Početna – ThaiConsulate

Tips, Reviews, Recommendations

Qual EstaO Do Ano Estamos?

Qual estação do ano estamos hoje?

Estações do ano no Hemisfério Sul – 2020

Início
Outono 20 de março de 2020 às 00h50min
Inverno 20 de junho de 2020 às 18h44min
Primavera 22 de setembro de 2020 às 10h31min
Verão 21 de dezembro de 2020 às 07h02min

Quando chega a primavera 2023?

Veja o prognóstico climático produzido pelo Inmet em parceria com o Inpe. Publicado em 19/09/2023 18h30. Última modificação 22/09/2023 12h17. A primavera no Hemisfério Sul começa no dia 23 de setembro, às 3h50, e termina no dia 22 de dezembro de 2023, à 0h27 (horário de Brasília).

Quando começam as estações do ano?

Primavera: 23 de setembro de 2023, às 03h50. Verão: 22 de dezembro de 2023, às 00h27. Outono: 20 de março de 2023, às 18h25. Inverno: 21 de junho de 2023, às 11h58.

Qual é a estação do ano que mais chove?

Resumo – As estações do ano são subdivisões climáticas de períodos ao longo do ano. São elas: primavera, verão, outono e inverno. Sua ocorrência deve-se ao fato de que a Terra realiza movimentos em torno de seu próprio eixo (rotação) e em torno do Sol (translação), fazendo com que a incidência de raios solares seja desigual nos Hemisférios Norte e Sul.

  1. O verão representa a estação do ano com temperaturas, geralmente, elevadas e altos índices pluviométricos.
  2. Já no inverno, as temperaturas caem significativamente, podendo ter nevascas e geadas em alguns lugares do planeta.
  3. A primavera representa a estação com temperaturas mais amenas, representando a transição entre o inverno e o verão.

O outono é marcado por mudanças na paisagem, com queda das folhas de árvores e uma diminuição gradual das temperaturas. Por Rafaela Sousa Graduada em Geografia

Quando começa a primavera e verão?

A estação das cores e flores está chegando! Estamos falando da Primavera, estação do ano que começa entre os dias 22 e 23 de setembro no hemisfério Sul – onde está o Brasil – e se estende até 22 de dezembro. Ela se inicia após o inverno e antecede o verão.

O que é que acontece na primavera?

A primavera é uma estação do ano, Essa estação é caracterizada por apresentar dias com temperaturas amenas, além disso, em algumas regiões, também ocorre a floração de diversas plantas. A primavera inicia-se logo após o inverno e encerra-se dando início à estação do verão. Leia também: Alguns aspectos relevantes sobre a atmosfera terrestre

Quais são os meses da primavera?

Primavera: De 23 de setembro a 21 de dezembro. Do latim: primo vere, no começo do verão. Ah, essa é a estação mais florida do ano! Representa a época primeira, a estação que antecede o Verão.

Como será o verão 2024 no Brasil?

Crédito: Lapis – Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites A previsão da tendência climática para o início de 2024 nas regiões brasileiras, realizada pelo Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis), indicou que a expansão do El Ninõ pelo Pacífico Tropical deve causar um verão de altas temperaturas no Hemisfério Sul, chegando a atingir uma média de 4º C acima do normal.

De acordo com a análise do meteorologista fundador do Lapis, Humberto Barbosa, o evento do El Niño é responsável por uma resposta atmosférica intensa em todo o mundo e os impactos mais fortes causados pelo fenômeno devem ocorrer durante o próximo verão. As estimativas do multimodelo internacional European Centre for Medium-Range Weather Forecasts (ECMWF), que é considerado um dos mais assertivos do mundo, mostram que o El Niño atingirá seu pico 2º C acima do normal, o que é considerado um evento forte.

Com isso, a tendência da previsão climática para fevereiro de 2024 é de chuva abaixo da média em grande parte do Centro-Norte do Brasil e condições mais secas no Nordeste Setentrional. “As tendências mostram um pico de temperatura do Oceano Pacífico principalmente no período de fevereiro a maio de 2024, que é o período da estação chuvosa no Semiárido.

  1. Com isso, certamente as condições climáticas de chuvas vão ser desfavoráveis para os agricultores e as altas temperaturas que têm sido observadas nos últimos anos vão aumentar ainda mais”, revelou o Humberto Barbosa.
  2. O clima sazonal depende das condições de temperatura do Oceano Pacífico Equatorial e as anomalias oceânicas estão ligadas a partir dos ventos alísios globais.

O El Niño forma ventos alísios fracos, o que influencia diretamente na circulação global, por isso as anomalias oceânicas são um indicador para entender o estado atual do sistema climático global. Porém, nenhuma previsão sazonal de longo prazo pode ser considerada totalmente confiável, uma vez que trata-se da apresentação de uma tendência e os padrões climáticos podem evoluir em grande escala durante um longo período. A análise recente da superfície do oceano Pacífico tropical permite ver anomalias quentes do evento de El Niño, atingindo mais de 4 °C acima do normal. | Crédito: Lapis – Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites “Nós estamos esperando mais um mês para analisar as condições do Atlântico Sul, porque o Atlântico Sul poderia e pode minimizar um pouco esse impacto do El Niño na redução das chuvas, principalmente no semiárido brasileiro.

Porém, normalmente quando você tem um pacífico muito quente o Atlântico Norte também tende a ficar mais quente, que é o que está acontecendo esse ano, e isso faz com que a zona de convergência, que é a principal sistema meteorológico que traz as chuvas para o semiárido nordestino de fevereiro a maio, fique mais afastado, por isso ainda pode chover, mas chover muito abaixo da média”, explicou Humberto Barbosa.

Ainda de acordo com Barbosa, os governos municipais, estaduais e federal precisam ter uma planejamento para fornecer assistência aos agricultores e antecipar as medidas de prevenção dos danos que podem ser causados pelos efeitos do El Niño: “em 2024 a seca deve ser mais difícil durante os primeiros seis meses do ano, por isso, o agricultor precisa estar preparado, para isso, ele pode tentar fazer uma estocagem e utilizar a palma forrageira, que durante a seca severa de 2012 a 2016 foi fundamental para a pecuária, e no período de chuva irregular ele pode criar uma pastagem e de certa forma armazenar essa pastagem, a palma forrageira e o capim”.

  • Obviamente que a questão ainda vai depender também da distribuição de água e os carros pipa têm um papel importante.
  • É importante que as prefeituras já possam estar antecipando a necessidade de abastecimento de água em função das condições de redução das chuvas e as altas temperaturas, os reservatórios realmente vão ter uma perda de água e isso precisa ser antecipado, principalmente para o agricultor, para que tenham cisternas com boa capacidade de armazenamento.

A qualidade da água também deve ser observada pelas prefeituras, porque normalmente quando você tem essas altas temperaturas e a redução de chuva, a qualidade da água cai e isso também é um fator que pode trazer consequências à saúde do agricultor”, concluiu o meteorologista.

  1. Segundo as previsões divulgadas recentemente pelo LAPIS, o El Niño deve começar a enfraquecer durante o inverno de 2024 no Hemisfério Sul, podendo terminar até o verão de 2025.
  2. Uma questão importante! Se você chegou até aqui, já deve saber que colocar em prática um projeto jornalístico ousado custa caro.

Precisamos do apoio das nossas leitoras e leitores para realizar tudo que planejamos com um mínimo de tranquilidade. Doe para a Marco Zero. É muito fácil. Você pode acessar nossa página de doaçã o ou, se preferir, usar nosso PIX (CNPJ: 28.660.021/0001-52),

Quanto é a primavera?

A primavera, no Brasil, inicia-se entre os dias 22 e 23 de setembro e segue até o dia 21 ou 22 de dezembro.

O que vem depois do verão?

As estações do Ano. Todo mundo já sabe que durante o ano ocorrem quatro estações: Primavera, verão, outono e inverno. As estações do ano acontecem por causa da inclinação da terra em relação ao sol. O movimento do nosso planeta em torno do sol, dura um ano.

Esse movimento recebe o nome de translação e a sua principal conseqüência é a mudança das estações do ano. Se a Terra não se inclinasse em seu eixo, não existiriam as estações. Cada dia teria 12 horas de luz e 12 horas de escuridão. E como o eixo do planeta terra forma um ângulo com seu plano orbital, existe o verão e o inverno, dias longos e dias curtos.

Durante o Verão, os dias amanhecem mais cedo e as noites chegam mais tarde. Ao longo dos três meses desta estação, o sol se volta, lentamente para a direção norte e os raios solares diminuem sua inclinação. No início do Outono, os dias e as noites têm a mesma duração: 12 horas.

Isso é porque a posição do sol está exatamente na linha do Equador. Porém, o sol, vai continuar se distanciando aparentemente para norte. A partir daí, os raios solares atingem o mínimo de inclinação no início do Inverno, e, ao contrário do Verão, os dias serão mais curtos e as noites mais longas. Então, o Sol vai começar a se deslocar na direção sul.

Começando então a Primavera e os dias e as noites terão a mesma duração. Portanto, as estações do ano e a inclinação dos raios solares variam com a mudança da posição da Terra em relação ao Sol. Quando o Pólo Norte se inclina em direção ao Sol, o hemisfério Norte se aquece ao calor do verão.

  • Seis meses mais tarde, a Terra percorreu metade de sua órbita.
  • Agora o Pólo Sul fica em ângulo na posição do Sol.
  • É verão na Austrália e faz frio na América do Norte.
  • As quatro estações Outono : De 21 de março a 21 de junho Do latim: autumno.
  • Também conhecido como o tempo da colheita, pois é nesta época que ocorrem as grandes colheitas.
See also:  Quando Estou Fraco Que Sou Forte?

Os dias ficam mais curtos e mais frescos. As folhas e frutas, já estão bem maduras e começam a cair no chão. Os jardins e parques ficam, coberto de folhas de todos os tamanhos e cores. Isto por que os países lá do hemisfério norte precisam se preparar para o inverno que está chegando. Inverno: De 21 de junho a 23 de setembro Do latim: hibernu, tempus hibernus, tempo hibernal. Associado ao ciclo biológico de alguns animais ao entrar em hibernação e se recolherem durante o período de frio intenso. Estação que sucede o Outono e antecede a Primavera. Primavera: De 23 de setembro a 21 de dezembro. Do latim: primo vere, no começo do verão. Ah, essa é a estação mais florida do ano! Representa a época primeira, a estação que antecede o Verão. Com o fim do inverno, os voltam a ser mais longos e quentes. Este é o período em que os animais se reproduzem e constroem seus ninhos. Verão: De 21 de dezembro a 21 de março. Do latim vulgar: veranum, veranuns tempus, tempo primaveril ou primaveral. Chegou o Verão, a estação mais quente do ano. Muito calor e dias bem longos. As temperaturas estão lá em cima. Relativo a primavera. Estação que sucede a Primavera e antecede o Outono. Bilbiografia: BRANCO, S.M.; Um passeio pelas estações do ano. Editora Moderna.48p. http://www.smartkids.com.br/pergunte/estacoes/ http://planeta.terra.com.br/arte/observatoriophoenix/k_ensaios/24_k04.htm http://astro.if.ufrgs.br/tempo/mas.htm http://www.techs.com.br/meimei/historias/historia55.htm Voltar

Quando termina o outono?

O outono no Hemisfério Sul teve início às 18h25 (horário de Brasília) do dia 20 de março de 2023 e termina às 11h58 (horário de Brasília) do dia 21 de junho.

O que ocorre no outono?

Características do outono – O outono é uma estação do ano que ocorre após o verão e antes do inverno, Tem início a partir do momento em que há o chamado equinócio de outono, fenômeno em que dias e noites têm o mesmo tempo de duração. No Hemisfério Norte, o outono inicia-se no dia 22 e 23 de setembro e, no Hemisfério Sul, no dia 20 e 21 de março.

Sempre que é outono no Hemisfério Norte, é primavera no Hemisfério Sul e vice-versa. O outono apresenta diversas características próprias e só se manifesta mais acentuadamente nas regiões de clima temperado e subtropical. Nesses climas, ocorre a queda das folhas como característica mais marcante da estação.

Essa queda só ocorre em plantas caducifólias (plantas que perdem a folhagem em um época do ano – no outono). Além disso, as plantas frutíferas tendem, nessa época do ano, a amadurecer seus frutos, sendo uma estação de muita produção de frutas, Qual EstaO Do Ano Estamos Queda das folhas no outono do Hemisfério Norte. Nessa estação, os ventos também aumentam e ficam mais fortes gradativamente. Como o outono antecede o inverno, é comum também haver quedas de temperaturas constantes. Se há queda nas temperaturas, também há a diminuição da umidade do ar, Geadas e neve podem ser também comuns nessa estação do ano. Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉

Quanto tempo dura o verão?

Ele é marcado pelo aumento das temperaturas e permanece durante 3 meses (do final de dezembro até o final de março). No Brasil, o verão tem início em 21 ou 22 de dezembro e acaba em 20 ou 21 de março. Em muitos países, o verão corresponde ao período das férias escolares e o momento em que as praias ficam lotadas.

Qual é a cidade mais quente do Brasil 2023?

A que cidade marcou o recorde foi São Romão, no norte de Minas Gerais. O município de 10.315 habitantes alcançou a temperatura de 43,5°C.

Qual foi o dia mais quente do ano de 2023?

A cidade de São Paulo registrou o dia mais quente de 2023 neste domingo (24), com 36,5º C. Essa é também a sexta maior temperatura já registrada na capital, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), e o maior registro para o mês de setembro desde 1943.

A capital enfrenta há dias uma onda de calor que atinge também atinge outras regiões do país. Segundo o Inmet, outras três capitais registraram neste domingo recorde de temperatura em 2023. No Rio de Janeiro, foram registrados 39,9°C. Em Belo Horizonte, a máxima bateu 37,1°C. Já em Curitiba, foram 33,7°C.

O Rio teve um domingo de praias cheias e ao menos um registro de arrastão. Durante a tarde, policiais foram acionados para uma ocorrência na praia do Leme e detiveram dois homens, que tentaram resistir à abordagem e atiraram objetos contra os agentes.

Na cidade de São Paulo, o calor deste domingo supera o de sexta (22) e o de sábado (23), até então os dias mais quentes do ano, com 34,7°C. A marca foi registrada pelo Inmet por volta das 15h na estação convencional do Mirante de Santana, na zona norte da capital. As medições começaram em 1943 e, desde então, a maior temperatura foi observada em 17 de outubro de 2014: 37,8ºC.

O dia de alta temperatura lotou parques e esvaziou os pontos turísticos da região central, onde não há árvores e a sensação de calor é mais forte. No fim da manhã, os parques Ibirapuera, na zona sul, e Villa-Lobos, na zona oeste, tinham filas de carros para entrar nos estacionamentos e para alugar bicicletas.

  • Os bebedouros e locais com sombra também eram disputados pelos frequentadores.
  • Já a avenida Paulista, o Minhocão e o Vale do Anhangabaú ficaram praticamente vazios,
  • Em São Miguel Paulista, na zona leste, que figura com frequência entre os três bairros mais quentes da cidade, os moradores lotaram piscinas particulares para se refrescar e amenizar o calor.

Paulistanos têm enfrentado uma série de altas temperaturas nas últimas semanas do inverno, que deu lugar à primavera às 3h50 deste sábado (23). Os dois primeiros meses da estação são marcados por máximas de temperatura em vários locais do país —inclusive na capital.

Como é feita a previsão do tempo na cidade de São Paulo?

Neste domingo (24), o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas) também registrou recorde de temperatura na cidade. Segundo o órgão, ligado à prefeitura, a média de temperatura máxima parcial atingiu 34,7°C por volta das 12h20. Até então, o recorde havia ocorrido no dia 22 de setembro com 34°C.

  1. O centro alertou que as temperaturas vão continuar em elevação até o meio da tarde.
  2. Os pontos com recordes absolutos de temperatura nesta tarde, segundo o CGE, foram São Miguel Paulista (com registro de 37,33ºC), Móoca (37,18ºC) e Butantã (37,04ºC).
  3. O CGE faz as previsões a partir de imagens de satélite, de radares e de 29 estações meteorológicas automáticas pela capital.

A diferença em modelos e metodologias se traduz nas previsões, mas o órgão oficial brasileiro é o Inmet. A previsão é de que a massa de ar quente e seco deve continuar atuando pelo menos até a próxima quarta-feira (27) e, o calorão, só deve diminuir a partir da quinta-feira (28), com a previsão do retorno das chuvas na forma de pancadas isoladas em São Paulo.

Um dos fatores que causa ondas de calor, diz a Defesa Civil do estado, é um sistema de alta pressão sobre regiões do estado que mantém o tempo quente e seco e dificulta a chegada de frentes frias carregadas de umidade. Ainda, o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) aponta que a influência do El Niño deve manter as ondas de calor durante a primavera.

O fenômeno deve contribuir com mais chuvas no Sul, especialmente no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, e menos precipitação no leste da Amazônia. Embora não seja possível cravar seus efeitos nos próximos meses sobre a região Sudeste, o Inpe diz que o volume de chuvas deve ficar acima da média histórica dos últimos 30 anos em São Paulo.

  1. Ainda, a capital enfrenta dias de pouca umidade, o que deve mudar com a chegada de uma frente fria na segunda (25).
  2. É importante manter a hidratação e a ingestão de água de coco e outros isotônicos para minimizar o impacto no aparelho respiratório.
  3. Para aliviar a irritação nas vias aéreas, a recomendação é usar soro fisiológico para lavagem nasal e em inalações.

Esses cuidados devem ser reforçados quando há crianças ou idosos em casa. A atenção deve ser redobrada para as próximas semanas, já que a previsão para todo o planeta é que 2023 seja o ano mais quente ou o segundo mais quente desde 2016, segundo cientistas americanos.

Qual é o mês que chove menos?

Informações sobre as Estações do Ano na Cidade de São Paulo –

Na Estação Meteorológica do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (EM-IAG-USP) são realizadas observações meteorológicas desde 1933.

Como já possui mais de 60 anos de funcionamento, é considerada também uma estação climatológica. Ou seja, através desses registros históricos é possível calcular médias e fazer um levantamento de informações que ajudam a descrever o clima na cidade de São Paulo.

Normalmente, ao descrever detalhadamente o clima de uma região, convenciona-se dividir o ano em 4 trimestres. Dessa maneira, podemos definir as estações do ano como:

Verão: Dezembro, Janeiro e Fevereiro (DJF)

Outono: Março, Abril, Maio (MAM)

Inverno: Junho, Julho e Agosto (JJA)

Primavera: Setembro, Outubro e Novembro (SON)

A partir desta definição de estações de ano, publicamos trimestralmente boletins referentes à cada uma das estações do ano. Essas divisões não significam que o clima da cidade de São Paulo siga rigorosamente uma marcação rigorosa para as estações do ano: frio no inverno, flores na primavera, calor no verão e queda das folhas no outono. Esse tipo de divisão que é comumente apresentado em livros didáticos, é mais comum em regiões com clima temperado e não nos trópicos e extra-trópricos.

See also:  Quando A EleiçãO 2022?

De acordo com a classificação de Koppen, o clima de São Paulo é Cwa, também chamado de subtropical úmido, caracterizado por um inverno notadamente seco e um verão bastante chuvoso. Sendo assim, a melhor maneira de descrever o clima da cidade de São Paulo é dizendo que a amplitude anual de temperatura é menor do que a amplitude diária de temperatura e que ele é caracterizado por duas estações (uma seca e outra úmida).

A Figura 1 é um climograma, que indica a temperatura média (linha vermelha) e a precipitação média (barras azuis) em São Paulo-SP. Essas médias foram obtidas a partir da série histórica da Estação Meteorológica do IAG-USP (1933-2011). Através dessas médias, podemos dizer que os meses mais secos são os meses de maio a agosto, que também é o período mais frio.

A Tabela 1 mostra os recordes absolutos da Estação Meteorológica do IAG-USP.

Qual é o mês mais quente do ano?

Capa – Sem freio, aquecimento global provoca incêndios florestais no verão do hemisfério Norte e ameniza o inverno abaixo da linha do Equador Qual EstaO Do Ano Estamos No início de agosto, incêndios florestais levaram fogo, destruição e mortes para cidades havaianas como Lahaina, na ilha de Maui Gonzalo Marroquin / Getty Images Um dado climatológico costuma passar despercebido pelos habitantes do hemisfério Sul, que correspondem a cerca de 12% da população global de 8 bilhões de pessoas: julho, em pleno inverno abaixo do Equador, é usualmente o mês mais quente da Terra.

  1. A explicação para essa ocorrência se deve às características geoclimáticas das duas metades do planeta.
  2. Por ter menos superfície oceânica e o dobro de área continental em relação à parte abaixo da linha do Equador, o hemisfério Norte, que está no verão em meados do ano, tem um peso maior na determinação da temperatura média do planeta.

A água é um elemento moderador do clima, que atenua os extremos de calor. Por isso, quando o verão no hemisfério Norte é muito quente, como tem ocorrido nos últimos anos, a temperatura global sobe. Julho de 2023 confirmou essa tendência com uma intensidade sem precedentes e assustadora.

Turbinado pelo crescente aquecimento global causado pelo aumento nas emissões de gases de efeito estufa, o sétimo mês deste ano bateu vários recordes históricos de temperatura, causou incêndios florestais e provocou mortes, sobretudo no hemisfério Norte. Por ora, o episódio mais grave desta temporada escaldante ocorreu no início de agosto na ilha de Maui, no Havaí.

Ali, uma combinação fatal de tempo quente e seco e ventos fortes espalhou as chamas originadas na vegetação para zonas residenciais e matou mais de 110 pessoas. Os prejuízos materiais são calculados em US$ 5,5 bilhões e 1.300 pessoas ainda não tinham sido encontradas quando esta reportagem foi escrita. Qual EstaO Do Ano Estamos O Serviço de Mudança Climática Copernicus (C3S), da União Europeia, divulgou que a temperatura média global de julho de 2023 foi de 16,95 °C, a maior observada em qualquer mês desde o início de sua série histórica, em 1940. O recorde anterior era julho de 2019, com 16,63 °C.

  1. Dados da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (Noaa), dos Estados Unidos, indicaram que julho de 2023 foi o julho mais tórrido dos últimos 174 anos, com temperatura média de 16,92 ºC.
  2. Foi também provavelmente o mês mais quente da história moderna.
  3. Julho deste ano foi muito mais quente do que qualquer julho precedente e do que qualquer mês em nosso registro, que retrocede a 1880″, disse, em comunicado de imprensa, o climatologista Gavin Schmidt, diretor do Instituto Goddard de Estudos Espaciais (Giss), da agência espacial norte-americana (Nasa), outra instituição que monitora o clima global.

Mesmo no hemisfério Sul, o calor recente bateu recordes e tornou o inverno atual mais ameno, uma tendência que se observa há anos. Em 1º de agosto, a temperatura máxima em Buenos Aires passou dos 30 ºC e foi a maior registrada nesse dia nos últimos 117 anos, quando o Serviço Meteorológico Nacional (SMN) passou a colher sistematicamente esse tipo de dado.

  • No norte do Chile, as máximas chegaram a 37 ºC, cerca de 15 ºC acima dos valores normais para essa época, normalmente a mais fria do ano.
  • Com temperatura média de 22,97 °C, julho deste ano foi o julho mais quente registrado no Brasil desde 1961, quando o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) começou a realizar medições regulares em diversas partes do país.

A marca foi 0,2 °C maior do que o recorde anterior – de 22,77 °C, medido em julho de 2022 – e 1,04 °C acima da média histórica do mês. A temperatura média do Brasil é calculada a partir dos valores registrados por mais de 650 estações meteorológicas do Inmet espalhadas pelo território nacional. Qual EstaO Do Ano Estamos STR / AFP via Getty Images A China registrou 52,2 ºC em julho, sua maior temperatura STR / AFP via Getty Images “Um conjunto de fatores contribuiu para a elevação das temperaturas, desde mudanças no uso do solo, como a diminuição de áreas verdes e o aumento das áreas urbanizadas, até a presença do El Niño neste ano “, comenta a meteorologista Danielle Barros Ferreira, do Inmet.

“Mas, nos últimos 10 anos, o papel das mudanças climáticas no aquecimento terrestre é inegável.” Uma análise divulgada no fim de agosto pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) indica que a atual temperatura máxima na maior parte do Brasil já é 1,5 °C acima da média histórica registrada entre 1960 e 2020.

Em alguns pontos do interior do Nordeste e no noroeste da Amazônia, o aquecimento chega a 2,5 e 3 °C. Na Região Metropolitana de São Paulo, o aumento também é dessa ordem. “Em nível regional, o aquecimento é por vezes muito maior do que a média global. Alexandre Affonso / Revista Pesquisa FAPESP Segundo as contas do serviço Copernicus, o novo recorde de calor indica que, durante praticamente todo julho deste ano, a temperatura média global esteve cerca de 1,5 ºC acima do valor médio entre 1850 e 1900.

  1. O período entre meados e final do século XIX serve como base para calcular quanto o mundo esquentou desde o início da chamada Segunda Revolução Industrial.
  2. Firmado em dezembro de 2015 no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU) por 195 países, o Acordo de Paris tem como meta principal estimular ações com o intuito de limitar o aumento do aquecimento global – ou seja, a elevação atual da temperatura média da atmosfera em relação ao nível da era pré-industrial – a menos de 2 ºC, preferencialmente menos de 1,5 ºC.

Cada elevação de 0,5 ºC na temperatura média do planeta repercute de forma não linear na frequência e intensidade de ondas de calor e de episódios de seca ou chuvas exacerbadas. O aumento parece pequeno, mas é o suficiente para, às vezes, dobrar ou triplicar a ocorrência ou intensidade de um fenômeno climático. Qual EstaO Do Ano Estamos Léo Ramos Chaves / Revista Pesquisa FAPESP O inverno no hemisfério Sul ( como na imagem da capital paulista ) foi bastante ameno Léo Ramos Chaves / Revista Pesquisa FAPESP “Dificilmente conseguiremos manter o aquecimento global em 1,5 ºC”, comenta José Marengo, especialista em mudanças e riscos climáticos do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

“Mas isso não pode ser usado como desculpa para não adotarmos ações imediatas que reduzam a emissão de gases de efeito estufa.” Ao olhar os mapas da Noaa que mostravam as variações de temperatura em todo o globo em julho deste ano, o climatologista teve uma surpresa. Eles se pareciam muito com os mapas divulgados nos últimos relatórios do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) com previsões sombrias para o pior cenário de aquecimento global em meados deste século.

Os modelos climáticos atuais são mais eficientes em prever oscilações térmicas e ondas de calor do que variações de chuvas em diferentes partes do globo. A formação de nuvens de pluviosidade é um processo complexo, muito mais complicado de ser simulado virtualmente do que o sobe e desce dos termômetros.

Muitos estudos sinalizam essa limitação, como um artigo publicado por Marengo e colaboradores no International Journal of Climatology em abril de 2022. No trabalho, eles compararam a eficácia de 31 modelos climáticos em reproduzir variações de chuva e de temperatura já ocorridas na América do Sul e o grau de convergência de suas projeções futuras para esses dois parâmetros.

Os resultados foram mais consistentes para emular a dinâmica da temperatura do que da chuva. Alexandre Affonso / Revista Pesquisa FAPESP A atual onda de calor promoveu a quebra de vários recordes em diferentes partes do globo. Em 16 de julho, a temperatura máxima na China chegou a 52,2 °C, temperatura nunca medida no país. Segundo dados do serviço Copernicus, 31 de julho de 2023 foi o dia mais quente registrado no planeta desde 1940.

Nessa data, a temperatura média global atingiu 20,96 ºC. A Noaa destacou que julho de 2023 foi também o mês com temperaturas mais elevadas em três continentes: Ásia, África e América do Sul (na do Norte foi o segundo mês mais quente). Não houve refresco nem no mar. Em julho, a extensão da cobertura de gelo sobre a Antártida exibiu uma retração de 17%, um recuo sem precedentes, e, pelo quarto mês consecutivo de 2023, a temperatura média sobre a superfície dos oceanos foi recorde.

Esteve 0,99 °C acima da média histórica, de acordo com a Noaa. No Atlântico Norte, estão ocorrendo neste ano ondas de calor marinho que colocam em risco a vida aquática. “Há previsões de 100% de branqueamento dos corais do Caribe até o fim do verão boreal, o que pode causar mortalidade em massa”, comenta a oceanógrafa Regina Rodrigues, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Qual EstaO Do Ano Estamos Pedro Szekely A extensão da cobertura de gelo na Antártida foi em julho 17% menor do que a média histórica Pedro Szekely Rodrigues estuda os impactos dos oceanos sobre o clima, em especial na América do Sul. Além do El Niño, que aquece o centro-leste do Pacífico Equatorial e altera o padrão de chuvas e temperatura, a Corrente de Revolvimento Meridional do Atlântico (Amoc) é um dos temas mais frequentes de seus trabalhos.

Essa corrente leva água morna e superficial da parte meridional desse oceano, da Antártida, para o hemisfério Norte e traz do Ártico águas mais frias e profundas para o sul. Há indícios de que o aquecimento global levará à diminuição da Amoc, talvez até ao seu colapso, daqui a algumas décadas. As consequências do declínio da corrente poderiam bagunçar ainda mais o clima global.

O contexto global em que ocorreram as quebras de recordes de temperatura em julho passado é preocupante. Nada indica que esse fenômeno seja passageiro ou tenha sido um caso isolado. Ao contrário. Os 10 anos mais quentes da história recente ocorreram de 2010 para cá. Alexandre Affonso / Revista Pesquisa FAPESP “O El Niño está apenas começando e é pouco provável que ele já tenha influenciado de forma significativa as atuais altas nas temperaturas globais”, comenta o climatologista Carlos Nobre, pesquisador sênior do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (IEA-USP).

Os maiores impactos do fenômeno, que tem pelo menos 80% de chance de ser de intensidade entre moderada e forte, devem ocorrer no final do ano ( ver Pesquisa FAPESP nº 330 ). Até março deste ano, as águas do centro-leste do Pacífico Equatorial estavam mais frias do que o normal, sob influência do La Niña, fenômeno de características inversas às do El Niño.

“Foram três anos de La Niña, o mais longo que já se viu”, diz Nobre. Em tese, o resfriamento dessa parte do Pacífico Equatorial deveria amenizar a intensidade do aquecimento global. Talvez até tenha, mas não foi o suficiente para retirar os últimos três anos da lista dos 10 mais quentes da história.

No final de julho passado, quando já era quase inevitável que o mês terminasse como o mais tórrido da história recente, António Guterres, ex-primeiro-ministro de Portugal e atual secretário-geral da ONU, sentenciou, talvez com uma ponta de exagero. “A era do aquecimento global terminou; a era da fervura chegou.

Tudo é consistente com as previsões e os avisos repetidos. A única surpresa é a velocidade da mudança. A mudança climática está aqui. É terrível, e é só o começo.” A saída? Cortar de forma drástica e profunda as emissões de gases de efeito estufa e adotar formas de mitigar os impactos de um clima mais quente.

  • Projeto INCT para Mudanças Climáticas ( nº 14/50848-9 ); Modalidade Projeto Temático; Programa FAPESP de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais (PFPMCG); Pesquisador responsável José Antônio Marengo Orsini (Cemaden); Investimento R$ 4.389.577,78.
  • Artigo científico GOUVEIA, C.D. et al,
  • Uncertainties in projections of climate extremes indices in South America via Bayesian inference,
See also:  Quem Nasceu Em Maio Qual O Signo?

International Journal of Climatology,v.42, n.14.11 abr.2022. Republicar

Aquecimento Global Efeito estufa Meteorologia Queimadas incêndios El Niño Extremos climáticos Calor Crise climática

Qual é a estação do ano que mais faz frio?

Estação que sucede o Outono e antecede a Primavera. O inverno é a estação mais fria do ano. Os dias são curtos e por isso escurece mais cedo. No sul do Brasil é comum ver a neve cair, cobrindo o chão e as plantas.

Qual é a data que se inicia a primavera?

Que dia começa a primavera no Hemisfério Sul? Todos os anos, no dia 23 de setembro, tem-se oficialmente o início da primavera, uma das quatro estações do ano.

Como saber se sou outono ou primavera?

Estações do ano – A segunda parte desse processo consiste em descobrir a sua estação. Nós a separamos em Primavera, verão, outono e inverno, sendo que as estações Outono e Primavera, correspondem as paletas quentes, e a verão e inverno, tons frios. Qual EstaO Do Ano Estamos Outono: A paleta outono é perfeita para as mulheres de cabelos e olhos escuros, Suas cores possuem tons mais quentes e intensos, como o vermelho, marrom e verde, Qual EstaO Do Ano Estamos Verão: O verão fica lindo em mulheres de cabelos e olhos claros – puxados para o acinzentado. As cores são opacas e frias, Qual EstaO Do Ano Estamos Inverno: Se você tem cabelo escuro e olhos acinzentados, a paleta inverno é a sua grande queridinha, portanto, você pode apostar em tons como azul marinho e preto, Qual EstaO Do Ano Estamos Agora que você já encontrou a sua estação, vamos encontrar o seu subtom para ter ainda mais certeza de quais são as cores que você pode apostar. Confira!

Como será o verão 2024 no Brasil?

Imagens de satélites indicam verão mais quente em 2024 A previsão da tendência climática para o início de 2024 nas regiões brasileiras, realizada pelo Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis), indicou que a expansão do El Ninõ pelo Pacífico Tropical deve causar um verão de altas temperaturas no Hemisfério Sul, chegando a atingir uma média de 4º C acima do normal.

De acordo com a análise do meteorologista fundador do Lapis, Humberto Barbosa, o evento do El Niño é responsável por uma resposta atmosférica intensa em todo o mundo e os impactos mais fortes causados pelo fenômeno devem ocorrer durante o próximo verão. As estimativas do multimodelo internacional European Centre for Medium-Range Weather Forecasts (ECMWF), que é considerado um dos mais assertivos do mundo, mostram que o El Niño atingirá seu pico 2º C acima do normal, o que é considerado um evento forte.

Com isso, a tendência da previsão climática para fevereiro de 2024 é de chuva abaixo da média em grande parte do Centro-Norte do Brasil e condições mais secas no Nordeste Setentrional. “As tendências mostram um pico de temperatura do Oceano Pacífico principalmente no período de fevereiro a maio de 2024, que é o período da estação chuvosa no Semiárido.

  1. Com isso, certamente as condições climáticas de chuvas vão ser desfavoráveis para os agricultores e as altas temperaturas que têm sido observadas nos últimos anos vão aumentar ainda mais”, revelou o Humberto Barbosa.
  2. O clima sazonal depende das condições de temperatura do Oceano Pacífico Equatorial e as anomalias oceânicas estão ligadas a partir dos ventos alísios globais.

O El Niño forma ventos alísios fracos, o que influencia diretamente na circulação global, por isso as anomalias oceânicas são um indicador para entender o estado atual do sistema climático global. Porém, nenhuma previsão sazonal de longo prazo pode ser considerada totalmente confiável, uma vez que trata-se da apresentação de uma tendência e os padrões climáticos podem evoluir em grande escala durante um longo período. A análise recente da superfície do oceano Pacífico tropical permite ver anomalias quentes do evento de El Niño, atingindo mais de 4 °C acima do normal. | Crédito: Lapis – Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites “Nós estamos esperando mais um mês para analisar as condições do Atlântico Sul, porque o Atlântico Sul poderia e pode minimizar um pouco esse impacto do El Niño na redução das chuvas, principalmente no semiárido brasileiro.

Porém, normalmente quando você tem um pacífico muito quente o Atlântico Norte também tende a ficar mais quente, que é o que está acontecendo esse ano, e isso faz com que a zona de convergência, que é a principal sistema meteorológico que traz as chuvas para o semiárido nordestino de fevereiro a maio, fique mais afastado, por isso ainda pode chover, mas chover muito abaixo da média”, explicou Humberto Barbosa.

Ainda de acordo com Barbosa, os governos municipais, estaduais e federal precisam ter uma planejamento para fornecer assistência aos agricultores e antecipar as medidas de prevenção dos danos que podem ser causados pelos efeitos do El Niño: “em 2024 a seca deve ser mais difícil durante os primeiros seis meses do ano, por isso, o agricultor precisa estar preparado, para isso, ele pode tentar fazer uma estocagem e utilizar a palma forrageira, que durante a seca severa de 2012 a 2016 foi fundamental para a pecuária, e no período de chuva irregular ele pode criar uma pastagem e de certa forma armazenar essa pastagem, a palma forrageira e o capim”.

  1. Obviamente que a questão ainda vai depender também da distribuição de água e os carros pipa têm um papel importante.
  2. É importante que as prefeituras já possam estar antecipando a necessidade de abastecimento de água em função das condições de redução das chuvas e as altas temperaturas, os reservatórios realmente vão ter uma perda de água e isso precisa ser antecipado, principalmente para o agricultor, para que tenham cisternas com boa capacidade de armazenamento.

A qualidade da água também deve ser observada pelas prefeituras, porque normalmente quando você tem essas altas temperaturas e a redução de chuva, a qualidade da água cai e isso também é um fator que pode trazer consequências à saúde do agricultor”, concluiu o meteorologista.

  1. Segundo as previsões divulgadas recentemente pelo LAPIS, o El Niño deve começar a enfraquecer durante o inverno de 2024 no Hemisfério Sul, podendo terminar até o verão de 2025.
  2. Uma questão importante! Se você chegou até aqui, já deve saber que colocar em prática um projeto jornalístico ousado custa caro.

Precisamos do apoio das nossas leitoras e leitores para realizar tudo que planejamos com um mínimo de tranquilidade. Doe para a Marco Zero. É muito fácil. Você pode acessar nossa ou, se preferir, usar nosso PIX (CNPJ: 28.660.021/0001-52), Apoie o jornalismo que está do seu lado : Imagens de satélites indicam verão mais quente em 2024

Quanto é a primavera?

A primavera, no Brasil, inicia-se entre os dias 22 e 23 de setembro e segue até o dia 21 ou 22 de dezembro.