irmão, que era um tanto quanto irracional.

    E para se vingar de Atena, Poseidon, sem nenhum pudor, decidiu abusar sexualmente de uma das suas devotas mais fieis, a Medusa. Após isso, rumores do fato começaram a se espalhar. E não é de se espantar que a maioria das pessoas culpavam Medusa, dizendo que ela tinha se aproveitado da situação.

    Apesar disso, a fé da jovem não se abalou e ela continuou fiel a seus princípios e indo todos os dias ao templo da deusa. Ao saber disso, Atena foi tirar satisfação com Medusa e a serva disse que havia sido vítima de um abuso. Se fosse qualquer outra serva sua, Atena havia acreditado. Porém, como era Medusa, a deusa não se convenceu de suas explicações e transformou seu cabelo em cobra, lançando a maldição que qualquer pessoa que olhasse para ela seria transformada em pedra.

    Essa é apenas uma das várias histórias de violência sexual da mitologia grega, que buscava contemplar todos os anseios, pensamentos e vontades humanas. Mas, sob um olhar atual, Medusa foi a única a receber punição pelos atos se Poseidon, enquanto seu único “crime” foi ser bonita.

    Vemos traços inegáveis da cultura do estupro nessa história. Natalie Haynes, graduada em Filologia Clássica pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e considerada uma autoridade mundial em literatura clássica, decidiu revisitar esses mitos a partir de uma perspectiva silenciada há centenas de anos: a feminina.

    Autora de seis livros, em 2021 publicou Os Mil Navios (em tradução livre), que narra a lendária Guerra de Tróia e suas terríveis consequências por meio das histórias de várias mulheres. “As pessoas pensam na Medusa como o monstro arquetípico, mas ela foi vítima de estupro.

    Ela foi primeiro estuprada por um deus masculino (Poseidon) e depois punida por uma deusa feminina (Athena) por ter sido agredida sexualmente em seu templo”, diz a autora. “Escrever sobre Medusa para o meu livro O Jarro de Pandora foi muito terapêutico. Realmente gostei de poder dizer às pessoas: Veja como tratamos essa personagem que de fato não fez absolutamente nada de errado”.

    A escritora disse que quando terminou o capítulo sobre Medusa, ficou muito zangada com a forma como a história a trata, e decidiu priorizar partes muito específicas de sua trajetória. A escritora lembra até da terrível maldição de Medusa, que transforma em pedra quem olhar diretamente para seus olhos.

    1. Medusa não fez nada de errado.
    2. Na verdade, seu poder de transformar em pedra quem olha em seus olhos só é usado após sua morte, justamente por Perseu.
    3. Ela não usa esse poder quando está viva.
    4. E, no entanto, tendemos a olhar para isso com horror”, finaliza.
    5. A história distorcida da Medusa e de tantas mulheres na história é refletida até os dias atuais.

    Até os dias de hoje, mulheres que sofrem abusos sexuais precisam responder a perguntas de policiais e advogados de defesa sobre que roupa estava usando, se já tiveram relações sexuais antes ou o que estavam fazendo na rua àquela hora. A pergunta que fica em pleno século 21 é: Até quando a mulheres serão transformadas em monstros e culpadas por tudo? Fontes: e : Verdadeira história: Medusa foi transformada em monstro por ter sido estuprada

    Qual é a história de Medusa?

    Medusa era uma górgona, um ser monstruoso que foi descrito na mitologia grega. Ela possuía duas irmãs (sendo a única que não era imortal), tinha a aparência de uma serpente e transformava em pedra todos os que a encaravam. Na mitologia, Medusa ficou marcada por ter sido morta por Perseu, herói filho de Zeus,

    O que significa a tatuagem de um ponto e uma vírgula?

    Por que tem tanta gente com uma tatuagem de um ponto e vírgula? Qual O Significado Da Tatuagem Da Medusa tatuagem de ponto e vírgula (Foto: Kate Elizabeth / flickr / creative commons) Não sei você, mas nas minhas voltas pela internet percebi uma popularização de uma tatuagem inusitada: um ponto e vírgula. Investigando a tendência, o pessoal do descobriu a história incrível por trás da moda – o (semicolon é ponto e vírgula em inglês), que nasceu de uma movimentação nas redes sociais em 2013.

    1. É um movimento que, de acordo com os próprios integrantes, ‘mostra amor e esperança a quem tem tendências depressivas e suicidas’.
    2. Originalmente, pedia que quem se identificasse com esses objetivos desenhasse um ponto e vírgula em algum lugar de seus corpos e compartilhar em redes sociais.
    3. Mas por que um ponto e vírgula? “Um ponto e vírgula é usado quando um autor pode terminar uma frase, mas escolhe continuar” – signficado profundo quando aplicado ao projeto.

    No ano passado os líderes do projeto, juntamente com um estudo de tatuagem, ofereceram mais de 400 tattoos de ponto e vírgula para quem luta ou já superou problemas psicológicos. Saiba mais no 13 Jul 2015 – 16h34 Atualizado em 29 Ago 2016 – 20h41 : Por que tem tanta gente com uma tatuagem de um ponto e vírgula?