Početna – ThaiConsulate

Tips, Reviews, Recommendations

Dores Nas Pernas O Que Pode Ser?

Quando devo me preocupar com a dor na perna?

Sinais de Alerta – Temos vários motivos que podem causar as dores nas pernas; quando que eu devo ficar preocupado com essa minha dor? Ou seja, os sinais de alerta. Se você por acaso sente uma dor muito forte e repentina na perna, tem vermelhidão e inchaço, começa a sentir febre, falta de ar, pode ser um sinal de alerta e você deve procurar o Pronto-Socorro, porque muitas pessoas ficam preocupadas se a dor na perna delas é trombose, então, por isso tem que ficar atento em relação a esses sinais de alertas.

Está com tantas dores que nem reconhece mais a origem delas ? Saiba como reconhecer a Dor Neuropática e acabe com ela definitivamente. Marque uma consulta na Regenerati E outro sinal de alerta também é se essa dor faz você mancar, pode ser uma doença arterial, um problema neurológico. Por exemplo, você está na sua casa, tranquila e de repente sente uma fisgada forte na perna e que te faz mancar, então procure o Pronto-Socorro.

Porém, se é uma dor cansada, você é sedentário, fica muito tempo parado, em pé, come mal, está com sobrepeso e vai ter algumas varizes, provavelmente você vai associar com as varizes, mas procure o especialista que vai te encaminhar e tratar corretamente.

  • Você procurou o vascular, ele constatou que o seu problema não são as varizes e te encaminha para o fisioterapeuta.
  • Como esse profissional vai te avaliar? Primeiro, a avaliação vai ser a questão da anamnese,
  • O que é anamnese? É o questionário que a pessoa faz no início da sua avaliação.
  • Então, perguntar as características da dor, como é o seu dia a dia, o que você faz, se é ativo, sedentário, se faz exercício – o exercício é muito importante para prevenir essas dores.

E vai avaliar a dor, então o paciente vai relatar se é uma dor em peso, cansada, se sente um formigamento, se sente aquela dor em aperto. Então, dependendo da característica da dor, é possível ter uma ideia de qual é o diagnóstico para sua dor. Na mesma avaliação, verificamos a mobilidade, ou seja, o quanto que a pessoa consegue mexer a perna – geralmente deitada –, falamos para ela mexer a perna, mexemos a perna, sentimos as articulações, fazemos apalpação para ver se tem a presença de pontos-gatilho, nódulos de tensão que muitas vezes você pede para sua filha apertar quando está com dor nas costas – minha mãe pede para apertar os nódulos quando está com dor nas costas.

Esses são os pontos-gatilho, que são sinal de uma dor miofascial. Vamos avaliar a força, ver quanto que a pessoa consegue mexer a perna, se tem força nos músculos. Então, temos que lembrar que toda a nossa perna, do quadril até os pés, é envolta por músculos, logo os músculos que nos sustentam em pé. Fazemos a avaliação postural, ou seja, vamos avaliar os desvios que todo mundo fala que se sente muito mal depois da avaliação postural, porque ninguém é reto, deixamos claro, não é que estamos procurando uma postura perfeita, estamos procurando uma postura que não cause dor na pessoa.

Se você está com dor, a sua postura não está adequada para você, então vamos fazer essa avaliação postural e ver onde estão os desvios que podemos melhorar e intervir no tratamento. A partir dessa avaliação, a maioria das dores das pernas é causada por um conjunto de fraqueza muscular, inchaço e dor miofascial.

  • Alguns têm o componente de dor nas costas que também causa essa dor nas pernas.
  • Então, isso é um diagnóstico da fisioterapia, funcional, não é um diagnóstico de patologia.
  • Juntamente com essa avaliação que o fisioterapeuta faz, vem o diagnóstico.
  • É frequente os pacientes terem artrose no joelho, que é o tipo mais comum.

Tem também a presença de varizes, que não é na verdade a causadora principal da dor, e também a neuropatia diabética, uma doença mais comum do que imaginamos, que é quando a pessoa sente formigamento mais comumente nos pés e depois atinge as mãos. Dessa forma, nós temos essas três patologias, que são a artrose, as varizes e a neuropatia diabética.

Como saber se a dor na perna e circulação?

Na perna, nossa circulação é dividida em: – – Circulação arterial : artérias são os vasos pelo os quais o sangue chega nas pernas (e todas as outras áreas do corpo), ou seja, levam o sangue do coração até os tecidos. Esse sangue que chega abastece as células de oxigênio e nutrientes, permitindo o seu funcionamento adequado.

Circulação venosa : as veias são os vasos que trazem de volta dos tecidos ao coração o sangue pobre em oxigênio, para que novamente ele possa passar pelo pulmão e ser reoxigenado. – Circulação linfática : são vasos responsáveis por trazer a linfa (líquido originado do sangue, rico em proteínas e outras macromoléculas) de volta ao sistema cardiovascular.

É importante você saber que o responsável por bombear o sangue pelas artérias é o coração, enquanto que, pelas veias, o principal responsável é a musculatura das nossas pernas. É por isso que fala-se que a panturrilha é o coração da perna. Dores Nas Pernas O Que Pode Ser Agora que você entendeu como funciona a circulação da perna, fica mais fácil entender as doenças que alteram o fluxo sanguíneo nas artérias e veias e o fluxo de linfa nos vasos linfáticos, levando à famosa má circulação. Os principais sinais e sintomas da má circulação nas pernas incluem: dor, inchaço, formigamento, câimbra, dormência, alteração na tonalidade da pele e da temperatura do membro.

O que fazer quando está com muita dor nas pernas?

O ideal para aliviá-la é combinar o repouso com exercícios de alongamento para cuidar da saúde dos músculos. A aplicação de compressas de gelo no local da dor na perna também é bem-vinda.

Qual a maior causa de dores nas pernas?

Causas frequentemente associadas a dor nas pernas – Segundo o fisioterapeuta Raldrei Natividade, as causas mais comuns que acometem os pacientes são as de origem nevrálgica, muscular e venosa. “As nevrálgicas geralmente têm origem nos nervos fibulares e nas tíbias.

  1. Eles são interligados com o principal nervo da coluna lombar, o nervo ciático.
  2. Além disso, compressões musculares ou disfunções nas articulações também podem causar dores nas pernas.
  3. Já as origens venosas estão relacionadas a varizes e possíveis estenoses arteriais e venosas”, explica Natividade.
  4. Indivíduos que têm hérnia de disco lombar frequentemente sentem dores nas pernas devido à compressão dos nervos causada pela hérnia.

O diagnóstico de um disco lombar se dá por meio da ressonância magnética. A partir do exame, pode-se considerar todos os fatores envolvidos na irradiação da dor para os membros inferiores.2 3 A dor nas pernas por lesão muscular ocorre quando há um alongamento das fibras musculares que excede as capacidades fisiológicas do indivíduo ou uma contração muscular excêntrica.

  • Essas dores musculares geralmente atingem praticantes de esportes que exigem aceleração rápida, mudanças bruscas de direção e rotações, como o atletismo e o futebol.4 Além da tensão muscular, a maioria dos pacientes que tem varizes se queixa de dor nas pernas.
  • Essa dor costuma ser mais intensa após períodos prolongados em pé ou sentado.
See also:  Quem Tem Mioma Pode Engravidar?

Já as estenoses, complicações que obstruem o fluxo sanguíneo, podem se manifestar com edema, dor e varizes superficiais. No entanto, a ocorrência é muito mais comum nos membros superiores.5 6 7 Como aliviar dores nas pernas Para que o tratamento de seja eficaz, o primeiro passo é fazer o diagnóstico correto, afirma Raldrei.

“Dessa forma, é possível chegar a um tratamento ideal, que pode incluir fisioterapia, acompanhamento com médico ortopedista ou angiologista, além de nutrição adequada”, indica o especialista em Fisioterapia. Ele ainda ressalta a importância de investigar a causa da dor para entender a gravidade clínica.

O tratamento da estenose nos membros inferiores pode ser feito com técnicas de dilatação para expandir as vias vasculares danificadas. Já o manejo da dor provocado pelas varizes varia de acordo com o tipo das veias varicosas, podendo ser adotado o método de escleroterapia ou intervenção cirúrgica.7 8 As dores nas pernas de origem muscular podem ser minimizadas com repouso do membro lesionado, uso de gelo, fortalecimento e alongamento.

Que tipo de exame se faz para dor na perna?

Ultrassom na avaliação de dores nas pernas O é um método não invasivo, que utiliza ondas sonoras de alta frequência para gerar imagens das veias e artérias das pernas. O exame de imagem é amplamente utilizado na avaliação de dores e localiza possíveis obstruções, coágulos sanguíneos e varizes.

Onde dói a trombose na perna?

Sensação de peso nas pernas, especialmente no fim do dia, pode não ser apenas uma simples manifestação de cansaço. Este é um dos sinais da trombose venosa profunda, uma doença grave potencialmente causada pela formação de coágulos, em geral, nas pernas – na região da panturrilha e até nas coxas.

Quando a dor na perna pode ser trombose?

Na trombose venosa profunda o paciente normalmente sente uma dor forte no membro, de início súbito, e que pode ou não ser acompanhada de inchaço. Muitas vezes o paciente acredita tratar-se de uma dor muscular e não procura auxílio médico. Portanto se a dor é forte e persistente, é prudente realizar uma avalição médica.

Estou me sentindo muito cansada e com dores nas pernas?

1. Má circulação sanguínea – A má circulação do sangue se tornou umas das principais causas do cansaço nas pernas hoje em dia. As pessoas pessoas passam muito mais tempo sentadas e isso contribui bastante para o problema. As veias são os vasos responsáveis por levar e trazer o sangue do coração para todo o corpo.

  1. Existe todo um mecanismo natural, com válvulas nas paredes venosas, que promovem essa ação.
  2. O problema é que, pelo fato de estarmos caminhando menos e passarmos boa parte do dia sentados, essa movimentação é prejudicada.
  3. O sangue acaba ficando “parado” e, por isso, gera a sensação de cansaço nas pernas.

Em alguns casos, há também a sensação que as pernas pesam mais ou que elas estão inchadas – o que acontece, de fato, em algumas pessoas. A má circulação ainda pode causar varizes. Esse é um problema que, além de ser provocado por hábitos do dia a dia de uma pessoa, ainda pode ter o fator genético envolvido.

Quais são os primeiros sintomas de má circulação nas pernas?

Quais os sintomas da má circulação nas pernas? O sangue é disseminado pelo corpo devido ao trabalho de bombeamento do coração. Porém, alguns problemas podem atrapalhar essa distribuição, entre eles estão os traumas, aterosclerose e sedentarismo, por exemplo. A má circulação, também conhecida como doença arterial periférica, é um problema na distribuição do sangue, caracterizado pela dificuldade de sua passagem pelas veias e artérias.

Ocorre com o endurecimento das artérias, que atrapalha e pode até mesmo impedir o sangue de chegar aos membros inferiores, como os pés e as pernas. Atinge principalmente idosos e mulheres, em especial as grávidas ou que utilizam pílula anticoncepcional. No entanto, pode acometer pessoas de todas as idades.

Os principais sintomas da má circulação são: Pele fria e seca, coceira, câimbra e manchas vermelhas nas pernas, varizes, inchaços nos pés e tornozelos, ausência de pelos nos membros inferiores, rachaduras nos calcanhares, sensação de formigamento ou dormência e cor pálida ou azulada em locais de má circulação.

Como é a dor da má circulação?

Quais os sintomas de má circulação nas pernas? – Os principais sintomas de má circulação são: dor, dormência, formigamento, frio e cansaço nas pernas. Além desses, é possível se deparar também com a cor pálida ou azul do membro, inchaço do local e o aparecimento de veias saltadas.

Como saber se estou com falta de circulação nas pernas?

Dormência. Dificuldade de movimentar dedos do pé e tornozelo. Palidez ou coloração arroxeada da pele da perna e do pé Diminuição de temperatura do membro (perna fria)

O que tomar para melhorar a circulação das pernas?

2. Alimente-se de forma equilibrada – A alimentação saudável, assim como os exercícios físicos, tem um importante papel na saúde vascular. Uma dieta com muita gordura, especialmente saturada, pode acabar entupindo as veias e prejudicando o fluxo sanguíneo.

Qual problema Neurologico causa dor nas pernas?

Dores nas pernas – quando procurar um neurologista ou um vascular? – Saiba mais sobre doenças vasculares e neurológicas nas pernas. As características da dor, em qual situação aparecem, em qual posição, entre outros fatores podem ajudar a diferenciar se as dores são de origem nos vasos ou nos nervos.

  • Dores que acontecem no repouso, dores que ocorrem durante a caminhada, dores que pioram após um certo tempo de exercício físico (claudicação intermitente) e melhoram com o repouso ou dores que aparecem somente em certas posições podem apontar para diferentes causas de dor.
  • Dores em cansaço, queimação, pulsação, que pioram com o frio, em ardor, em agulhadas finas, em choque, entre outras maneiras de descrever a dor ajudam a diferenciar as suas possíveis causas,

Em alguns casos, podem afetar a capacidade de realizar tarefas básicas, como caminhar, se movimentar ou podem prejudicar o sono, o trabalho, a concentração e o relacionamento com outras pessoas. Conheça os casos mais comuns de dores vasculares e neurológicas (neuropatias): A dor na perna de causa vascular pode ter basicamente duas razões: circulação arterial deficiente ou um problema no retorno do sangue venoso,

COMO SABER SE TENHO HÉRNIA DE DISCO TUMOR CEREBRAL: SINTOMAS E TRATAMENTOS

Porque as pernas doem em repouso?

Dores nas pernas em repouso – Primeiramente, é necessário observar o local e as características da dor nas pernas. A saber, dor em repouso pode indicar Doença Vascular Periférica (DVP). Nesse caso, depósitos de gordura no interior das paredes das artérias estreitam os vasos.

O que pode causar dor nas pernas do joelho para baixo?

Você se identificou com algum dos sintomas descritos acima? – Então agende uma consulta com um especialista da Angiolife e tire todas as suas dúvidas relacionadas as dores das pernas, varizes e também outros problemas vasculares. Clique e saiba mais! : Dores nas pernas abaixo do joelho? O problema pode estar nas varizes!

See also:  Como Recuperar Udio Que A Pessoa Mandou E Apagou?

Quando procurar um médico por dor nas pernas?

Esforço excessivo Mas, fique atento: caso a dor na perna seja muito intensa e incapacitante, é fundamental procurar um ortopedista o quanto antes para que o médico possa identificar se você sofreu algum tipo de lesão mais séria e indicar o tratamento adequado.

O que causa dor nas pernas ao deitar?

Tratamento de Pernas Inquietas e outros Problemas do Sono em Vitória Espírito Santo ES – No Espírito Santo, também oferecemos um tratamento especializado às pessoas com Síndrome das Pernas Inquietas e outros distúrbios do sono, no Serviço de Especialidades Neurológicas, em Vitória, na Enseada do Suá, próximo ao Shopping Vitória. Assine nossa Newsletter! Dr Diego de Castro dos Santos Dores Nas Pernas O Que Pode Ser Dr Diego de Castro dos Santos é Neurologista pela USP e responsável pelo Serviço de Especialidades Neurológicas – Eletroneuromiografia. Atua como neurologista em Vitória Espírito Santo ES e em São Paulo no tratamento de Dor de Cabeça, Depressão, Doença de Parkinson, Miastenia gravis e outras doenças.

Também se dedica a reabilitação de pacientes com AVC, distonias e crianças com paralisia cerebral, por meio de aplicação de toxina botulínica (Botox) e neuromodulação. DR DIEGO DE CASTRO Dr. Diego de Castro dos Santos Neurofisiologia clínica – RQE 74154 Neurologia – RQE 74153 Diretor Clínico Autor e Responsável Técnico pelo Site – Mantenedor.

Missão do Site: Prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade. Destinado ao público em geral. NEUROLOGISTA EM SÃO PAULO – SP CRM-SP 160074 R. Itapeva, 518 – sala 901 Bela Vista – São Paulo – SP CEP: 01332-904 Telefones: (11) 3504-4304 (11) 98758-7663 NEUROLOGISTA VITÓRIA – ES CRM-ES 11.111 Av.

Américo Buaiz, 501 – Sala 109 Ed. Victória Office Tower Leste, Enseada do Suá, Vitória – ES, CEP: 29050-911 Telefones: (27) 99707-3433 (27) 99886-7489 Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com o uso de cookies. Leia nossa política de privacidade/cookies para saber mais informações.

magnifier

O que pode ser dor nas pernas durante a noite?

COMO ALIVIAR ESSAS DORES NAS PERNAS? – Sabemos que grande segredo para o aparecimento de qualquer doença é a prevenção. E isso é, especialmente, verdadeiro quando se trata de varizes. Abaixo, descrevemos algumas maneiras simples de apoiar a circulação sanguínea saudável e evitar as dores nas pernas.

Eleve os pés: Ao deitar-se na cama, levante os pés sobre um ou dois travesseiros para ajudar o sangue a fluir mais facilmente; Resfrie as pernas: Seja com compressas geladas, ou banhos gelados para aliviar os membros inferiores; Ioga: Para quem pratica ioga, praticar de dez a quinze minutos antes de dormir, ajuda a alongar suavemente os músculos, promovendo a circulação; Meias de compressão: Usar meias de compressão de grau médico durante o dia minimiza o acúmulo de sangue; Relaxe: Em vez de pular direto para a cama após a atividade, descanse suavemente, reserve cerca de meia hora para soltar as tensões do dia, coloque os pés para cima para ler um livro, ouça música ou apenas sente e relaxe.

Porém, se a dor for consistente, estiver acontecendo todas as noites ou você tiver outros sintomas, converse com seu médico ou especialista sobre como tratar suas varizes. A Bauerfeind tem uma solução prática e muito confortável para ajudá-lo no processo de prevenção e alívio das dores nas pernas, e até mesmo no tratamento das varizes.

  1. As nossas proporcionam compressão gradual e controlada.
  2. O grau máximo de compressão está na área dos tornozelos e vai diminuindo gradualmente até a perna.
  3. Isso estimula a circulação sanguínea prevenindo varizes e dores nas pernas.
  4. As meias são confeccionadas com 50% de microfibra, um material leve, macio e respirável, que absorve o suor mantendo a sua pele livre da umidade.

: Dores nas pernas durante a noite? Podem ser varizes!

Qual problema Neurologico causa dor nas pernas?

Dores nas pernas – quando procurar um neurologista ou um vascular? – Saiba mais sobre doenças vasculares e neurológicas nas pernas. As características da dor, em qual situação aparecem, em qual posição, entre outros fatores podem ajudar a diferenciar se as dores são de origem nos vasos ou nos nervos.

  • Dores que acontecem no repouso, dores que ocorrem durante a caminhada, dores que pioram após um certo tempo de exercício físico (claudicação intermitente) e melhoram com o repouso ou dores que aparecem somente em certas posições podem apontar para diferentes causas de dor.
  • Dores em cansaço, queimação, pulsação, que pioram com o frio, em ardor, em agulhadas finas, em choque, entre outras maneiras de descrever a dor ajudam a diferenciar as suas possíveis causas,

Em alguns casos, podem afetar a capacidade de realizar tarefas básicas, como caminhar, se movimentar ou podem prejudicar o sono, o trabalho, a concentração e o relacionamento com outras pessoas. Conheça os casos mais comuns de dores vasculares e neurológicas (neuropatias): A dor na perna de causa vascular pode ter basicamente duas razões: circulação arterial deficiente ou um problema no retorno do sangue venoso,

COMO SABER SE TENHO HÉRNIA DE DISCO TUMOR CEREBRAL: SINTOMAS E TRATAMENTOS

O que pode causar dor nas pernas do joelho para baixo?

Você se identificou com algum dos sintomas descritos acima? – Então agende uma consulta com um especialista da Angiolife e tire todas as suas dúvidas relacionadas as dores das pernas, varizes e também outros problemas vasculares. Clique e saiba mais! : Dores nas pernas abaixo do joelho? O problema pode estar nas varizes!

Onde dói a trombose na perna?

Sensação de peso nas pernas, especialmente no fim do dia, pode não ser apenas uma simples manifestação de cansaço. Este é um dos sinais da trombose venosa profunda, uma doença grave potencialmente causada pela formação de coágulos, em geral, nas pernas – na região da panturrilha e até nas coxas.

Onde se localiza a dor da fibromialgia?

Fibromialgia – Definição, Sintomas e Porque Acontece. – Sociedade Brasileira de Reumatologia Autoria: Comissão de Dor, Fibromialgia e Outras Síndromes Dolorosas de Partes Moles 20/04/2011 Definição A síndrome da fibromialgia (FM) é uma síndrome clínica que se manifesta com dor no corpo todo, principalmente na musculatura.

  1. Junto com a dor, a fibromialgia cursa com sintomas de fadiga (cansaço), sono não reparador (a pessoa acorda cansada) e outros sintomas como alterações de memória e atenção, ansiedade, depressão e alterações intestinais.
  2. Uma característica da pessoa com FM é a grande sensibilidade ao toque e à compressão da musculatura pelo examinador ou por outras pessoas.

A fibromialgia é um problema bastante comum, visto em pelo menos em 5% dos pacientes que vão a um consultório de Clínica Médica e em 10 a 15% dos pacientes que vão a um consultório de Reumatologia. De cada 10 pacientes com fibromialgia, sete a nove são mulheres.

  1. Não se sabe a razão porque isto acontece.
  2. Não parece haver uma relação com hormônios, pois a fibromialgia afeta as mulheres tanto antes quanto depois da menopausa.
  3. Talvez os critérios utilizados hoje no diagnóstico da FM tendam a incluir mais mulheres.
  4. A idade de aparecimento da fibromialgia é geralmente entre os 30 e 60 anos.
See also:  Qual O NMero Do Telefone?

Porém, existem casos em pessoas mais velhas e também em crianças e adolescentes. O diagnóstico da fibromialgia é clínico, isto é, não se necessitam de exames para comprovar que ela está presente. Se o médico fizer uma boa entrevista clínica, pode fazer o diagnóstico de fibromialgia na primeira consulta e descartar outros problemas.

Os critérios de diagnóstico da fibromialgia são: a) dor por mais de três meses em todo o corpo eb) presença de pontos dolorosos na musculatura (11 pontos, de 18 que estão pré-estabelecidos).Deve-se salientar que muitas vezes, mesmo que os pacientes não apresentem todos os pontos, o diagnóstico de FM é feito e o tratamento iniciado.

Estes critérios são alvo de inúmeras críticas – como dissemos anteriormente, quanto mais pontos se exigem, mais mulheres e menos homens recebem o diagnóstico. Além disso, esses critérios não avaliam sintomas importantes na FM, como a alteração do sono e fadiga.

  • Provavelmente o médico pedirá alguns exames de sangue, não para comprovar a fibromialgia, mas para afastar outros problemas que possam simular esta síndrome.
  • O DIAGNÓSTICO DE FIBROMIALGIA É CLÍNICO, NÃO HAVENDO EXAMES QUE O COMPROVEM.
  • Sintomas O sintoma mais importante da fibromialgia é a dor difusa pelo corpo.

Habitualmente, o paciente tem dificuldade de definir quando começou a dor, se ela começou de maneira localizada que depois se generalizou ou que já começou no corpo todo. O paciente sente mais dor no final do dia, mas pode haver também pela manhã. A dor é sentida “nos ossos” ou “na carne” ou ao redor das articulações.

Existe uma maior sensibilidade ao toque, sendo que muitos pacientes não toleram ser “agarrados” ou mesmo abraçados. Não há inchaço das articulações na FM, pois não há inflamação nas articulações. A sensação de inchaço pode aparecer pela contração da musculatura em resposta à dor. A alteração do sono na fibromialgia é frequente, afetando quase 95% dos pacientes.

No início da década de 80, descobriu-se que pacientes com fibromialgia apresentam um defeito típico no sono – uma dificuldade de manter um sono profundo. O sono tende a ser superficial e/ou interrompido. Com o sono profundo interrompido, a qualidade de sono cai muito e a pessoa acorda cansada, mesmo que tenha dormido por um longo tempo – “acordo mais cansada do que eu deitei” e “parece que um caminhão passou sobre mim” são frases frequentemente usadas.

Esta má qualidade do sono aumenta a fadiga, a contração muscular e a dor. Outros problemas no sono afetam os pacientes com fibromialgia. Alguns referem um desconforto grande nas pernas ao deitar na cama, com necessidade de esticá-las, mexê-las ou sair andando para aliviar este desconforto. Este problema é chamado Síndrome das Pernas Inquietas e possui tratamento específico.

Outros apresentam a Síndrome da Apneia do Sono, e param de respirar durante a noite. Isto também causa uma queda na qualidade do sono e sonolência excessiva durante o dia. A fadiga (cansaço) é outro sintoma comum na FM, e parece ir além ao causado somente pelo sono não reparador.

Os pacientes apresentam baixa tolerância ao exercício, o que é um grande problema, já que a atividade física é um dos grandes tratamentos da FM. A depressão está presente em 50% dos pacientes com fibromialgia. Isto quer dizer duas coisas: 1) a depressão é comum nestes pacientes e 2) nem todo paciente com fibromialgia tem depressão.

Por muito tempo pensou-se que a fibromialgia era uma “depressão mascarada”. Hoje, sabemos que a dor da fibromialgia é real, e não se deve pensar que o paciente está “somatizando”, isto é, manifestando um problema psicológico através da dor. Por outro lado, não se pode deixar a depressão de lado ao avaliar um paciente com fibromialgia.

  • A depressão, por si só, piora o sono, aumenta a fadiga, diminui a disposição para o exercício e aumenta a sensibilidade do corpo.
  • Ela deve ser detectada e devidamente tratada se estiver presente.
  • Pacientes com FM queixam-se muito de alterações de memória e de atenção, e isso se deve mais ao fato da dor ser crônica do que a alguma lesão cerebral grave.

Para o corpo, a dor é sempre um sintoma importante e o cérebro dedica energia lidando com esta dor e outras tarefas, como memória e atenção, ficam prejudicadas. Como veremos a seguir, imagina-se que a principal causa dor difusa em pacientes com FM seja uma maior sensibilidade do paciente à dor, por uma ativação do sistema nervoso central.

  • Não é de espantar, portanto, que outros estímulos também sejam amplificados e causem desconforto aos pacientes.
  • A síndrome do intestino irritável, por exemplo, acontece em quase 60% dos pacientes com FM e caracteriza-se por dor abdominal e alteração do ritmo intestinal para mais ou para menos.
  • Além disso, pacientes apresentam a bexiga mais sensível, sensações de amortecimentos em mãos e pés, dores de cabeça frequentes e maior sensibilidade a estímulos ambientais, como cheiros e barulhos fortes.

O que causa a Fibromialgia? Não existe ainda uma causa única conhecida para a fibromialgia, mas já temos algumas pistas porque as pessoas têm esta síndrome. Os estudos mais recentes mostram que os pacientes com fibromialgia apresentam uma sensibilidade maior à dor do que pessoas sem fibromialgia.

Na verdade, seria como se o cérebro das pessoas com fibromialgia estivesse com um “termostato” ou um “botão de volume” desregulado, que ativasse todo o sistema nervoso para fazer a pessoa sentir mais dor. Desta maneira, nervos, medula e cérebro fazem que qualquer estímulo doloroso seja aumentado de intensidade.

A fibromialgia pode aparecer depois de eventos graves na vida de uma pessoa, como um trauma físico, psicológico ou mesmo uma infecção grave. O mais comum é que o quadro comece com uma dor localizada crônica, que progride para envolver todo o corpo. O motivo pelo qual algumas pessoas desenvolvem fibromialgia e outras não ainda é desconhecido.

O que não mais se discute é se a dor do paciente é real ou não. Hoje, com técnicas de pesquisa que permitem ver o cérebro em funcionamento em tempo real, descobriu-se que pacientes com FM realmente estão sentindo a dor que referem. Mas é uma dor diferente, onde não há lesão na periferia do corpo, e mesmo assim a pessoa sente dor.

Toda dor é um alarme de incêndio no corpo – ela indica onde devemos ir para apagar o incêndio. Na fibromialgia é diferente – não há fogo nenhum, esse alarme dispara sem necessidade e precisa ser novamente “regulado”. Esse melhor entendimento da FM indica que muitos sintomas como a alteração do sono e do humor, que eram considerados causadores da dor, na verdade são decorrentes da dor crônica e da ativação de um sistema de stress crônico.