Početna – ThaiConsulate

Tips, Reviews, Recommendations

O Que Sustentabilidade?

O que é o que é sustentabilidade?

O que é sustentabilidade? – Sustentabilidade é a capacidade de uso consciente dos recursos naturais sem comprometer o bem-estar das gerações futuras. Seu objetivo principal é encontrar o equilíbrio entre o desenvolvimento econômico e a preservação ambiental.

  • Para alcançar a sustentabilidade, é vital considerar dois fatores fundamentais.
  • Primeiro, todos os interessados devem sentir-se incluídos, promovendo a participação e equidade.
  • Segundo, os recursos naturais são finitos, exigindo uso inteligente e responsável.
  • A sustentabilidade ganha espaço em ações diárias, como consumo de produtos naturais, reutilização de embalagens, reciclagem e preferência por meios de transporte menos poluentes.

Inúmeras empresas adotam medidas sustentáveis na cadeia produtiva para aprimorar processos, reduzir o impacto ambiental e atrair consumidores conscientes. Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que os brasileiros estão interessados em consumir marcas preocupadas com o meio ambiente e com a qualidade de vida de todos os envolvidos na cadeia produtiva.

O que é sustentabilidade e exemplos?

Exemplos de Sustentabilidade Preferência por consumir produtos biodegradáveis; Separar o lixo para coleta seletiva; Reciclagem; Realizar trajetos curtos através de caminhadas ou bicicletas.

Quais são os sustentabilidade?

De uma forma mais ampla, sustentabilidade é a capacidade que uma casa, bairro, cidade, país ou o planeta tem de suprir as necessidades e demandas atuais sem comprometer as gerações futuras. É possível subdividir esse conceito mais amplo em quatro tipos de sustentabilidade: a ambiental/ecológica, a empresarial, a social e a econômica.

  • E é sobre esses tipos diferentes de sustentabilidade que vamos falar nesse artigo, bem como de formas de aplicar cada um deles em sua vida.
  • Afinal, quando se fala em sustentabilidade, é possível falar tanto em uma escala macro e governamental, como também da rotina de sua família e do bairro em que você vive.

Vamos juntos?

Qual é a importância da sustentabilidade?

Qual é a importância da sustentabilidade para a sociedade e empresas? Como você viu, a sustentabilidade é o meio de garantir o suprimento das necessidades atuais da sociedade sem comprometer o das gerações futuras. Nesse sentido, calcular o impacto ambiental de cada ação é ato central ‒ mas não única ‒ para reduzi-lo.

O que são os três pilares da sustentabilidade?

Atualizado: 22 de mar. A sustentabilidade é um conceito que está fortemente relacionado com três pilares: social, ambiental e económico. Juntos, eles asseguram a sobrevivência do nosso planeta, permitindo um desenvolvimento sustentável em todas essas esferas. Tríade da Sustentabilidade – Imagem de Mariana Costa (Fonte: Nações Unidas) A interdependência entre os três pilares da sustentabilidade foi, primeiramente, evidenciada no Relatório de Brundtland (1987), que apresentou vários exemplos de como estas se interligam e influenciam-se.

Como descrever sustentabilidade?

Sustentabilidade ambiental ou ecológica – Compreende a preservação e manutenção do meio ambiente, cujo principal objetivo é garantir que as necessidades das gerações futuras não sejam prejudicadas pelo uso indiscriminado dos recursos naturais na atualidade.

O que é uma sociedade sustentável?

Você sabe o que é sociedade sustentável? Floresta no Rio Grande do Sul – Foto: Em meio ao crescimento e intensificação dos problemas ambientais que colocam em risco o futuro do planeta, a sustentabilidade transformou-se em elemento chave na busca por soluções.

  • A sociedade moderna enfrenta o grande desafio de encontrar um novo modelo de desenvolvimento, que leve em conta não só o crescimento econômico, mas a conservação dos recursos naturais, ecossistemas e das espécies.
  • A relação harmônica entre os seres humanos e o meio ambiente é a base para a criação de uma sociedade sustentável.

Este equilíbrio é a garantia da preservação e sobrevivência do planeta. Lester Brown, fundador do Worldwatch Institute, define a sociedade sustentável como “aquela que satisfaz as suas necessidades sem diminuir as possibilidades das gerações futuras de satisfazer as delas”.

O processo de construção de um novo modelo de desenvolvimento exige mudanças nas formas tradicionais de produção, nos hábitos de consumo e comportamento. O consumo consciente, descarte responsável e a adoção de sistemas produtivos limpos e ecológicos, que minimizem os impactos ambientais e possibilitem a recuperação e recomposição dos recursos naturais, são algumas das transformações essenciais para a formação desta nova sociedade.

Mesmo não havendo um modelo padrão para a sociedade sustentável, existem algumas características básicas determinantes para seu surgimento, como a substituição de combustíveis fósseis por fontes alternativas, de origem natural, renováveis e limpas (solar, eólica, entre outras); priorização de meios de transporte coletivos e menos poluentes; manejo equilibrado da terra; consumo consciente; utilização de materiais reciclados como principal fonte de matéria-prima, entre outros.

O que é viver com sustentabilidade?

Como adotar un estilo de vida sustentável? Conselhos para aumentar o seu compromisso verde – Sociedade Ação social Os recursos do planeta se esgotam; por isso a necessidade premente de ter um modelo ecológico e saudável que garanta o futuro das novas gerações. Um estilo de vida sustentável permitirá preservar o planeta para as futuras gerações. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a população mundial atinge atualmente a marca de 7,7 bilhões e continua crescendo. Cada um de nós se alimenta, se desloca e consome bens e serviços, mas muitos agem de forma irresponsável em relação ao meio ambiente.

Portanto, cabe perguntar: a ação sustentável de poucos indivíduos serve para alguma coisa? Para a maioria das organizações internacionais que tenta preservar o planeta a resposta é sim: “Cada gesto conta”, é o que afirma o Greenpeace. De fato, um estudo da Universidade de Michigan nos Estados Unidos indica que as regras estabelecidas por um grupo populacional garantem a eficiência de uma estratégia de vida sustentável.

O segredo? A reputação de cada um serve de reforço positivo para os demais, ou seja, se um vizinho reciclar corretamente será uma inspiração para os outros moradores. Para os pesquisadores, incentivar essas pequenas ações é tão fácil quanto seguir algumas dicas e fazer pedagogia ambiental,

Quais são os 7 pilares da sustentabilidade?

7 Pilares da Sustentabilidade Para nós, sustentabilidade não é simplesmente uma questão de responsabilidade ambiental e social. Precisamos atuar de maneira ativa e consciente, pois o futuro se constrói hoje. O conceito convencional de sustentabilidade engloba os aspectos econômico, ambiental e social. Portanto, para que um empreendimento possa ser considerado sustentável, o mesmo deve ser:

Economicamente viável; Ambientalmente seguro; Socialmente justo;

Entretanto, enxergamos que a sustentabilidade é mais abrangente do que imaginávamos. A atividade rural é complexa e a sustentabilidade é uma filosofia que deve integrar todas as áreas da empresa, sem menosprezar qualquer uma delas. Assim, adotamos como pilares da sustentabilidade: Social, Econômico, Ambiental, Cultural, Ética, Política e Estética.

  1. A nossa visão para cada um desses pilares é: 1.
  2. Social: equilibrar os princípios de equidade, provendo condições de vida dignas e bem-estar para todos os indivíduos que compõem a Mutuca.2.
  3. Econômico: transformar vantagens comparativas em vantagens competitivas.
  4. Usar os recursos que a Mutuca tem para torná-la mais eficiente, facilitando o trabalho diário.3.

Ambiental: preservar nossos recursos naturais, de forma a manter a fauna e flora locais, sem comprometer a qualidade do solo, corpos d’água e ar e provendo cada vez mais condições para que o ecossistema possa prosperar em plena harmonia.4. Cultural: a inovação depende de um ambiente que favoreça a diversidade de ideias, crenças, motivações e pensamentos.5.

Ética: muitos trabalharam duro para que pudéssemos estar onde estamos. Por isso, temos a responsabilidade de manter recursos e possibilidades abertas aos que virão.6. Estética: reconhecer que algumas coisas têm valor simbólico e não puramente econômico. O belo deve ser preservado em prol do bem-estar e do meio ambiente.7.

Política: sustentabilidade deve ser um compromisso de todos. Os problemas e dificuldades diárias devem ser assumidos e não terceirizados, pois enquanto o problema for do outro e não de todos, não haverá sustentabilidade.

Nossa nova campanha é um convite a você, para que juntos possamos criar um amanhã mais próspero para a nossa e as próximas gerações. O Agro e o resto do mundo precisam disso 🌎 Juntos, fortalecemos o agronegócio com cada semente que plantamos. Quer saber mais? | | | |

: 7 Pilares da Sustentabilidade

Qual o sinônimo de sustentabilidade?

1 sustentabilidade, crescimento sustentável, avanço sustentável, desenvolvimento suportável, crescimento suportável, avanço suportável.

O que é sustentabilidade no dia a dia?

Hábitos sustentáveis que ajudam o planeta e o seu bolso Tempo de Leitura: 4 minutos Se preferir, ouça a narração deste artigo: Sustentabilidade vai muito além de proteger o meio ambiente. Esse conceito diz respeito à preservação da natureza associada ao crescimento econômico e social.

Em outras palavras, adotar hábitos sustentáveis pode ajudar você a, A seguir, vamos ensinar como com atitudes simples, mas que trazem um impacto positivo para o nosso planeta, Confira as sugestões e descubra que uma economia sustentável é uma possibilidade real! Dica: Uma das principais medidas para reduzir a degradação ambiental é reciclar o lixo que geramos diariamente.

Por isso, os resíduos devem ser encaminhados ao destino correto. O material orgânico (restos de comida) pode ser aproveitado no processo de compostagem, Assim, vira adubo para novas plantações. Já o material seco (plástico, metais, vidro e papel) deve ser descartado. O Que Sustentabilidade Preste atenção a itens como baterias, lâmpadas, equipamentos eletrônicos, cosméticos, medicamentos e óleo de cozinha, Eles são altamente poluentes! A melhor alternativa é levá-los a ecopontos específicos – como supermercados, farmácias ou unidades especializadas.

  • Você sabia que um banho de 15 minutos pode gastar de 45 a 135 litros de água ? A informação consta no site da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo ().
  • A solução para economizar é simples: diminua o tempo embaixo do chuveiro.
  • Cinco minutos costumam ser suficientes para realizar a higiene pessoal.
See also:  Quanto Rende 3 Milhoes Na PoupanA?

Também vale fechar o registro sempre que possível, Na hora de se ensaboar, por exemplo, não precisa deixar a água correndo, né? Faça o mesmo ao escovar os dentes ou lavar a louça. A torneira só deve permanecer aberta na hora de enxaguar. Desse modo, você colabora na preservação dos recursos naturais e ainda poupa uma boa grana ao fim do mês! Dica: Quem vive do campo sabe bem: todas as partes de uma planta podem ser aproveitadas.

Na natureza, tudo se transforma e dá continuidade ao ciclo da vida. É uma pena que esse conhecimento tenha se perdido um pouco nas cozinhas do país. A gente usa a polpa da fruta para fazer suco, as folhas da alface para a salada E o resto? Joga fora? Não! Talos, cascas e até sementes podem render pratos supernutritivos,

E o melhor de tudo é que eles são saborosíssimos. Dá para fazer bolinho, pão, compotas, risotos e o que mais o paladar mandar. O Que Sustentabilidade É fácil encontrar várias dessas receitas na internet. Experimente! Com menos desperdício, as compras da semana vão durar bem mais. Falando em compras, é importante pensar no impacto da cadeia produtiva para a sustentabilidade. Já imaginou quantos quilômetros um produto rodou para chegar até a prateleira do supermercado? Quanto combustível será que os caminhões queimaram para ir da Zona Franca de Manaus até o interior do Rio Grande do Sul? Por isso que dar preferência à produção local é um dos hábitos sustentáveis que se deve adotar.

Menos distância entre o produtor e o consumidor significa menos poluentes liberados na atmosfera. Os gastos com transporte e armazenamento diminuem e, com isso, o preço final fica mais convidativo, Sem contar que você contribui para o fortalecimento da indústria e do comércio na sua região. Leia mais: Economia sustentável também tem a ver com saúde.

Prova disso está na nossa próxima dica: trocar o automóvel pela bicicleta, Às vezes, por comodidade, usamos o carro para percorrer pequenas distâncias dentro do município. Esse trajeto poderia ser feito em cima da magrela. Repare nas vantagens. Você:

poupa combustível, o que é bom para o bolso e para o meio ambiente;mantém o ar da cidade mais puro; não perde tempo em engarrafamentos;não gasta com estacionamento; pratica atividade física, conquistando mais força e disposição no dia a dia.

Com tantos pontos a favor da bike, fica difícil arranjar uma desculpa para ir de carro até a esquina, hein? Quando o assunto é a conta de luz, qualquer detalhe pode trazer resultados imediatos. Primeiro, tire da tomada todos os eletrodomésticos que não estiverem em uso.

  • Até mesmo a luzinha vermelha de standby consome eletricidade.
  • Depois, priorize a manutenção dos equipamentos.
  • Verifique se a borracha da geladeira está vedando bem ou se a limpeza do ar-condicionado está em dia.
  • Em ambos os casos, o mau funcionamento do aparelho demanda esforço extra do motor, o que eleva os custos de energia elétrica.

Por fim, opte por soluções mais econômicas. Lâmpadas de LED, embora custem mais caro, duram bastante e gastam menos luz, Ou seja: são ótimas para economizar dinheiro no longo prazo. Você é daquelas pessoas que já guardaram pote de requeijão para utilizá-lo como copo ? Parabéns: os hábitos sustentáveis fazem parte de sua rotina.

Essa não é apenas uma estratégia para quando a grana está curta. Reutilizar objetos colabora para que a gente consuma menos. Logo, o lixo que geramos em nossas casas também tende a se reduzir. Embalagens de vidro são ótimas para armazenar grãos, doces e geleias. Basta lavá-las com água quente antes do uso.

Para as garrafas PET, uma sugestão é transformá-las em vasos de plantas, Corte o topo, faça uns furos na base e pronto: o que iria para o lixo vira berço para novas mudinhas. Uma última dica de como economizar dinheiro é adquirir somente o que você precisa,

Antes de ir às compras, faça uma lista dos itens que estão faltando. Isso ajuda a guiar as suas escolhas. Outra opção é questionar-se: “eu tenho necessidade de obter este produto neste momento? Tenho condições de pagar ?” Muitas vezes, somos seduzidos por uma promoção ou oferta. Só que decisões no calor do momento podem gerar aquisições desnecessárias, que comprometem a saúde financeira e levam ao desperdício.

Em vez disso, devemos trabalhar a racionalidade. Compre com sabedoria ! E então: vamos pôr esses hábitos sustentáveis em prática? Esperamos que o conteúdo de hoje contribua para você desenvolver hábitos sustentáveis. Seu bolso e o planeta agradecem. : Hábitos sustentáveis que ajudam o planeta e o seu bolso

O que é meio sustentável?

O que é sustentabilidade? – O conceito de sustentabilidade surgiu durante a Conferência de Estocolmo, em 1972. Ela é a prática de ações e estratégias de longo prazo que buscam equilibrar o uso racional de recursos naturais para atender nossas necessidades atuais e preservar o meio ambiente para que as futuras gerações não sejam afetadas e não lhes falte meios de sobreviver.

Sustentabilidade Ambiental e Ecológica: é o tipo mais conhecido, relaciona-se à preservação e ao cuidado com o meio ambiente. A reciclagem, cuidado para não poluir as águas e o ar e a diminuição dos desmatamentos são algumas ações que podem ser colocadas em prática. Sustentabilidade Empresarial: são as ações realizadas pelas empresas que se importam com o planeta ou que querem ser consideradas sustentáveis para ter vantagem competitiva no mercado. Além do meio ambiente, estão inclusas a responsabilidade social e econômica. Uma forma de avaliar se as empresas são sustentáveis é analisar se elas seguem as práticas ESG (Ambiental, Social e Governança). Sustentabilidade Social: são as ações para promover o equilíbrio, o bem-estar e a igualdade da sociedade, como a criação de programas de inclusão social, de educação pública, investimentos em saneamento básico e programas sociais para pessoas com baixa renda. O seu objetivo é a diminuição das desigualdades sociais e violência. Sustentabilidade Econômica: prática de ações e estratégias que visam o desenvolvimento econômico sustentável, ou seja, sem que este afete de forma negativa o meio ambiente e a qualidade de vida da sociedade.

O que não é sustentável?

NOTÍCIAS Preocupações legítimas geraram distorção no significado de “sustentabilidade”, que passou a ser associada apenas a questões ambientais. Não é só isso. Por Oded Grajew* Embora em voga nos mais variados meios, o conceito de “sustentabilidade” ainda é pouco compreendido tanto por quem fala sobre ele quanto por quem ouve.

  • Nos últimos anos intensificou-se a discussão a respeito do aquecimento global e do esgotamento dos recursos naturais.
  • Preocupações legítimas e inquestionáveis, mas que geraram distorção no significado de sustentabilidade, já que esta passou a ser associada tão somente às questões ambientais.
  • Não é só isso.

A sustentabilidade está diretamente associada aos processos que podem manter-se e melhorar ao longo do tempo. A insustentabilidade comanda processos que se esgotam, não se mantêm e tendem a morrer. E isto depende não apenas das questões ambientais. São igualmente fundamentais os aspectos sociais, econômicos, políticos e culturais.

Entretanto, mais do que definir o conceito, sustentabilidade e insustentabilidade se tornam claras quando traduzidas em situações práticas. Esgotar recursos naturais não é sustentável. Reciclar e evitar desperdícios são sustentáveis. Corrupção é insustentável. Ética é sustentável. Violência é insustentável.

Paz é sustentável. Desigualdade é insustentável. Justiça social é sustentável. Baixos indicadores educacionais são insustentáveis. Educação de qualidade para todos é sustentável. Ditadura e autoritarismo são insustentáveis. Democracia é sustentável. Trabalho escravo e desemprego são insustentáveis.

Trabalho decente para todos é sustentável. Poluição é insustentável. Ar e águas limpos são sustentáveis. Encher as cidades de carros é insustentável. Transporte coletivo e de bicicletas é sustentável. Solidariedade é sustentável. Individualismo é insustentável. Cidade comandada pela especulação imobiliária é insustentável.

Cidade planejada para que cada habitante tenha moradia digna, trabalho, serviços e equipamentos públicos por perto é sustentável. Sociedade que maltrata crianças, idosos e deficientes não é sustentável. Sociedade que cuida de todos é sustentável.

Evidências e dados científicos mostram que o atual modelo de desenvolvimento é insustentável, ameaçando inclusive a própria sobrevivência da espécie humana.Provas não faltam:– Destruímos quase a metade das grandes florestas do planeta, que são os pulmões do mundo;– Liberamos imensa quantidade de dióxido de carbono e outros gases causadores de efeito estufa, num ciclo de aquecimento global e instabilidades climáticas;– Temos solapado a fertilidade do solo e sua capacidade de sustentar a vida: 65% da terra cultivada foram perdidos e 15% estão em processo de desertificação;– Cerca de 50 mil espécies de plantas e animais desaparecem todos os anos, em sua maior parte em decorrência de atividades humanas;

– Produzimos uma sociedade planetária escandalosa e crescentemente desigual: 1.195 bilionários valem, juntos, US$ 4,4 trilhões, ou seja, quase o dobro da renda anual dos 50% mais pobres. O 1% de mais ricos da humanidade recebe o mesmo que os 57% mais pobres; – Os gastos militares somam US$ 1,464 trilhões por ano (e crescem a cada ano), o equivalente a 66% da renda anual dos 50% mais pobres.

See also:  Quando Devo Declarar Imposto De Renda?

Este cenário pouco animador mostra a necessidade de um modelo de desenvolvimento sustentável. Cabe a nós torná-lo possível e viável. * Oded Grajew é presidente emérito do Instituto Ethos e coordenador-geral da Secretaria Executiva da Rede Nossa São Paulo. Artigo publicado originalmente no jornal Folha de S.Paulo, em 7 de maio de 2013.

: NOTÍCIAS

Quem é o pai da sustentabilidade?

Quem é John Elkington? – Conhecido como “pai da sustentabilidade”, John Elkington é o criador do tripé que hoje se apoiam os investimentos sustentáveis. O tripé da sustentabilidade é baseado nos pilares de Economia, Social e Sustentabilidades, muito próximo dos valores ESG – Sustentabilidade, Social e Governança, em inglês.

  1. Atualmente, trabalha diretamente na transformação do capitalismo para uma prática mais sustentável.
  2. Através de seus 20 livros publicados, participação em conselhos e comitês de empresas, além de consultorias e planos de ação através das instituições fundadas por ele.
  3. Elkington atualmente avalia que os dez anos entre 2016 e 2025 serão essenciais para a mudança dentro da indústria produtiva e do mercado financeiro mundial.

Em uma de suas obras mais recentes, Green Swans: The Coming Boom in Regenerative Capitalismo – em tradução livre, Cisnes Verdes: a explosão do capitalismo regenerativo -, ele aborda como as empresas mais tradicionais devem enfrentar esse período de mudança, se enquadrando nas novas regras do mercado.

O que causa a falta de sustentabilidade?

Importante esclarecer o que legislação brasileira prevê como impacto ambiental, para assim nortear as nossas ações de maneira objetiva: Segundo o Artigo 1º da Resolução n.º 001/86 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), Impacto Ambiental é “qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou indiretamente afetam:

  1. a saúde, a segurança e o bem-estar da população;
  2. as atividades sociais e econômicas;
  3. a biota;
  4. as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente;
  5. a qualidade dos recursos ambientais.”

Impacto ambiental não é impreterivelmente negativo, já que se trata do resultado de fatores que podem modificar o ambiente também de maneira favorável, como tratamento dos efluentes líquidos de uma cidade antes de serem lançados no mar, projetos de preservação da vida de tartarugas marinhas, criação de espaços verdes em centros urbanos, entre outros.

O processo de avaliação de impactos ambientais surgiu durante o pós-guerra, na Europa e nos Estados Unidos, devido à necessidade de análise de custo-benefício dos programas então em desenvolvimento. Considerar estas avaliações tornou-se mais um componente para subsidiar decisões, atentando para o contexto regional e geográfico.

Partindo desta premissa, podemos entender o impacto ambiental não apenas como os ecológicos, mas sim, a soma deles com os impactos socioeconômicos. IMPACTO AMBIENTAL = IMPACTO ECOLÓGICO + IMPACTO SOCIOECONÔMICO Em nosso país, há três grandes problemas de impactos das atividades humanas que não podem ser analisados de forma separada, no entanto, suas ações se apresentam de forma distinta.

Tanto que critérios, instrumentos e métodos de avaliação de impactos são próprios de cada prática. Atividades energético-mineradoras – impacto intenso, pontual, limitado e preciso em termos de localização. Empreendimentos dessa natureza, como as hidrelétricas, envolvem parcelas pequenas de população nos seus impactos diretos e são bastante dependentes de fatores relativamente controláveis.

Os resíduos resultantes destas indústrias, quando não tratados, podem ser encontrados na água, na atmosfera ou em áreas isoladas. Atividades industriais-urbanas – impacto de intensidade variada. Pode ser pontual, no caso de uma fábrica, até difuso, como a emissão de poluentes provocada por uma frota de veículos.

As ações atingem, direta e indiretamente, grandes parcelas da população. Existem órgãos públicos responsáveis por fiscalizar o cumprimento de leis e normas que impõe medidas para a mitigação dos impactos. Atividades agrícolas – Impacto tênue, bastante dependentes de fatores naturais e, portanto, pouco controláveis, como chuvas, temperaturas, ventos etc.

Atingem grandes áreas de forma pouco precisa, frequentemente crônica, pouco evidente, intermitente e de difícil quantificação. Aqui podemos pontuar a perda de solos, produção de gases, erosão genética. Diferentemente das outas atividades, muitos dos impactos derivados da agricultura são graves e invisíveis aos olhos da sociedade, como a contaminação de águas subterrâneas com fertilizantes ou pesticidas.

  • Direto: ou de primeira ordem. Relação simples de causa e consequência.
  • Indireto: de segunda ordem em diante. A ação é consequência de uma cadeia.
  • Local: restrito a um único ambiente.
  • Regional: afeta mais lugares na região.
  • Global: de proporções mundiais.
  • Estratégico: afeta um ecossistema ou recurso ambiental fundamental em outras estruturas.
  • Temporário: impacto por tempo determinado.
  • Permanente: não há como controlar os efeitos do impacto.
  • Cíclico: sazonal, volta de tempos em tempos.
  • Imediato: instantâneo à ação.
  • Médio prazo e longo prazo: não ocorrem de forma imediata. Delongam de médio a longo tempo para impactar.
  • Reversíveis: passível de alteração de curso do impacto. Possibilidade de retorno à formação próxima da original.
  • Irreversíveis: impossível de recuperar.

É importante ressaltar que toda ação humana gera impacto, seja em grande ou baixa escala. Consumo excessivo, crescimento urbano, desenvolvimento de novas tecnologias e até mesmo a preservação de uma floresta e de animais em risco de extinção. Somos mais de 07 bilhões de habitantes no planeta Terra, que consomem 50% a mais dos recursos naturais renováveis disponíveis.

Se atualmente precisamos de um planeta e meio para sustentar nosso estilo de vida, como será em 2050, quando poderemos chegar a 10 milhões de habitantes? A capacidade da Terra de renovar seus próprios recursos e de absorver resíduos já se encontra bastante comprometida por este padrão de vida insustentável.

No Brasil, temos 85% da população vivendo em metrópoles, o que pressupõe mais uso de água, energia, combustível, alimentos, como também o descarte excessivo e o desperdício cada vez maior de resíduos. Nossa realidade é desafiadora, 240.000 toneladas² de resíduos coletados nos 5.565 municípios de nosso país ainda são enterrados e desperdiçados em aterros ou lançados em lixões a céu aberto.

  • A Agenda 21 Global mostrou que menos de 20% da população consome 80% dos recursos naturais do planeta.
  • Estes dados são fundamentais para nos fazer refletir sobre a situação de injustiça social e ambiental que ainda vivemos.
  • Podemos agir de forma sustentável Para entendermos como atuar é necessário sabermos, o que é desenvolvimento sustentável? Segundo a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pelas Nações Unidas, ” Desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, garantindo a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações.

É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro”, O propósito foi de discutir e propor meios de harmonizar dois objetivos: o desenvolvimento econômico e a conservação ambiental. De uma forma simples, é preciso garantir que mesmo uma área sendo explorada continuará a prover recursos e bem-estar econômico e social para a população que ali vive pelas próximas gerações.

  • Mantendo a força vital e a capacidade de regenerar-se mesmo diante da ação contínua do ser humano.
  • De acordo com a ONU, para que possamos garantir esta forma de atuação é necessário ter como base seis pilares, que formam a Flor da Sustentabilidade: Vida próspera e formas de assegurar a subsistência humana; Segurança alimentar sustentável; Segurança sustentável da água; Energia limpa universal; Ecossistemas produtivos e saudáveis; Governança para sociedades sustentáveis.

A sustentabilidade parte de um núcleo em que o cuidado com a Terra está associado ao cuidado com as pessoas e à divisão de excedentes, ou seja, para que todos tenham acesso a recursos vitais. E é a partir deste cerne que se entrelaçam todas as outras formas de atuação e comportamento necessários para que a vida humana possa ter continuidade.

  • A Agenda de Desenvolvimento Sustentável Pós-2015, agora chamada Agenda 2030, tem por objetivo permear todas as ações das sociedades espalhadas pelo mundo, através de um conjunto de programas, ações e diretrizes que orientarão os trabalhos ao desenvolvimento sustentável.
  • A contribuição de ações coordenadas como estas, reforçadas pelo movimento cada vez maior de reciclagem e reutilização recursos, operam como uma das apostas da comunidade internacional, para que possamos ter perspectivas positivas para o futuro.

Confira a íntegra do documento da Agenda 2030: http://www.itamaraty.gov.br/images/ed_desenvsust/Agenda2030completoportugus12fev2016.pdf Nossa atuação busca contribuir de forma assertiva para desenvolvimento do objetivo 11. Cidades e Condomínios Sustentáveis.

  1. a saúde, a segurança e o bem-estar da população;
  2. as atividades sociais e econômicas;
  3. a biota;
  4. as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente;
  5. a qualidade dos recursos ambientais.”

Impacto ambiental não é impreterivelmente negativo, já que se trata do resultado de fatores que podem modificar o ambiente também de maneira favorável, como tratamento dos efluentes líquidos de uma cidade antes de serem lançados no mar, projetos de preservação da vida de tartarugas marinhas, criação de espaços verdes em centros urbanos, entre outros.

O processo de avaliação de impactos ambientais surgiu durante o pós-guerra, na Europa e nos Estados Unidos, devido à necessidade de análise de custo-benefício dos programas então em desenvolvimento. Considerar estas avaliações tornou-se mais um componente para subsidiar decisões, atentando para o contexto regional e geográfico.

See also:  Qual O HorRio De Funcionamento Da Caixa EconôMica Federal 2022?

Partindo desta premissa, podemos entender o impacto ambiental não apenas como os ecológicos, mas sim, a soma deles com os impactos socioeconômicos. Em nosso país, há três grandes problemas de impactos das atividades humanas que não podem ser analisados de forma separada, no entanto, suas ações se apresentam de forma distinta.

  • Tanto que critérios, instrumentos e métodos de avaliação de impactos são próprios de cada prática.
  • Atividades energético-mineradoras – impacto intenso, pontual, limitado e preciso em termos de localização.
  • Empreendimentos dessa natureza, como as hidrelétricas, envolvem parcelas pequenas de população nos seus impactos diretos e são bastante dependentes de fatores relativamente controláveis.

Os resíduos resultantes destas indústrias, quando não tratados, podem ser encontrados na água, na atmosfera ou em áreas isoladas. Atividades industriais-urbanas – impacto de intensidade variada. Pode ser pontual, no caso de uma fábrica, até difuso, como a emissão de poluentes provocada por uma frota de veículos.

  • As ações atingem, direta e indiretamente, grandes parcelas da população.
  • Existem órgãos públicos responsáveis por fiscalizar o cumprimento de leis e normas que impõe medidas para a mitigação dos impactos.
  • Atividades agrícolas – Impacto tênue, bastante dependentes de fatores naturais e, portanto, pouco controláveis, como chuvas, temperaturas, ventos etc.

Atingem grandes áreas de forma pouco precisa, frequentemente crônica, pouco evidente, intermitente e de difícil quantificação. Aqui podemos pontuar a perda de solos, produção de gases, erosão genética. Diferentemente das outas atividades, muitos dos impactos derivados da agricultura são graves e invisíveis aos olhos da sociedade, como a contaminação de águas subterrâneas com fertilizantes ou pesticidas.

  • Direto: ou de primeira ordem. Relação simples de causa e consequência.
  • Indireto: de segunda ordem em diante. A ação é consequência de uma cadeia.
  • Local: restrito a um único ambiente.
  • Regional: afeta mais lugares na região.
  • Global: de proporções mundiais.
  • Estratégico: afeta um ecossistema ou recurso ambiental fundamental em outras estruturas.
  • Temporário: impacto por tempo determinado.
  • Permanente: não há como controlar os efeitos do impacto.
  • Cíclico: sazonal, volta de tempos em tempos.
  • Imediato: instantâneo à ação.
  • Médio prazo e longo prazo: não ocorrem de forma imediata. Delongam de médio a longo tempo para impactar.
  • Reversíveis: passível de alteração de curso do impacto. Possibilidade de retorno à formação próxima da original.
  • Irreversíveis: impossível de recuperar.

É importante ressaltar que toda ação humana gera impacto, seja em grande ou baixa escala. Consumo excessivo, crescimento urbano, desenvolvimento de novas tecnologias e até mesmo a preservação de uma floresta e de animais em risco de extinção. Somos mais de 07 bilhões de habitantes no planeta Terra, que consomem 50% a mais dos recursos naturais renováveis disponíveis.

Se atualmente precisamos de um planeta e meio para sustentar nosso estilo de vida, como será em 2050, quando poderemos chegar a 10 milhões de habitantes? A capacidade da Terra de renovar seus próprios recursos e de absorver resíduos já se encontra bastante comprometida por este padrão de vida insustentável.

No Brasil, temos 85% da população vivendo em metrópoles, o que pressupõe mais uso de água, energia, combustível, alimentos, como também o descarte excessivo e o desperdício cada vez maior de resíduos. Nossa realidade é desafiadora, 240.000 toneladas² de resíduos coletados nos 5.565 municípios de nosso país ainda são enterrados e desperdiçados em aterros ou lançados em lixões a céu aberto.

  • A Agenda 21 Global mostrou que menos de 20% da população consome 80% dos recursos naturais do planeta.
  • Estes dados são fundamentais para nos fazer refletir sobre a situação de injustiça social e ambiental que ainda vivemos.
  • Podemos agir de forma sustentável Para entendermos como atuar é necessário sabermos, o que é desenvolvimento sustentável? Segundo a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pelas Nações Unidas, ” Desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, garantindo a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações.

É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro”, O propósito foi de discutir e propor meios de harmonizar dois objetivos: o desenvolvimento econômico e a conservação ambiental. De uma forma simples, é preciso garantir que mesmo uma área sendo explorada continuará a prover recursos e bem-estar econômico e social para a população que ali vive pelas próximas gerações.

  • Mantendo a força vital e a capacidade de regenerar-se mesmo diante da ação contínua do ser humano.
  • De acordo com a ONU, para que possamos garantir esta forma de atuação é necessário ter como base seis pilares, que formam a Flor da Sustentabilidade: Vida próspera e formas de assegurar a subsistência humana; Segurança alimentar sustentável; Segurança sustentável da água; Energia limpa universal; Ecossistemas produtivos e saudáveis; Governança para sociedades sustentáveis.

FLOR DA SUSTENTABILIDADE A sustentabilidade parte de um núcleo em que o cuidado com a Terra está associado ao cuidado com as pessoas e à divisão de excedentes, ou seja, para que todos tenham acesso a recursos vitais. E é a partir deste cerne que se entrelaçam todas as outras formas de atuação e comportamento necessários para que a vida humana possa ter continuidade.

A Agenda de Desenvolvimento Sustentável Pós-2015, agora chamada Agenda 2030, tem por objetivo permear todas as ações das sociedades espalhadas pelo mundo, através de um conjunto de programas, ações e diretrizes que orientarão os trabalhos ao desenvolvimento sustentável. A contribuição de ações coordenadas como estas, reforçadas pelo movimento cada vez maior de reciclagem e reutilização recursos, operam como uma das apostas da comunidade internacional, para que possamos ter perspectivas positivas para o futuro.

Confira a íntegra do documento da Agenda 2030: http://www.itamaraty.gov.br/images/ed_desenvsust/Agenda2030completoportugus12fev2016.pdf Nossa atuação busca contribuir de forma assertiva para desenvolvimento do objetivo 11. Cidades e Condomínios Sustentáveis.

Quais são os principais benefícios da sustentabilidade?

Melhoria da qualidade de vida – Práticas sustentáveis reduzem os impactos negativos na saúde humana e no bem-estar. Dessa forma, os ambientes rurais e urbanos passam a ser locais mais saudáveis para se viver, Isso sem contar que a sustentabilidade também incentiva a promoção da igualdade social e econômica.

Quais são as 4 sustentabilidade?

De uma forma mais ampla, sustentabilidade é a capacidade que uma casa, bairro, cidade, país ou o planeta tem de suprir as necessidades e demandas atuais sem comprometer as gerações futuras. É possível subdividir esse conceito mais amplo em quatro tipos de sustentabilidade: a ambiental/ecológica, a empresarial, a social e a econômica.

  • E é sobre esses tipos diferentes de sustentabilidade que vamos falar nesse artigo, bem como de formas de aplicar cada um deles em sua vida.
  • Afinal, quando se fala em sustentabilidade, é possível falar tanto em uma escala macro e governamental, como também da rotina de sua família e do bairro em que você vive.

Vamos juntos?

Quais são os 7 pilares da sustentabilidade?

7 Pilares da Sustentabilidade Para nós, sustentabilidade não é simplesmente uma questão de responsabilidade ambiental e social. Precisamos atuar de maneira ativa e consciente, pois o futuro se constrói hoje. O conceito convencional de sustentabilidade engloba os aspectos econômico, ambiental e social. Portanto, para que um empreendimento possa ser considerado sustentável, o mesmo deve ser:

Economicamente viável; Ambientalmente seguro; Socialmente justo;

Entretanto, enxergamos que a sustentabilidade é mais abrangente do que imaginávamos. A atividade rural é complexa e a sustentabilidade é uma filosofia que deve integrar todas as áreas da empresa, sem menosprezar qualquer uma delas. Assim, adotamos como pilares da sustentabilidade: Social, Econômico, Ambiental, Cultural, Ética, Política e Estética.

  • A nossa visão para cada um desses pilares é: 1.
  • Social: equilibrar os princípios de equidade, provendo condições de vida dignas e bem-estar para todos os indivíduos que compõem a Mutuca.2.
  • Econômico: transformar vantagens comparativas em vantagens competitivas.
  • Usar os recursos que a Mutuca tem para torná-la mais eficiente, facilitando o trabalho diário.3.

Ambiental: preservar nossos recursos naturais, de forma a manter a fauna e flora locais, sem comprometer a qualidade do solo, corpos d’água e ar e provendo cada vez mais condições para que o ecossistema possa prosperar em plena harmonia.4. Cultural: a inovação depende de um ambiente que favoreça a diversidade de ideias, crenças, motivações e pensamentos.5.

Ética: muitos trabalharam duro para que pudéssemos estar onde estamos. Por isso, temos a responsabilidade de manter recursos e possibilidades abertas aos que virão.6. Estética: reconhecer que algumas coisas têm valor simbólico e não puramente econômico. O belo deve ser preservado em prol do bem-estar e do meio ambiente.7.

Política: sustentabilidade deve ser um compromisso de todos. Os problemas e dificuldades diárias devem ser assumidos e não terceirizados, pois enquanto o problema for do outro e não de todos, não haverá sustentabilidade.

Nossa nova campanha é um convite a você, para que juntos possamos criar um amanhã mais próspero para a nossa e as próximas gerações. O Agro e o resto do mundo precisam disso 🌎 Juntos, fortalecemos o agronegócio com cada semente que plantamos. Quer saber mais? | | | |

: 7 Pilares da Sustentabilidade